Revogação do abono dos servidores entra para lista de vacilos da atual gestão

Prêmio que variava de 5% a 30% entrou no holerith online, mas não na conta do funcionalismo

Postado em: em Política

​Muitos servidores da Prefeitura de Franca estão irritados com a atual gestão. 

Isso por conta do cancelamento do pagamento do abono por assiduidade do funcionalismo, que acrescentaria de 5% a 30% no pagamento feito aos mais de 4,5 mil funcionários públicos do município.

Mas a "culpa" pelo episódio não foi do prefeito, que até queria pagar, se dependesse dele. 

O problema é que a decisão judicial determinando o não pagamento da assiduidade é datada do dia 23 e a folha já havia rodado. 

A intenção seria pagar, uma vez que a decisão foi comunicada oficialmente após a confecção da folha. E ideia teria o aval do próprio prefeito.

Alguns holerites chegaram até a ser divulgados no sistema online dos servidores e o abono constava dos vencimentos. 

Porém, por decisão atribuída à Procuradoria Jurídica, o pagamento foi cancelado e a folha, na internet, corrigida.

Se juridicamente foi um acerto, já que evitará problemas para Gilson, politicamente,seria melhor dizer desde o começo que o abono não seria pago. 

Para os servidores, a falha é imperdoável. "Eles dizem com certa razão que muitos chegaram a fazer compromisso com o dinheiro, uma vez que apareceu no holerite pela internet. Certamente, muita gente trabalhará contra a administração", afirmou uma fonte ligada ao gabinete.

O vacilo, involuntário ou não, soma-se a outros problemas que Gilson vem enfrentando e que desgastam prematuramente sua gestão, como os projetos de regulamentação dos cargos comissionados, da suposta (e negada) venda das faculdades municipais, da saída de vários integrantes do primeiro escalão do governo, da nomeação do namorado da filha para a Assessoria de Assuntos Legislativos, da mudança das atribuições dos fiscais e das alterações na lei de parcelamento de solo. 

É muita polêmica para muito pouco tempo de governo.


  • Presidente do Sindiserv, Fernando Nascimento deverá ser questionado pelo funcionalismo sobre recuo no pagamento do abono (Foto: Sindicato dos Servidores de Franca)

Artigos Relacionados