Para continuar respirando, Talita precisa de ajuda com novo aparelho

Família iniciou campanha para arrecadar o valor para a compra do aparelho portátil

Postado em: em Cotidiano


A jovem Talita de Souza Reis, 18 anos, poderia ser uma adolescente como qualquer outra, cheia de sonhos, planos e disposição se não fosse por um detalhe: para respirar, ela precisa da ajuda de um aparelho.

Segundo sua mãe, a técnica de enfermagem Rosângela Souza, 49 anos, a filha nasceu com uma má formação congênita no coração, precisando de cuidados intensivos desde o seu nascimento.

Ainda recém-nascida, Talita foi submetida a uma cirurgia no HC de Ribeirão Preto, cidade em que continua fazendo tratamento até hoje. “Minha filha já passou por três cateterismos. Por conta do problema, ela se cansava com muita facilidade com coisas simples. Quando foi feita uma gasometria arterial, ficou constatado um percentual muito elevado de saturação, que é o nível de oxigenação no sangue por conta da respiração. Aos 14 anos, o médico que a acompanha disse que não havia mais o que pudesse se feito no caso dela além de continuar com a medicação e passar a fazer uso do aparelho concentrador de oxigênio”, diz.

Este aparelho ajuda a manter os níveis de oxigenação dos tecidos e corrige alguns problemas, reduzindo a sobrecarga cardiopulmonar.

Talita hoje depende desse aparelho para respirar. Para conseguir comprar o primeiro aparelho, que era portátil e o ideal para a filha, Rosângela teve ajuda de pessoas em Itirapuã, onde moravam até quatro anos atrás e sua mãe, avó de Talita, fez um empréstimo bancário para completar o restante da quantia. Na época, o aparelho custou cerca de R$ 20 mil.

O aparelho que Talita usa hoje é extremamente grande e pesado, que acaba não permitindo que a jovem faça atividades simples como ir à escola e até mesmo se locomover para fora da sua residência. “O aparelho é muito pesado e precisamos de ajuda para levá-lo para qualquer lugar, sem contar que ele precisa ficar ligado na tomada sempre”, fala Rosângela.

Talita entre as irmãs e o antigo aparelho portátil


Numa breve conversa com Talita por telefone, foi percebido o cansaço e a respiração ofegante apenas por falar, além do barulho do funcionamento do aparelho.

Talita, que completou 18 anos no último dia 1º de maio, queria de presente a chance de assistir a um filme no cinema. “Não pude levar minha filha pois não tinha quem ajudasse com o aparelho e no local também não tinha como mantê-lo ligado à tomada”, comentou.

Quem quiser mais informações sobre o estado da jovem Talita, quiser ou puder ajudar com qualquer quantia, pode entrar em contato com sua mãe pelo telefone (16) 99285-2516.

A família também começou a receber doações através da seguinte conta bancária: Banco do Brasil – conta poupança – variação 51 – número da conta: 4830-5 em nome de Rosângela de Souza Angelim.


Artigos Relacionados