Partido de Engler apoia o PT no 2º turno e trai apoio de francanos antipetistas

Mais um custo eleitoral alto: Engler trairá eleitores antipetistas que lhe deram novo mandato

Postado em: em Política

​A decisão do PSB - Partido Socialista Brasileiro - de apoiar Fernando Haddad, do PT, acertou em cheio dois tradicionais políticos francanos, sempre atacados e sempre confrontantes com o Partido dos Trabalhadores (PT), que agora terão que vestir a camisa do partido esquerdista: Roberto Engler e Marco Ubiali. 

Por decisão da executiva nacional (da decisão só foram liberados os candidatos do partido que estão no 2º turno - Márcio França em SP e Rodrigo Rollemberg em Brasília) os candidatos e os eleitos do PSB deverão apoiar o candidato petista à Presidência da República, Fernando Haddad, que disputa o 2º turno com Bolsonaro (PSL). 

Assim, tanto Engler (reeleito com 69.969 votos) quanto Ubiali, que ficou na rabeira da votação (30.363) terão que dar uma verdadeira facada nas costas daqueles eleitores que escolheram os dois por opção eleitoral, principalmente motivados pelo antipetismo,que sempre causou antagonismos em eleições francanas, sejam municipais, sejam estaduais ou federais. 

Evidente que ambos - mais principalmente Engler - que foi reeleito (mesmo tendo perdido 52 mil votações em relação às eleições de 2014 - enfrentarão um natural desgaste. 

Afinal, ao apoiarem justamente aquele (Haddad) que os antipetistas olham como a encarnação do demônio, marionete de ex-presidentes como Lula (já condenado por corrupção) e Dilma Rousseff (apeada do cargo por impecheament e derrotada para eleição ao Senado em Minas Gerais), ambos (Engler e Ubiali), viram as costas a mais de 100 mil eleitores que lhe deram confiança através dos votos nas eleições do último domingo. 

Vai ser uma verdadeira comédia assistir a Roberto Engler e Marco Aurélio Ubiali distribuindo "santinhos" de Haddad, ombreado pelo corrupto Lula... 

DECISÃO PARTIDÁRIA

PSB decidiu nesta terça-feira, 9, em reunião da Executiva Nacional, apoiar a candidatura de Fernando Haddad (PT) à Presidência da República, mas deixará os diretórios de São Paulo e Distrito Federal – estados onde o partido disputa o segundo turno para o governo estadual – definirem seu posicionamento.

“O PSB acaba de aprovar uma resolução em que define o seu apoio no segundo turno da eleição presidencial ao candidato Fernando Haddad, propondo que se forme uma frente democrática contra uma candidatura que representa um extremo oposto”, disse o presidente do partido, Carlos Siqueira. Ele defendeu que o petista procure “todos os democratas, todos os nacionalistas, todos os homens e mulheres de bem que amam a liberdade e que querem a preservação da liberdade em nosso país”.

O PSB, que no primeiro turno das eleições havia aprovado, em congresso do partido, um veto a qualquer apoio a Jair Bolsonaro (PSL), rival de Haddad no segundo turno, encontrava-se entre a cruz e a espada no Distrito Federal e em São Paulo. Há o temor de desgaste eleitoral, na esteira do antipetismo, aos candidatos Rodrigo Rollemberg, no Distrito Federal, e Márcio França, em São Paulo.

Na capital federal, o capitão do Exército teve 58,8% dos votos válidos contra apenas 16,6% de Haddad. Em São Paulo, o candidato do PSL teve uma vantagem também expressiva: 53% contra 16,4% do petista.

(Caio Mignone)





Artigos Relacionados