Tinha gosto de perfume

Postado em:

​Terça feira dia 5 de junho, foi um dia muito importante no mundo, você sabe por quê? Vou te dar um exemplo e ver se você consegue adivinhar: uma baleia-piloto morreu neste domingo na Tailândia com 80 sacos plásticos entalados em seu estômago, e esse é o maior desafio sustentável do século 21, acabar com a poluição plástica. E neste último dia 5, comemoramos o Dia Mundial do Meio Ambiente, e o assunto central é exatamente esse, o plástico!

Os números expressam melhor que as palavras o problema: cerca de 75% das 8,3 bilhões de toneladas de plástico produzidas pelo homem desde sua invenção já viraram lixo, mas somente 20% desses resíduos foram incinerados ou até mesmo reciclados de algum modo. Os outros 5 bilhões de toneladas estão espalhados por ai, contaminando solo, rios, oceanos, atmosfera e até a água mineral que compramos no supermercado (ironicamente em garrafas plásticas). Os cientistas já chamam essa, a era geológica do plástico. Por ser um derivado do petróleo, o plástico nunca se degrada 100%, ele se quebra em pedaços menores, e esse processo de decomposição leva centenas de anos, mesmo sendo eles biodegradáveis, que apenas se decompõem mais rapidamente.

A parte mais afetada do plástico no mundo, são os oceanos, já é constatado que existe mais de 5 trilhões de pedaços de plástico flutuando pelos mares, e mais 8 toneladas são despejadas no oceano todos os anos. Isso afeta diretamente os animais, apesar de já ter ouvido uma piadinha péssima dizendo: ‘Mas eu não como baleias nem golfinhos’. Pois o buraco é bem mais embaixo, além dos animais marinhos, cada ser vivo desse planeta é afetado diretamente por esse problema. Como? As partículas microscópicas dessa decomposição se misturam ao plâncton e contaminam a cadeia alimentar marinha, chegando a nós homens, com efeitos totalmente desconhecidos sobre a nossa saúde. Pode ter certeza que em qualquer lugar que você procure você vai encontrar esses microplásticos.

E não é só isso, podemos considerar também a poluição por meio das indústrias de mineração, assim como no documentário recém lançado “Tinha gosto de perfume: Barcarena e os Crimes Ambientais Impunes”, a históriade uma cidade de 99mil moradores no Pará, que enfrenta uma gravíssima crise humanitária pelos recorrentes acidentes causados por uma indústria local que produz alumínio. Entre 2003 e 2018, foram 20 acidentes que resultaram em contaminação extremamente significativa da terra, do ar e das águas. Se for dividir o tempo, seria uma contaminação grave a cada 9 meses. Um dos mais recentes foi em fevereiro deste ano, em que rejeitos transbordaram e contaminaram rios, igarapés, poços e nascentes. Essa contaminação causa constantes doenças de pele, alergias, problemas respiratórios, entre outras doenças.

Uma das atividades de subsistência mais importantes da região, a pesca, foi interrompida, por conta do sumiço dos peixes na bacia do rio Mucurupi, que tem 7km de extensão e 20 afluentes. Os contaminantes estão depositados no fundo do leito do rio, e os poucos peixes que sobreviveram, relatam os pescadores, tinham ‘gosto de perfume’, citação que inspira o título do documentário. E infelizmente esse é mais um dos inúmeros crimes impunes que estão impactando nosso ecossistema e nossas vidas, assim como a greve dos caminhoneiros, uma hora isso vai nos afetar diretamente. Mas infelizmente, a maioria das pessoas não enxergam os problemas até que de alguma forma aquilo modifique o seu dia a dia, e ai entendam que tudo que acontece no mundo também é um problema particular de certa forma.

Não é exagero e nem maluquice, se não paráramos a poluição plástica agora, em 2050 teremos mais plástico que peixes nos oceanos. Gisele Bundchen, embaixadora de várias causas a favor da preservação do meio ambiente, lançou um desafio nas redes sociais em que você marca pessoas que você ama e uma empresa com a hashtag #AcabeComAPoluiçãoPlástica , convencendo as pessoas a substituírem plásticos por itens reutilizáveis.

Vamos viver com mais cuidado e atenção, vamos tentar diminuir os números dessas estatísticas. Definitivamente, não queremos comer nenhum tipo de comida com gosto de ‘perfume’, deixe que eles cumpram somente o objetivo a que foram inventados. Recicle e substitua!


*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.​