Vaiado por francanos, ala/pivô Jefferson faz jogo perfeito no "Pedrocão"

Xingamentos da torcida contra o jogador estão relacionadas à temporada ruim jogando por Franca

Postado em: em Basquete

Era o desfecho perfeito para uma história que merecia um final feliz. Jefferson William, ala/pivô do Sendi/Bauru Basket, superou fortes vaias no Ginásio Pedrocão e fez chover em plena quadra em que atuou na temporada passada.

Com oito bolas de 3 pontos convertidas e um total de 28 pontos, Jefferson ainda pegou 11 rebotes e deixou a quadra com expressivos 28 de eficiência, o que rendeu a ele o troféu de MVP do Jogo das Estrelas 2019.

O mais curioso de tudo é que Jefferson sequer havia sido selecionado para o duelo entre NBB Brasil e NBB Mundo e só disputou a partida por conta da saída dos atletas do Flamengo, Marquinhos, Olivinha e Varejão, que deixaram o Jogo das Estrelas em respeito às vítimas do incêndio no CT do clube na sexta-feira.

“Estou muito, mas muito feliz mesmo por entrar na história do NBB mais uma vez. É o sonho de todo jogador ser contemplado como MVP. Eu não estava entre os 12 inicialmente, acabou surgindo a oportunidade e eu agarrei com muita disposição e felizmente as coisas aconteceram”, declarou o MVP.

Com Jefferson, o NBB Brasil acertou incríveis 26 bolas de 3 pontos (recorde da história do Jogo das Estrelas) e passeou sobre o NBB Mundo ao vencer por expressivos 144 a 92 –vitória mais larga da história do Jogo das Estrelas.

As vaias vieram devido ao passado recente de Jefferson pelo Sesi Franca. O jogador, então ex-Bauru, defendeu o time francano na temporada passada e, depois de um ano de lesões e sem conquistas, voltou a vestir a camisa do Dragão, arquirrival da equipe da Capital do Basquete.

Por conta disso, a torcida francana não perdoou e se dedicou especialmente para vaia-lo desde o Torneio de 3 Pontos, realizado na sexta-feira – Jefferson ainda foi o vice-campeão, com direito a torcida para seu adversário na decisão, Felipe Vezaro.

“Encaro as vaias como um sinal de carinho e respeito pelo meu trabalho. Aquilo só me fortaleceu durante o jogo. Enquanto eu estiver sendo vaiado quer dizer que estou incomodando e jogando bem. Quando eles pararem, quer dizer que está na hora de eu parar de jogar. É assim que encarei essa situação. Agora vou comemorar com a minha torcida lá em Bauru e com a minha família”, falou Jefferson.

O inédito troféu de MVP veio em um momento para lá de especial para Jefferson. O experiente ala/pivô, de 35 anos, é o cestinha, reboteiro e jogador mais eficiente do Bauru no NBB CAIXA, com médias de 16,2 pontos, 6,4 rebotes e 16,4 de eficiência por partida.

Agora, um novo prêmio entrará na estante do camisa 11 do Dragão, que precisou até “acalmar” a esposa depois de não ganhar o Torneio de 3 Pontos no dia anterior.

“Minha mulher havia ficado chateada por eu não ter ganhado a final dos 3 Pontos. Falei para ela ficar tranquila que coisas boas iriam acontecer. Hoje levei para casa o troféu que ela vai valorizar bastante também. Estou muito feliz mesmo. Só tenho a agradecer à LNB, à cidade de Franca por mais essa linda festa do basquete brasileiro e pelo carinho da torcida”, finalizou Jefferson.


Artigos Relacionados