Projetos tecnológicos participam do Desafio "Inova Paula Souza"

Etapa final da 5ª edição da competição tem 36 iniciativas de Escolas Técnicas e Faculdades de Tecnologias

Postado em: em Tecnologia

Serão conhecidos em 2018 os vencedores da 5ª edição do Desafio Inova Paula Souza de Ideias e Negócios. A competição tem o objetivo de incentivar a pesquisa aplicada e a geração de modelos de negócios, estimulando o surgimento de novas startups. Em dezembro do ano passado, os organizadores divulgaram a relação dos 36 projetos de Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais finalistas.

Os alunos participarão do evento de premiação Melhor dos Melhores, que terá o anúncio dos primeiros colocados de cada uma das doze categorias do desafio, além do melhor projeto da competição. Cada equipe terá três minutos para o “pitch”, a apresentação feita por empreendedores para vender os projetos a potenciais investidores para um grupo de jurados, composto por professores da comissão organizadora do desafio e especialistas convidados.

No fim, serão premiados os primeiros colocados de cada eixo tecnológico e, em seguida, será eleito o melhor projeto da competição. Uma das iniciativas finalistas é uma carteira escolar adaptada para canhotos, que pode ser usada tanto por quem escreve do lado direito quanto esquerdo.

Cansado de precisar se adaptar aos móveis apenas para destros, o jovem canhoto Diego de Freitas, aluno da Fatec Jahu, pensou em uma solução para permitir o uso confortável da carteira escolar. Com a ajuda dos colegas Edson Moisés de Oliveira, Carlos Henrique Bispo e Renato Fadoni, do curso superior tecnológico de Gestão da Produção Industrial, orientados pela professora Francienne Hernandes Moreira, os estudantes criaram o projeto da carteira universal.

Por meio de um mecanismo articulado instalado na parte de trás da cadeira e uma trava para apoiar o braço em ambos os lados, os estudantes desenvolveram um protótipo durante seis meses de pesquisas e testes, utilizando como modelo uma cadeira da própria Fatec. A iniciativa concorre no eixo tecnológico Produção e Processo Industrial.

De acordo com Diego de Freitas, a proposta do grupo é criar um produto com a intenção de se popularizar no mercado. “Para elaboração do protótipo, gastamos com materiais, pintura e soldagem, um total de R$ 70. Em escala industrial, esse valor poderá baixar significativamente e a carteira universal ganharia espaço como uma opção prática e acessível para as escolas”, destaca o aluno.

Inovações

Outra iniciativa é o Macrim – Mapeamento de Criminalidade, elaborado pelos alunos Joel Carlos Rodrigues Neto e Maicon Dante, orientados pelo professor Edson Oliveira, do curso de Gestão da Tecnologia da Informação, da Fatec Jahu. O projeto também concorre na etapa final do Desafio Inova, no eixo tecnológico Informação, Tecnologias e Comunicação “O Macrim é uma ferramenta de mapeamento de criminalidade que usa dados fornecidos pela população. O usuário se cadastra e reporta casos de roubos, furtos, homicídios, narcotráfico e outras ocorrências em um mapa, auxiliando a população e as autoridades de segurança pública nas tomadas de decisões”, ressalta Joel Carlos Rodrigues Neto.

A Etec de Olímpia também está representada entre os finalistas, por meio do projeto de pomada protetora solar com repelente, desenvolvida por alunos do Curso Técnico em Química, que concorrem no eixo tecnológico Produção e Processo Industrial.

“O nosso trabalho unifica a proteção oferecida pelos protetores solares contra as queimaduras à ação repelente que impedem que os insetos pousem na nossa pele. O diferencial no nosso trabalho é que usamos matérias-primas 100% naturais, oferecendo praticidade e segurança aos usuários”, explica Gustavo Capelari, integrante do projeto.

Além da pomada protetora, outro projeto da Etec de Olímpia que se inscreveu no prêmio propôs o desenvolvimento de um substrato alternativo no cultivo da cana-de-açúcar. 

“O substrato é o material usado para o desenvolvimento da muda e que substitui o solo. Atualmente, as usinas sucroalcooleiras utilizam o produto comprado. Assim, pensamos em desenvolver o material alternativo para as mudas, por meio de resíduos da própria produção de cana, resultando em custo menor do que os itens disponíveis no mercado”, avalia a professora Elaine Neves de Nadai, responsável pela iniciativa.

Prêmio

Ao todo, mais de 2,2 mil projetos foram inscritos na edição atual do Desafio Inova Paula Souza de Ideias e Negócios. Para participar, foi necessário compor uma equipe de até cinco pessoas e desenvolver um modelo de negócio na plataforma Canvas com a indicação de um mentor, orientador do grupo. Pelo menos um dos integrantes deve ser aluno, ex-aluno, professor ou funcionário do Centro Paula Souza. Também foi preciso publicar um vídeo sobre o projeto com até três minutos de duração.

As iniciativas concorrem nas seguintes categorias: Produção e Processo Industrial; Informação, Tecnologias e Comunicação; Alimentos e Produção Alimentar; Economia, Gestão e Negócios; Gestão Pública e Sociedade; Educação; Agronegócio e Pecuária; Recursos Naturais e Meio Ambiente; Saúde, Ambiente e Segurança; Turismo, Hospitalidade e Lazer; Produção Cultural e Design; e Infraestrutura.


Artigos Relacionados