Planejamento de despesas pessoais: é possível fazê-lo sem ter um salário fixo?

Com algumas dicas, é possível ter uma vida financeira saudável mesmo trabalhando sem carteira assinada

Postado em: em Mais+

De acordo com uma pesquisa desenvolvida pela Organização Internacional do Trabalho, no mundo há em torno de 2 bilhões de pessoas sem carteira assinada, cerca de 60% da população ativa no mercado de trabalho. Dentro desse cenário, realizar o planejamento de despesas pessoais e evitar dívidas sem um salário fixo pode se tornar um desafio. Por isso, o consultor Raphael Bremenkamp reuniu neste artigo dicas que provam que é possível realizar a gestão financeira mesmo sem um trabalho formal.

Dicas para fazer um planejamento de despesas pessoais sendo trabalhador informal ou freelancer

planejamento de despesas pessoais sendo freela

Ganhe ciência da sua situação financeira

A variação mensal da remuneração de um freelancer exige um cuidado redobrado com as finanças. Para começar o processo de planejamento de despesas pessoais, faça o registro dos valores recebidos e dos seus gastos nos últimos meses. Essa observação será fundamental para descobrir se o seu salário está sendo gasto de forma irresponsável ou impulsiva. Esse passo é importante para manter o mínimo de organização e acabar com a sensação de “dinheiro evaporado” no fim do mês.

Você pode realizar esse controle no Excel ou por aplicativos de celular. Atualmente, há diversas opções para gostos e perfis diferentes e é possível baixar a maioria desses serviços de forma gratuita. No blog você encontra artigos sobre os benefícios da planilha de gastos pessoais e com dicas de aplicativos para organizar as finanças.

Evite o cartão de crédito

Não é segredo que parcelar compras pode ser um alívio ou a porta de entrada para dívidas. Além de garantir uma despesa fixa por um longo período de tempo, se você não tiver o hábito de controlar mensalmente as suas finanças, não saberá se o seu orçamento mensal permitirá o pagamento daquela parcela no futuro. Então, se esse for o caso, por que não deixar o cartão de crédito um pouco de lado? Tenha preferência pelo cartão de débito e, no caso de compras grandes e extremamente necessárias, use o crédito. Entretanto, só faça a compra após certo planejamento e pesquisa de mercado.

Para gastos fixos, tenha preferência por planos de saúde e previdência, por exemplo. Treine a sua disciplina para não correr o risco de acabar com o nome sujo.

Contas separadas

Se o seu trabalho exige certa quantia para investimentos e correlatos, considere ter uma segunda conta bancária destinada apenas para os gastos dos negócios. Se você tem dificuldade para organizar o seu dinheiro, essa medida pode te ajudar a separar melhor o uso para trabalho e o uso pessoal.

Essas dicas são fundamentais para o bom planejamento de despesas pessoais, entretanto contar com uma consultoria financeira pessoal te ajudará a conquistar suas metas de forma mais personalizada e evitar dívidas. Entre em contato e resolva a sua situação financeira!


Artigos Relacionados