Saúde de Franca garante dose completa da vacina contra a febre amarela

Segundo informações da Vigilância Epidemiológica, cidade conta com estoque suficiente para a população

Postado em: em Saúde

A população do estado de São Paulo está em pânico. É que subiu para 21 o número de mortes por febre amarela silvestre no estado, segundo dados divulgados na manhã desta sexta-feira, 12, pela Secretaria Estadual da Saúde. Até quinta-feira, 11, São Paulo contabilizava 13 mortes de pessoas que contraíram o vírus.

Também foram confirmados 40 casos autóctones (quando a doença é contraída na própria cidade e não vem de pessoas que viajaram para regiões afetadas) de febre amarela silvestre no estado desde janeiro de 2017. Antes, 29 casos tinham sido confirmados. Não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942.

Por conta disso, muitos francanos começaram a procurar as unidades de saúde em busca da vacina. A preocupação é que as doses existentes na cidade não sejam suficientes. No entanto, a secretaria municipal de Saúde garante manter dentro de sua rotina, com os estoques regulares nas UBS, o programa de vacinação contra Febre Amarela, fornecendo ao usuário a dose completa com validade para o resto da vida. A informação foi transmitida pela Vigilância Epidemiológica, na manhã dessa sexta-feira, 12.

De acordo com os dados, é fornecida  a dose única a partir dos nove meses de idade até 60 anos, que garante imunidade vitalícia não necessitando dose de reforço diferentemente de anos atrás. Atualmente, a pessoa que fez uma dose na vida está imunizada. Nos municípios afetados da grande São Paulo, em virtude da situação de emergência, está sendo aplicada a dose fracionada, com validade por 8 anos.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica a vacina faz parte do calendário normal do município, assim como em outras áreas do país, diferente de regiões do estado que não tinham essa cobertura e que agora apresentaram casos com óbitos. Essas regiões são: grande SP, Vale do Paraíba e litoral.

Foi recomendada a estratégia de fracionamento da vacina, que consiste em diminuir para 0,1ml a dose padrão de 0,5ml. Essa orientação é da OMS quando há aumento de epizootias em cidades com elevado índice populacional. A dose fracionada não garante a imunidade vitalícia como a dose padrão feita em Franca. A proteção da fracionada é de 8 anos.

Como em Franca sempre teve por rotina a vacina, a cobertura é considerada excelente é o estoque assegura a proteção aos seus munícipes. A  recomendação para aqueles residentes em Franca que nunca tomaram a vacina e que forem viajar é que procurem as Unidades Básicas de Saúde que receberão a dose completa normal, não fracionada, que imuniza pra toda a vida.

Dados sobre a situação no país

De acordo com o governo estadual, os locais de infecção que resultaram em morte ocorreram nos municípios de Américo Brasiliense, Amparo, Atibaia, Batatais, Itatiba, Jarinu, Mairiporã, Monte Alegre do Sul, Nazaré Paulista, Santa Lucia e São João da Boa Vista.

Os demais casos autóctones, onde não foram registradas mortes, tiveram como locais de infecção os municípios de Águas da Prata, Américo Brasiliense, Amparo, Atibaia, Caieiras, Campinas, Itatiba, Jundiaí, Mairiporã, Mococa/Cassia dos Coqueiros, Santa Cruz do Rio Pardo e Tuiti.

Entre julho de 2016 e janeiro deste ano há registro de 2.491 primatas estavam contaminados pela febre amarela. A comprovação foi feita por meio de análise laboratorial pelo Instituto Adolfo Lutz, sendo 61,5% dos primatas mortos estavam na região de Campinas.


Artigos Relacionados