Suspeito de usar anúncio em site para venda de carros é preso em Franca

Segundo a Polícia Civil, suspeito usava rede social para atrair compradores com dados de carros de terceiros

Postado em: em Segurança

Um homem de 32 anos foi preso na tarde da sexta-feira, 03 de agosto, em Franca, por suspeita de golpes envolvendo a venda de carros.

Quatro pessoas registraram boletim de ocorrência, mas a Polícia Civil acredita que ele possa ter feito mais vítimas.

De acordo com o delegado Dalmo Mateus Polo, Gabriel Paulo Rodrigues da Costa se passava por dono de uma loja de veículos. Ele usava os dados de carros à venda por meio do aplicativo OLX e publicava informações dos automóveis em uma rede social. “Ele levantava um comprador e um vendedor, falando que era o proprietário da garagem que queria vender o veículo e que queria ganhar uma comissão. Ele pedia que nenhum dos dois revelasse o conteúdo da negociação para não deixar que ele perdesse dinheiro”, explica Polo.

O eletricista Clériston de Souza chegou a pagar R$ 3 mil como entrada na compra de um carro. Segundo a vítima, Gabriel afirmava que o veículo era financiado e que ele teria que seguir pagando as parcelas. “Ele sumiu assim que dei o dinheiro para ele e ele falou que ia buscar o resto dos documentos no despachante. Ficou eu e o dono do carro, que foi vítima também e não estava nem sabendo. O carro dele era quitado e nem tinha dívida para pagar.”

O vigilante Rejânio Félix da Silva perdeu R$ 5,5 mil no golpe. “Ele falou que o carro era do irmão dele. Eu vim em Franca para ver o carro e fomos até o cartório reconhecer firma. Depois que ele pegou o dinheiro, ele sumiu também.”

O prejuízo do vidraceiro Juliano Felipe Machado só não foi maior porque ele preferiu reter metade do valor pedido pelo suspeito para cuidar da documentação do veículo. “Vim de Itamogi (MG) para levar a caminhonete. Ele pediu R$ 2 mil para pagar o documento que estava em atraso. Ele pediu R$ 4,5 mil, mas eu segurei metade. Viemos ao cartório e, na hora que chegou aqui, ele não apareceu mais, não ligou e bloqueou o Whatsapp.”

Ao registrar o boletim de ocorrência, Clériston contou à polícia que a funcionária de um pedágio havia cumprimentado o suspeito, quando os dois estavam a caminho de Franca para fechar o falso negócio.

Moradora de Restinga (SP), a mulher informou que o golpista tinha sido vizinho dela e que o nome dele era Gabriel. A polícia e a vítima foram até a cidade e localizaram o suspeito. “Por coincidência, passamos em frente a um bar e ali estava estacionado justamente o veículo que ele tinha utilizado para levar a vítima até o vendedor do veículo.”

O homem foi preso e levado à delegacia. Segundo o advogado dele, Gabriel alegou à polícia que estava praticando os crimes há dois meses porque precisava cuidar das filhas. “Tendo essa dificuldade, alguém ofereceu essa oportunidade fácil e ele topou. Ele confessou a prática, vai tentar ressarcir as pessoas e vai responder pelos crimes.”

A Polícia Civil já identificou o segundo suspeito e deverá pedir a prisão dos dois. Eles deverão responder por estelionato.

Em nota, a OLX informou que está à disposição das autoridades para colaborar com a investigação.


Artigos Relacionados