Tecnologia Social de Ribeirão Preto é certificada pela Fundação BB

Um total de 173 iniciativas ganharam o reconhecimento e irão compor o Banco de Tecnologias Sociais

Postado em: em Cidades

Saiu o resultado da primeira fase de classificação para o Prêmio de Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil. A tecnologia social EducaVerde do Projeto EducaJovem é uma das 173 consideradas aptas a receber a certificação no ano de 2017, de um total de 735 iniciativas inscritas. O programa foi selecionado na categoria Educação. Esta é a nona edição da premiação, que tem o objetivo de levantar projetos sustentáveis que possam ser reaplicados em diversas comunidades. 

O EducaVerde é uma das ações realizadas pelo Projeto EducaJovem da Fundação Educandário “Cel. Quito Junqueira”, localizada em Ribeirão Preto. O programa desenvolve atividades para criação e preservação de espaços físicos sustentáveis, a partir da implementação de Horta Orgânica, Viveiro de Mudas, Pomar, Compostagem, Reciclagem, Coleta Seletiva do lixo, distribuição e plantação de mudas, e conscientização sobre o Meio Ambiente.

Para consolidar todas essas atividades o programa possui um plano metodológico com base na Agenda 2030 e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). “Assim, ao se pensar em ações relacionadas a sustentabilidade, o EducaVerde passa a ter um fio condutor de alta confiabilidade, onde se consegue unificar os anseios da humanidade neste início de século e a missão do Projeto”, afirma Marcos Awad, Presidente da Fundação Educandário.

Conheça o Prêmio

A triagem foi realizada por uma comissão composta pela equipe técnica da Fundação BB, que obedeceu aos critérios do regulamento para chegar às propostas selecionadas. Dentre os requisitos solicitados estavam: o tempo de atividade, as evidências de transformação social, a sistematização da tecnologia, a ponto de tornar possível sua reaplicação em outras comunidades, e o respeito aos valores de protagonismo social, respeito cultural, cuidado ambiental e solidariedade econômica. 

As propostas inscritas foram classificadas em seis categorias nacionais, das quais foram validadas 15 tecnologias na categoria Agroecologia, 27 em Água e/ou Meio Ambiente, 11 em Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital, 40 em Economia Solidária, 52 em Educação e 16 em Saúde e Bem Estar. Na categoria internacional foram classificadas 12 propostas. 

Com a certificação, as tecnologias passam a compor o Banco de Tecnologia Social (BTS) da Fundação BB, que agora conta com 995 iniciativas aptas para reaplicação. O BTS é uma base de dados online, que reúne metodologias reconhecidas por promoverem a resolução de problemas comuns às diversas comunidades brasileiras.

Para o presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Soares, a certificação de um projeto com o selo "Certificada Fundação BB" garante mais visibilidade para a iniciativa, além de fortalecer o conceito para sua reaplicação em outras localidades do país. "Nosso objetivo é melhorar a vida das pessoas através do reconhecimento e da reaplicação de tecnologias sociais que já deram certo em diversas localidades. Aproximamos a sabedoria popular ao conhecimento técnico para proporcionar o desenvolvimento social em escala", explicou. 

A próxima etapa do Prêmio está prevista para o dia 15 de agosto, com a divulgação dos projetos finalistas. Já as propostas vencedoras serão anunciadas na cerimônia de premiação, em novembro. Esta edição tem a cooperação da Unesco no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). 

Serviço:

Conheça o Projeto EducaJovem da Fundação Educandário “Cel. Quito Junqueira”:

www.educandariorp.com.br / www.facebook.com/fundacaoeducandariorp

Confira o regulamento do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social:

www.fbb.org.br/premio


Artigos Relacionados