Xylitol substituindo o açúcar

Postado em:

Xilitol ou xylitol é um álcool de xilose e é naturalmente encontrado em cogumelos e em algumas frutas e vegetais. Considerado um adoçante natural, a sua utilização é realizada desde a década de 60, na Finlândia. Seu uso apresenta grande relação com a prevenção de cáries, afinal não apresenta sacarose e não é fermentado por bactérias causadoras da cárie. Além disso, é capaz de previnir a otite média aguda, uma infecção bem comum em crianças.

O xilitol apresenta uma absorção lenta e pode ser muito útil no tratamento do Diabetes Mellitus. De baixo valor calórico, também pode ser inserido em uma dieta para perda de peso. Mesmo que seja absorvido de maneira lenta, ele é apenas parcialmente absorvido e por isso pode ser fermentado por bactérias probióticas residentes em nosso intestino. Este processo de fermentação é capaz de produzir, como produto final, ácidos graxos de cadeia curta – butirato, proprionato, acetato – que apresentam um papel essencial na saúde intestinal, além de auxiliarem na promoção da sensação de saciedade e reduzir a ingestão calórica.

E acredite se quiser, o xilitol pode participar do tratamento da osteoporose, pois é capaz de aumentar a absorção de cálcio pelo nosso intestino e assim contribuir para um aumento da massa óssea.

O xilitol pode ser utilizado em preparações culinárias, onde uma colher de chá equivale ao poder adoçante de uma colher de chá de açúcar. Vale ressaltar que recomenda-se que o seu consumo não ultrapasse 50 g/ dia, pois ele é capaz de reter água e causar diarreia – demonstrando também um efeito laxativo. E fique atento, algumas pessoas apresentam sensibilidade ao xilitol, podendo apresentar muitos gases quando consumido de maneira contínua.

Contato:

E-mail: [email protected]

Tel. 35 99991-6179​​​​​

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. 

Tudo que você precisa saber sobre o Glúten

Postado em: - Atualizado em:

O glúten parece ser o vilão da vez. Não é difícil encontrar por aí adeptos de uma dieta que o exclui. Mas, afinal, qual é a definição de glúten e de onde vem a sua má fama? Há razão para cortar o seu consumo?

“O glúten é uma proteína presente em cereais, como o trigo, a aveia, a cevada e o centeio”. É essa proteína que garante a elasticidade e a estabilidade de pães, tortas e bolos, por exemplo.

Diferentemente do que diz o senso comum, o glúten não faz mal a todas as pessoas“Não há nenhum estudo cientifico que comprove que indivíduos saudáveis devam restringir o consumo de alimentos com glúten”. O que provoca confusão é que a proteína está presente em alimentos mais calóricos e uma dieta que os exclui pode contribuir para a perda de peso. “A maior parte dos alimentos com glúten são, geralmente, feitos com farinha de trigo branca (pizza, pães, biscoitos, bolos), que apresentam um alto índice glicêmico e podem levar ao ganho de peso, além de favorecer o surgimento de doenças crônicas não transmissíveis, como a diabetes e a obesidade”. O segredo não é simplesmente evitar o glúten, mas preferir alimentos integrais em vez daqueles preparados com farinha de trigo branca.

O que poucos sabem é que cortar o glúten pode custar caro – literalmente. Se a sua intenção é reduzir o peso corporal, a dica é realizar uma reeducação alimentar, não eliminando, mas sim diminuindo a ingestão de alimentos mais energéticos e fazendo escolhas mais saudáveis. Como?

• Varie os carboidratos: tenha em sua alimentação diversas fontes de carboidratos, como os tubérculos (batata, mandioca, cará, batata doce), quinua real, milho, amaranto, trigo integral e aveia.

• Aumente a ingestão de outros grupos: preste atenção se você também consome cereais integrais, frutas, legumes, verduras e proteínas magras. Assim, você evita apoiar sua alimentação excessivamente nos carboidratos.

• Beba água e fracione suas refeições: esquecer esses tópicos pode ser um dos maiores erros dos indivíduos que querem manter o peso saudável, afirma Paula.

Doença celíaca e sensibilidade ao glúten

“Não deixe de lado as fontes energéticas. Elas são essenciais para manter a saúde e o equilíbrio do organismo. Podem até auxiliar na perda e manutenção de um peso saudável”.

Estes são os casos em que a exclusão e a redução do consumo do glúten são especificamente recomendados:

sensibilidade ao glúten é uma resposta não imediata do organismo, ou seja, a pessoa exposta ao glúten desenvolve algum distúrbio em longo prazo, cronicamente. Estes são inflamações sistêmicas, doenças autoimunes (tireoidite de hashimoto, diabetes tipo I, hepatite autoimune), dores de cabeça, abdominais e até fadiga crônica. Nestes casos, excluir temporariamente o glúten da dieta diminui esses sintomas. Depois, é possível até mesmo que a pessoa volte a tolerar a proteína mal digerida.

Já a doença celíaca é uma reação imunológica ao glúten. Partículas dessa proteína, como a gliadina, presente no trigo, não são digeridas corretamente pelo corpo. Elas atravessam as paredes do intestino e causam uma grave inflamação. A doença é incurável e solução é a exclusão do glúten da dieta.

Contato:

E-mail: [email protected]

Tel. 35 99991-6179​​​​​

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. 

Como os alimentos podem combater o inchaço!

Postado em:

Você chega em casa após um dia longo e percebe que os tornozelos ficaram marcados pelas meias? Este é um sinal de inchaço, popularmente conhecido como “retenção de líquidos”, que pode acontecer em diversas partes do corpo.

O edema – termo médico para o inchaço – acontece quando um líquido pobre em proteínas do sangue extravasa dos vasos sanguíneos e vai para o tecido subcutâneo. Por isso, a pele pode ficar com aspecto inchado e brilhante, sendo facilmente comprimida por roupas, acessórios ou mesmo nossos próprios dedos.

Para evitar o surgimento de inchaço é essencial manter o equilíbrio de todos os líquidos do nosso corpo – afinal, mais de dois terços dele é composto por água. E é aí que uma alimentação adequada pode se tornar uma grande aliada.

Alguns alimentos podem favorecer o acúmulo de líquido no corpo, como o próprio sal que adicionamos na nossa comida, além de alimentos ricos em sódio, a exemplo dos embutidos e conservas. “Refrigerantes e doces, que possuem muitos açúcares, também desempenham um papel na retenção de líquidos”. Por isso, devem ser consumidos em moderação.

Já outros alimentos atuam de forma oposta e podem colaborar para regular os líquidos que entram e saem do nosso organismo. “Abacaxi, melão, melancia, alface e pepino estão nessa lista. Beber bastante água também mantém esse sistema funcionando bem”.

Além disso, há alguns alimentos que possuem propriedades diuréticas, isto é, favorecem o aumento do fluxo urinário e a eliminação do excesso de sódio e potássio do corpo. “O chá verde, o hibisco e o gengibre são alguns exemplos”.

Cuidados importantes

O consumo de chás diuréticos não pode ultrapassar a quantidade de água que você bebe no dia. “Sempre prefira beber mais água que outras bebidas”, “pois é importante não abusar desses alimentos para não sobrecarregar os rins – um cuidado válido principalmente para pessoas com histórico familiar ou algum problema já diagnosticado”.

É bom lembrar ainda que, embora todos esses cuidados com a alimentação sejam úteis, você deve ir ao médico regularmente para acompanhar sua saúde. “Quando o inchaço é muito visível e frequente, é importante manter em dia os exames de rotina para ver se não há nenhum problema hormonal ou renal envolvido”.

Receitinha de Suchá Diurético

  • 1 maçã inteira
  • 400ml de chá de cavalinha (feito em infusão)
  • 1 fatia de abacaxi
  • 1 lasca de gengibre

Bater todos os ingredientes em um liquidificador e beber durante o dia.

Contato:

E-mail: [email protected]

Tel. 35 99991-6179​​​​​

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. 

Cuidados com a alimentação para diminuir gordura no fígado

Postado em: - Atualizado em:

Seguir regularmente uma boa alimentação é o ideal para diminuir a gordura no fígado, uma das melhores e mais saudáveis formas de tratar e eliminar os sintomas de gordura no fígado, como perda do apetite, dor abdominal do lado direito, barriga inchada e enjoo, por exemplo.

A dieta para gordura no fígado não tem como objetivo curar a doença, mas evitar que ela piore. Assim, na dieta para gordura no fígado é recomendado:

  • Evitar ao máximo o consumo de alimentos ricos em gorduras, como pizzas, sanduíches, queijos amarelos e condimentos;
  • Eliminar o consumo de qualquer bebida alcoólica;
  • Dar preferência ao consumo de alimentos saudáveis, como frutas, legumes, verduras, carnes brancas grelhadas;
  • Adicionar somente 1 colher de café de azeite na salada, depois de pronta;
  • Beber bastante água entre as refeições;
  • Comer alimentos ricos em fibras diariamente;
  • Eliminar da alimentação: queijo amarelo, requeijão, chocolate, biscoito amanteigado, produtos de pastelaria em geral, enchidos e embutidos, como linguiça, salsicha, bacon e mortadela, maionese, manteiga e margarina.

Os melhores alimentos para o fígado são os legumes e frutas, leite desnatado, mel, arroz, macarrão, carnes magras, ovos, gelatina e queijo branco.

É importante comer a cada 3 horas, mesmo que não tenha fome. Não ter fome após 3 horas significa que comeu demais na refeição anterior e isto também precisa de ajuste.

Ao seguir corretamente esta dieta, é possível eliminar boa parte da gordura abdominal e do interior do fígado em, aproximadamente, 2 meses.

Mas, para melhores resultados, recomenda-se fazer algum tipo de atividade física com regularidade.

Contato:

E-mail: [email protected]

Tel. 35 99991-6179​​​​​

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. 

Acne e sua relação com açúcar

Postado em:

A acne possui causa multifatorial: algumas pessoas têm maior predisposição genética, em outras a acne pode surgir devido a desequilíbrios hormonais ou períodos de grande estresse.

Outro fator que pode contribuir para o desenvolvimento ou piora da acne é a alimentação inadequada. O consumo excessivo e frequente de alimentos ricos em açúcares, carboidratos refinados em geral provocam picos de insulina a todo instante, e as nossas glândulas sebáceas respondem a esses picos utilizando todo esse excesso de glicose para produção de mais gordura. Essa gordura acumula-se nos poros da pele e então a acne aparece.

É muito comum ouvirmos pessoas dizerem que “não podem comer nada gorduroso porque dá acne ou piora”, mas o culpado nessa história muito provavelmente não é a gordura, e sim o excesso de açúcar.

Existem alguns alimentos que podem ser incluídos na sua alimentação diminuir as espinhas que são:

  • Grãos integrais: arroz integral, macarrão integral, farinha integral, quinoa, aveia;
  • Ômega-3: sardinha, atum, salmão, linhaça, chia;
  • Sementes: chia, linhaça, abóbora;
  • Carnes magras: peixes, frango, lagarto, patinho e lombo suíno;
  • Vitamina A: cenoura, mamão, espinafre, gema de ovo, manga;
  • Vitamina C e E: limão, laranja, brócolis, abacate.
  • Além de uma boa hidratação com aproximadamente 2,5 litros de agua ao dia.

Se você sofre com as espinhas, observe a forma como tem se alimentado e procure um nutricionista para te orientar.

Contato:

E-mail: [email protected]

Tel. 35 99991-6179​​​​​

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. 

Como controlar a hipertensão com uma alimentação saudável?

Postado em: - Atualizado em:

Está de olho na pressão arterial?

A hipertensão é a condição clínica de quem tem índices superiores à medida de 14 por 9. Na prática, a pressão alta, como é popularmente conhecida, ocorre quando há um estreitamento das artérias, que passam a oferecer resistência para a passagem do sangue bombeado pelo coração.

Hábitos saudáveis podem evitar o agravamento deste quadro e impedir que ele se transforme em fator de risco causando outros males, como insuficiência cardíaca, doença renal crônica e acidente vascular cerebral (AVC). Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a pressão alta é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal.


Segundo o Ministério da Saúde, são as mulheres que mais sofrem com a doença: 25,4%. Entre os homens, o índice é de 19,5%. Na população adulta, a doença já atinge 22,7% e no grupo com mais de 60 anos, considerando ambos sexos, a incidência supera 50%.
Além do fator genético e do avanço da idade, a hipertensão também está relacionada à obesidade, diabetes e intolerância à glicose, popularmente conhecida como pré-diabetes. O estilo de vida é também é determinante: sedentarismo, estresse, tabagismo, consumo exagerado de sal e álcool também são vilões do coração.


A boa notícia é que a alimentação saudável pode ajudar quem não quer sofrer com os efeitos da hipertensão. Um passo importante é ficar de olho no consumo de sódio. O brasileiro consome, em média, 11,4 gramas da substância ao dia, muito acima dos dois gramas indicados para quem precisa reduzir a pressão arterial.  

 O sódio é um mineral importante para manter o equilíbrio entre a quantidade deágua dentro e fora das células, evitando a sobrecarga dos vasos. O problema acontecequando há um consumo excessivo, que contribui para o aumento no volume desangue e, consequentemente, na força exercida nos vasos.

Outra recomendação é ter cuidado na seleção e preparação dos alimentos. A dica aqui é cozinhar com o mínimo de sal, priorizando outros tipos de tempero, como alho,cebola, ervas, especiarias, limão e vinagre, por exemplo. O hipertenso também devedar preferência para o consumo de frutas, legumes e verduras, alimentos ricos em fibras, como os cereais integrais e evitar frituras.

Alimentos para incluir na dieta


Carnes magras: Uma das principais necessidades dos hipertensos é diminuir oconsumo de gordura de origem animal. Carnes vermelhas com cortes mais magros, frango sem pele e peixe possuem menor teor de gordura saturada, colesterol e gordura total. Devem ser consumidos assados ou grelhados.


Leite e derivados magros: Ainda de olho no consumo de gordura de fonte animal, leite, queijos, iogurtes e outros derivados devem ser consumidos em versões desnatadas ou com teor de gordura reduzido, sendo ótimas alternativas para quem está atento à hipertensão. Ricos em cálcio, proteína e vitaminas, esses alimentos também contribuem com o equilíbrio da microflora intestinal.

- Oleaginosas: Castanhas, nozes e amêndoas e outras oleaginosas são ricas em gorduras de boa qualidade, que reduzem o colesterol e atuam como antioxidantes.Com moderação, elas são ótimas para o lanche da tarde.

- Óleos vegetais: Os óleos vegetais insaturados – como azeite, soja, milho e canola –são associados à diminuição dos níveis de colesterol total do sangue, atuando principalmente na redução do colesterol ruim, o LDL. Aposte nesta substituição simples.

- Alho: Quando é preciso reduzir o sal, os temperos são ótimos para turbinar o sabor dos pratos. Neste caso, o alho funciona como um agente duplo já que é fonte dealicina, um componente bioativo associado à discreta redução da pressão arterial.

- Chocolate amargo: Não consegue resistir ao chocolate? Uma aposta segura são as versões com alto ter de cacau. As variações a partir de 70% são as mais indicadas, isso porque têm alta concentração de polifenóis, importantes para reduzir a pressão arterial.

Frutas, legumes e verduras, além de cereais, pães e massas produzidos a partir de grãos integrais são importantes fontes de fibras, vitaminas e minerais e ajudam a deixar as refeições mais completas e longe das gorduras saturadas. 

Contato:

E-mail: [email protected]

Tel. 35 99991-6179​​​​​

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. 

Melhores Sucos para combater a anemia

Postado em:

Os sucos de frutas cítricas e vegetais folhosos de cor verde escura são excelentes para curar a anemia ferropriva porque são ricos em ferro e vitamina C, que ajuda a absorver melhor o ferro.

Estes sucos podem ser ingeridos diariamente mas não devem ser a única forma de tratamento, sendo importante também o consumo diário de alimentos ricos em ferro como bife de fígado, carne de vaca, vegetais verde escuros e gema de ovo.

Receitas de sucos para curar anemia

Estas receitas devem ser ingeridas logo após o seu preparado para evitar a oxidação da vitamina C.

Ingredientes do suco

Modo de preparo

Abacaxi + salsinha

Bater no liquidificador: 3 rodelas de abacaxi + 1/2 xíc. de salsinha + 1/2 copo de água

Laranja + espinafre

Bater no liquidificador: 1 xíc. suco de laranja + 1/2 xíc. folhas de espinafre

Laranja + agrião + morango

Bater no liquidificador: 1 xíc. agrião + 1 copo de suco de laranja + 6 morangos

Limão + couve + brócolis

Bater no liquidificador: suco de 2 limões + 2 folhas de ouve + 1 ramo de brócolis

Abacaxi + cenoura + espinafre

Bater no liquidificador: 7 folhas de espinafre + 3 cenouras + 1/2 abacate + 1 copo de água

Laranja + damasco + capim limão

Bater no liquidificador: 6 damascos + 1 laranja + 1 talo de capim limão

Maracujá + salsinha

Bater no liquidificador: 1 maracujá grande + 1 copo de água + 2 colheres de salsinha

Laranja + cenoura + beterraba

Bater no liquidificador: 6 laranjas + 1 beterraba + 1 cenoura

Acerola + couve

Bater no liquidificador: 10 acerolas + 1 folha de couve + 1/2 copo de água

Ao consumir 1 destes sucos por dia os sintomas da anemia como tontura, fraqueza e palidez, tendem a desaparecer. No entanto, o tratamento para anemia também pode ser feito com medicamentos, como o sulfato ferroso, no caso da anemia ferropriva.

Os sucos não dispensam orientação Nutricional e Médica.


Contato:

E-mail: [email protected]

Tel. 35 99991-6179​​​​​

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. 

10 Estratégias Nutricionais para o seu dia a dia

Postado em: - Atualizado em:

Vamos nos organizar melhor, cuidar da nossa alimentação e saúde?! Para isso precisamos fazer escolhas alimentares eficientes. Aqui irei mencionar 10 dicas ou reflexões para auxiliar na tomada de decisão e planejamento alimentar.

  • Qual será seu café da manhã amanhã? Organize o que puder no dia anterior para não fazê-lo correndo e sente-se para fazer sua refeição! Nada de café da manhã em pé, sente-se.
  •  Não faça dieta e sim, mude seus hábitos. Mudar hábito não é simples, mas se não começar não haverá mudanças;
  • Escolha pelo menos três refeições para concentrar fotoquímicos benéficos. Você pode tomar chá! É simples, barato e eficiente. Se não gostar quente faça gelado;
  • Tente reduzir o consumo de açúcares e adoçantes. Mudanças como essa além de melhorar a carga glicêmica, podem auxiliar na modulação da microbiota intestinal;
  • Faça um ótimo lanche da manhã e da tarde. Esse é o segredo do sucesso na alimentação. Quando não são bem feitos você pode exceder a quantidade no almoço ou no jantar;
  • Diminua o consumo de sódio e não compre nada com gordura trans;
  • Não faça restrição seguida de compensação! Moderação é a palavra sempre!
  •  Você deve visualizar seu dia alimentar por completo! Não pode chegar às 18h e se perguntar "o que vou comer agora?". Isso é falta de planejamento!
  •  Durma bem, durma cedo!
  • Procure um nutricionista, faça um planejamento individualizado. Invista em você.

  • Contato:

    E-mail: [email protected]

    Tel. 35 99991-6179​​​​​

    *Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. 

Por que devo comer “Fibras”

Postado em: - Atualizado em:

O processo de digestão é fundamental para disponibilizar os nutrientes necessários ao nosso corpo. Sendo assim, o que resta quase sempre é fibra dietética que pode ser solúvel ou insolúvel.


O papel da fibra, quando solúvel, é dissolver-se na água, em nosso sistema digestivo, formando uma substância semelhante a um gel. E a principal função é retardar a passagem dos alimentos através do nosso intestino. Dessa forma, ele pode absorver os nutrientes da melhor forma possível.

Já a fibra insolúvel aumenta o volume do alimento, encorajando-o a passar mais rapidamente. O que é ideal para quem tem digestão lenta ou constipação.

Alguns motivos para comer Fibras:


Redução do colesterol: A fibra solúvel se liga ao colesterol, conduzindo-o para fora do corpo antes que possa danificar as artérias.

Retardo da absorção de açúcar: Quantidades suficientes de fibras fazem com que o açúcar entre na corrente sanguínea mais lentamente, diminuindo as demandas de insulina.

Prevenção de cálculos biliares e pedras nos rins: Picos de insulina tornam o corpo propenso a desenvolver cálculos biliares ou cálculos renais. Como as fibras ajudam a diminuir as demandas de insulina, consequentemente atua na prevenção de cálculos renais.

Melhora da saúde digestiva: Uma dieta rica em fibras ajuda o seu aparelho digestivo a funcionar mais eficientemente. Ou seja, seu cólon se mantém saudável, o que ajuda a evitar condições como diverticulite (quando pólipos no cólon se tornam inflamados) e síndrome do intestino irritável.

Ajuda no gerenciamento do peso: Alimentos ricos em fibras levam mais tempo para se mastigar e podem lhe satisfazer mais rapidamente. Isto é, você se sente mais cheio com menos calorias.

Contato:

E-mail: [email protected]

Tel. 35 99991-6179​​​​​

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. 

Quinoa e Linhaça uma combinação saudável!

Postado em:

Cada vez mais populares e incorporados ao cardápio daqueles que buscam uma alimentação mais saudável, a quinoa e a linhaça são os grãos do momento. E não é pra menos! A quinoa é rica em fibras e nutrientes, além de possuir grande quantidade de vitaminas e minerais como ferro, fósforo, cálcio, vitaminas B1, B2 e B3. Possui ainda vitaminas C e E em menores quantidades.

A quinoa também melhora a imunidade, a memória, a recuperação dos tecidos e ainda previne de doenças como câncer de mama, osteoporose e problemas cardíacos.

A linhaça é um alimento rico em substâncias funcionais como ômega 3, ômega 6 e gorduras monoinsaturadas, que juntas ajudam a diminuir o apetite, regulam o intestino, protegem o coração e combatem o mau colesterol (LDL). É adorado pelas mulheres por ser fonte de lignana, uma substância que ajuda a amenizar o incômodo provocado pela TPM e pela menopausa.

Há diversas formas de combinar esses grãos no dia a dia: em saladas, pães, massas e com iogurtes e frutas.

Contato:

E-mail: [email protected]

Tel. 35 99991-6179​​​​​

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras. ​