O que a música faz por você?

Postado em:


​São tantos os depoimentos que tenho visto, ouvido, lido, mas a pergunta hoje fica para você que lê este artigo: O que a música faz por você?

Quando acessamos o Universo do Som , muitas coisas podem acontecer sem que possamos nos dar conta que foi obra das melodias que ouvimos.

Outro dia um rapaz me contou que trabalhava ouvindo Heavy Metal e percebeu que estava tendo dores estomacais, queimação e então resolveu ouvir os sambas tradicionais brasileiros, melodiosos, que trazem alegria e percebeu que seus sintomas foram desaparecendo.

O SOM ENTRA SEM PEDIR LICENÇA E ATUA!

Uma aluna um dia chegou muito tensa com vários problemas e começamos a tocar a 4 mãos uma peça de Czerny, várias páginas. Fizemos por duas vezes e quando terminamos ela disse: - “ Nossa! Como estou aliviada! O piano me tirou dos problemas!”

O SOM ENTRA SEM PEDIR LICENÇA E ATUA!

Quando a pessoa se PREDISPÕE a aceitar o som, porque também tem este detalhe – nossa mente cria boicotes – a pessoa muda a frequência e absorve o que está ouvindo porque tudo é onda, pensamento é onda, sentimento é onda, som é onda.

Uma criança bastante agitada pode perfeitamente se tranquilizar quando resolve aprender um instrumento musical e aos poucos ir centrando, aprendendo a respirar, se concentrar, observar os pequenos detalhes e com isso fazendo este ato de estudar piano por exemplo com tudo o que envolve este desenvolvimento, fazer reverberar em suas atitudes, em seu comportamento, em suas atividades diárias, em seus estudos e na vida.

Um adulto ansioso – e vemos que a maioria hoje em dia sofre com isso – que consegue ouvir as instruções para os estudos, aceita, acolhe e pratica, vai percebendo a mudança que ocorre dentro de si mesmo. Em casa, quando se senta ao piano e vai tocar, muda a frequência na hora. Se existe ansiedade, ela ameniza, se existe tristeza, ela se dissipa, se existe raiva pode desafogar no piano. São tantos os benefícios que ouço as pessoas relatarem que se pudéssemos oferecer este estudo sistemático, atencioso, detalhista a todas as pessoas, teríamos seres humanos mais centrados e felizes.

Passeando pelas redes sociais vejo aquele exagero de convite à beleza externa, isso faz com que as pessoas não se aceitem e tentem modificar o externo cada vez mais, para que sejam aceitas pela sociedade por algo que aparentem ser.

Já passou da hora de priorizarmos o que somos, conhecermos quem somos, desenvolvermos habilidades e competências que nos tragam saciedade de alma! O estudo do instrumento oferece isso.

A superficialidade, o efêmero só traz danos à alma!

E te pergunto : o que a música faz por você?

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.