MP cumpre mandados contra suspeitos de fraudar contratos de coleta de lixo

Operação Purgamentum investiga irregularidades em coleta urbana e fraudes em licitações de lixo

Postado em: em Política

Agentes do Ministério Público estão nas ruas na manhã desta quinta-feira (9) cumprindo 15 mandados de prisão, 44 de busca e mais 11 de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento, nas regiões de Ribeirão Preto (SP) e Passos (MG).

Em Ribeirão Preto, foram presos o empresário Jorge Saquy Neto, dono da Seleta, responsável pela coleta de lixo em Franca, e Fernando Gonçalves de Oliveira, funcionário da empresa. Eles foram levados à Central de Flagrantes.

A Operação Purgamentum apura fraudes em contratos públicos de coleta de lixo. 

Em nota, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Ribeirão informou apenas que “foram detectadas suspeitas de irregularidades em serviços de coleta urbana”.

Ainda de acordo com o Gaeco, supostas fraudes em licitações de coleta de lixo também são investigadas. 

O MP confirmou ainda que mandados são cumpridos em Batatais (SP), Monte Alto (SP), Patrocínio Paulista (SP), Sumaré (SP) e Paulínia (SP), onde o prefeito Dixon de Carvalho (PP), secretários municipais e vereadores foram alvos de condução coercitiva.

O ex-prefeito de Passos, Ataíde Vilela, também foi preso. 

Outros oito mandados de prisão preventiva e 12 de busca e apreensão estão sendo cumpridos no município.

Segundo apuração da EPTV, afiliada da Rede Globo, foram presos o engenheiro Mateus Dutra Munoz, em Patrocínio Paulista, e Cláudio Isalino, em Batatais. 

Ambos são funcionários de empresas de coleta de lixo. Após prestarem depoimento no 3º DP de Franca, eles serão levados à cadeia do município.

O comunicado do Gaeco informa que a investigação teve início na 7ª Promotoria de Passos e que os mandados foram expedidos pela Justiça do município mineiro, e também de Ribeirão. 

A Operação conta com apoio das polícias Civil e Militar.


Artigos Relacionados