Pregorexia: cresce ocorrência do distúrbio alimentar durante a gravidez

Quem tem o transtorno costuma adotar dietas com restrição de calorias e faz muitos exercícios físicos

Postado em: em Mais+

O transtorno alimentar durante a gravidez, conhecido como pregorexia, é um problema ainda pouco estudado e conhecido pela ciência. O que tem chamado a atenção em todo o mundo é o crescente número de gestantes obcecadas em manter o peso, nos últimos anos.

Segundo a nutricionista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Kátia Terumi M. Rodrigues Ushiama, é comum durante a gravidez se preocupar com a alimentação e o ganho de peso, mas o cuidado deve ser redobrado quando esse medo é excessivo.

“A pregorexia geralmente é notada durante o pré-natal, quando o médico costuma acompanhar a evolução do peso da gestante. Normalmente, as pacientes não admitem que estão se alimentando incorretamente ou provocando o vômito”, acrescenta.

A nutricionista salienta que ganhar peso durante a gestação faz parte do processo e deve ocorrer para o desenvolvimento do bebê. Segundo a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), há cálculos para a estimativa do ganho de peso durante a gestação, considerando-se o Índice de Massa Corporal (IMC) da pessoa no período pré-gestacional. Por exemplo, uma mulher com IMC entre 18.5 e 24.9, considerada dentro do peso adequado, pode engordar ente 11 e 16 quilos.

Para um cardápio saudável e equilibrado, a nutricionista recomenda a ingestão de proteínas de origem vegetal e animal, vitaminas, minerais, além de carboidratos e gorduras em volume adequado. “A hidratação também é fundamental para promover o bom funcionamento intestinal, além de colaborar para a eliminação de toxinas urinárias, já que a infecção urinária é muito grave se ocorrer nesse período”.

Doces e alimentos gordurosos são excessivamente calóricos e não trazem nenhum benefício para a gestante, portanto, a especialista não recomenda ingestão deste grupo alimentar.

Quando diagnosticada a pregorexia, Kátia Terumi M. Rodrigues Ushiama recomenda o acompanhamento psicológico atrelado ao nutricional. “Desta forma, os especialistas poderão explicar à gestante que o ganho de peso é esperado durante a gestação, além de auxiliá-la no processo”, complementa a nutricionista. 

Artigos Relacionados