Treinar em jejum: Afinal ajuda ou atrapalha? Essa é uma das principais dúvidas

Prática cada vez mais comum, jejum é alvo de discussões no meio fitness sobre prejuízo à performance

Postado em: em Mais+

Praticar algum tipo de atividade física é essencial para que o indivíduo tenha uma boa qualidade de vida e também para que ele consiga manter o peso adequado. No entanto, devido à falta de tempo, muitas pessoas acabam treinando no tempo que aparece disponível, que muitas vezes está bem longe de uma refeição. Mas será que treinar em jejum faz mal?

Você algum dia já parou para pensar se treinar em jejum faz mal? Se a sua resposta foi sim, essa matéria é pra você!

Afinal, treinar em jejum ajuda ou atrapalha?

Uma prática que vem se tornado muito comum nos últimos tempos é fazer exercícios físicos em jejum, e é então que surge a dúvida se essa prática pode ajudar ou atrapalhar o treino.

É possível dizer que treinar em jejum pode fazer com que o indivíduo tenha sua performance afetada, porém os resultados irão variar conforme cada organismo, sendo que para algumas pessoas pode ser afetada de maneira positiva e outras negativa. Mas é importante lembrar que outros fatores também poderão influenciar.

Além do mais é importante alertar que treinar em jejum sem acompanhamento e sem estar bem preparado poderá afetar a saúde, trazendo sensação de mal-estar e outros problemas.

Só é indicado que opte por treinar em jejum quem já tem costume de fazer atividades físicas há muito tempo. Quem irá começar na atividade física agora não deve começar diretamente com o treino em jejum.

Em todos os casos é recomendável consultar um nutricionista para que ele possa fazer uma avaliação antes de liberar esse tipo de treino.

Faz emagrecer mais?

O nosso corpo quando está em jejum fica com poucas reservas de glicogênio, e isso faz com que o organismo comece a queimar gordura a fim de obter energia, mas ao contrário do que muitas pessoas pensam esse processo não irá fazer com que o indivíduo emagreça.

Como o estado de jejum não é permanente, quando a pessoa voltar a se alimentar normalmente ela começará a recuperar o peso que foi perdido, podendo ficar com o seu peso normal ou até mesmo atingir ao sobrepeso.

Ou seja, treinar em jejum não ajuda a emagrecer mais, e alguns estudiosos acreditam que é mais benéfico ao corpo treinar após se alimentar que em jejum.

Queima mais gordura?

De acordo com o fisiculturista Brad Schoenfeld treinar em jejum pode sim ajudar a queimar mais gordura, no entanto não são todas as moléculas de gordura que são oxidadas, e por isso elas tendem a voltar ao corpo, e assim o indivíduo não irá emagrecer com essa queima de gordura.

Treinar em jejum cataboliza?

Existem muitas dúvidas a cerca do treinamento em jejum, dentre elas a se treinar em jejum cataboliza, mas a resposta dessa pergunta irá depender de vários fatores, principalmente o tempo de treino, pois quem faz treinos mais longos e mais intensos irá desregular os hormônios e por isso poderá catabolizar, pois o que faz catabolizar não é treinamento em jejum, e sim o treinamento em excesso.

Jejum intermitente

O jejum intermitente está ficando muito conhecido nos últimos meses por ajudar no emagrecimento rápido. Esse jejum faz com que o indivíduo fique muitas horas sem comer, cerca de 10 a 24 horas, sendo que o mais normal é o de 12 horas, que deve ser feito preferencialmente no período da noite e parte da manhã.

Esse jejum deve ser feito apenas alguns dias na semana. Nos momentos que a pessoa não deve se alimentar ela deverá tomar água, café e chás sem açúcar.

Mas é importante que você não exagere na hora liberada para comer, ou seu jejum não terá o sucesso esperado.

Alguns dos benefícios do jejum intermitente são:

  • Emagrecimento rápido;
  • Diminui o mau colesterol;
  • Ajuda a reduzir à resistência a insulina;

Antes de começar a fazer o jejum intermitente você deverá consultar um médico ou nutricionista, para que ele possa te aconselhar qual a melhor forma de fazer esse tipo de jejum.


Artigos Relacionados