68º. Dia de Lives musicais incríveis

Postado em: - Atualizado em:

Acredito que nunca tivemos tantas oportunidades de assistir músicos com tamanho gabarito, no conforto de nossas casas como estamos tendo agora.

O que me chama a atenção é que os palcos do mundo inteiro foram fechados. Grandes salas de concertos, Teatros magníficos, Anfiteatros exuberantes agendados com os melhores instrumentistas da nossa era, fechados!

Quando quero pensar em reclamar do meu mundinho que mudou, olho pra fora e vejo o que aconteceu com todos eles. De repente, grandes maestros que dedicaram sua vida inteira à música, à regência, ao estudo de um instrumento musical, agora não podem reger, porque todos estão Em Casa!

Os grandes shows sempre encontram uma saída, a música popular se reinventa de uma forma ou de outra, todos estamos passando por dificuldades, é claro, mas pense em quem dependia do palco, exclusivamente do palco...

Fico imaginando a Sala São Paulo, onde eu gostaria de estar todos os dias bebendo de tudo o que apresentam naquele lugar maravilhoso... Fechada!

Vi um post de uma organizadora de Concertos, que tem uma agência na Suiça, lamentando o cancelamento de um super evento revelando um talento ímpar por estes dias. Foi o lugar onde fiz um excelente e inesquecível curso de verão, em Samedan, Alpes Suíços. Tudo completamente fechado. Quanta tristeza meu Deus! E ao mesmo tempo quanta mudança!

Os mestres daquele local começaram a estudar músicas novas e postando no Facebook, hummm que presente! O que antes era para alguns poucos, agora é para todos. Não existe divisão. Os que quiserem tem acesso. Só não tem se não quiserem, porque está ali para todos! Se antes, fazíamos um enorme esforço para frequentar estes cursos pela distância, pelo gasto, por todas as dificuldades, de idioma, etc agora estão ali grande parte dos momentos vividos neles. Então, agora não se pode dizer: - como você tem sorte de poder assistir a estes concertos! Não. Primeiro que não foi sorte, foi desprendimento, economia, viver por muito tempo com o básico do básico para poder ir, desapego dassimples e pequenas mordomias por muito tempo. Segundo, que agora está para todos. Não se tem desculpas mais que não pode ir por este ou aquele motivo. Está para todos. É só buscar. Está ali na preciosa internet que nos traz tudo nas mãos.

Em Franca, as lives maravilhosas que temos visto de músicos talentosíssimos, os quais confesso, eu nem conhecia. Também não vê quem não quer. Anúncio de 3,4,5 lives por semana de todos os gêneros musicais, grupos fantásticos, solos fantásticos, músicos que agora podem ser vistos. Mais uma vez digo: não há desculpas. Não vê quem não quer.

E no youtube, a quantidade de músicos que resolveram repartir seu talento postando vídeos os mais variados nesta quarentena... Muito obrigada a todos que se dispuseram a fazer isso por nós, que presos em casa podemos ainda degustar desse carinho para a alma e os ouvidos!

Isso, sem contar os inúmeros vídeos antigos que o pessoal começou a buscar e postar: Tom Jobim, Elis, e tantos outros maravilhosos da década de 70, 80. Muita coisa boa de verdade!

Veja este do último sábado de Tunico Magno:

https://www.facebook.com/matheuserosaria/videos/998963453833812/

Agora esta gravação do youtube de Beto Eliezer, que cabe tão bem a reflexão para este momento COVID 19, numa interpretação tão linda:


E ainda esta , no Instagram, da Hochschule für Musik Franz Liszt onde tive a grande oportunidade de fazer curso por 3 vezes:

https://www.instagram.com/p/CAM62K5A-eR/?igshid=jl2qernd31eu&fbclid=IwAR3l5PCBgBHWv9BADL2cCUQYNHJLFp3OS6qs3ksRjsXfnQIvn6c962vy-eg

Quem procura, acha! Procure e vai encontrar preciosidades, verdadeiras jóias no mundo digital !

Boa escuta!

LIBERDADE!

Postado em: - Atualizado em:

Em dias de total confinamento, eu por exemplo estou há 65 dias completamente confinada, aguardando, esperando, refletindo, lendo, me atualizando, vendo lives, notícias e tentando separar fakes de realidade, fazendo cursos de aprimoramento pessoal, leitura facial, técnicas de relaxamento, autoconhecimento, estudando sobre frequências sonoras e por aí vai...

E então, depois de estudar, estudar, estudar, ler e ler muito, me faço a pergunta: o que mais me incomoda em tudo isso? E chego a uma simples resposta: - a falta de liberdade!

Liberdade para sair de casa normalmente! Que preciosidade que não dávamos valor!

Liberdade para conversar com uma pessoa sem máscara, sem medo! Antes, tínhamos medo das máscaras emocionais e tentávamos decifrar se havia mentira na conversa através de ‘ máscaras’ comportamentais. Hoje as máscaras ajudam a esconder mais.

Liberdade para ir ao Supermercado, Farmácia, Varejão, fazer caminhada, ir à casa de alguém, direito de ir e vir...

Liberdade para pensar o que quiser e poder falar sem que atirem pedras, acusações e impropérios, quando tentamos apaziguar. Não se pode mais querer a paz porque se é taxado de que ‘ está em cima do muro’, não tem opinião, não se posiciona. Enfim, tem que entrar com armas na guerra e sair atirando. Perdeu-se a LIBERDADE de analisar, ponderar, esperar, mesmo porque não temos nem a caneta nas mãos para decidir, nem conhecimento suficiente de Medicina( aliás até os médicos estão perdidos) , para podermos nos ‘ posicionar’.

Liberdade para sermos o que somos: um país livre! Um país laico!

E neste emaranhado de sentimentos, sensações, opiniões, esta guerra pelo poder que começa lá em cima e vai se disseminando pelas redes sociais porque todos querem opinar e terem razão, e se há discordância começa uma verdadeira chuva de ofensas.

QUE POSSAMOS TER NOSSA LIBERDADE DE VOLTA, MESMO DENTRO DE CASA, MESMO OBEDECENDO ÀS REGRAS, MAS QUE A LIBERDADE DE PENSAMENTO IMPERE.

E por falar em imperar, vejo claramente a máxima do Império Romano nos dias atuais: DIVIDIR PARA IMPERAR !

Deixo aqui o nosso Hino da Proclamação da República com o intuito de lançarmos a reflexão sobreliberdade!

EM CASA :

Hino da Proclamação da República

Música de Leopoldo Miguez

Letra de Medeiros e Albuquerque

Seja um pálio de luz desdobrado
Sob a larga amplidão destes céus
Este canto rebel, que o passado
Vem remir dos mais torpes labéus!

Seja um hino de glória que fale
De esperanças de um novo porvir!
Com visões de triunfos embale
Quem por ele lutando surgir!

Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz

Nós nem cremos que escravos outrora
Tenha havido em tão nobre País
Hoje o rubro lampejo da aurora
Acha irmãos, não tiranos hostis

Somos todos iguais! Ao futuro
Saberemos, unidos, levar
Nosso augusto estandarte que, puro
Brilha, ovante, da Pátria no altar!

Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz

Se é mister que de peitos valentes
Haja sangue em nosso pendão
Sangue vivo do herói Tiradentes
Batizou neste audaz pavilhão!

Mensageiro de paz, paz queremos
É de amor nossa força e poder
Mas da guerra, nos transes supremos
Heis de ver-nos lutar e vencer!

Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz

Do Ipiranga é preciso que o brado
Seja um grito soberbo de fé!
O Brasil já surgiu libertado
Sobre as púrpuras régias de pé

Eia, pois, brasileiros avante!
Verdes louros colhamos louçãos!
Seja o nosso País triunfante
Livre terra de livres irmãos!

Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade

Dá que ouçamos tua voz!

A MÚSICA E O COVID

O que não te contaram

Postado em: - Atualizado em:

Vou tentar resumir alguns relatos de acontecimentos durante a quarentena do COVID-19 e a música, o estudo de um instrumento e as reações das pessoas.

Primeiramente houve um desespero geral dos músicos. E agora? Tiraram meu palco! Realmente foi apavorante para quem contava com aquele dinheiro do couver artístico ou da apresentação no barzinho uma vez ou duas na semana para quitar suas contas. Nesse desespero alguns agiram mais rápido, outros tentaram digerir o que estava acontecendo para poder agir, outros saíram desesperados querendo mostrar sua música, outros silenciaram e aguardaram o recado do momento para isso, outros saíram oferecendo aulas de instrumentos os mais variados, de performances, de ‘ milagres’ na música... Foi uma corrida insana para ganhar R$29,90 por mês para formar uma turma online e ganhar um dinheiro.

As pessoas se preocupam com o vendedor de picolé, mas certa vez um vendedor de picolé disse que conseguia tirar mais de um salário mínimo por mês e ainda fazia caminhada exercitando e passeava pela cidade e conhecia muitas pessoas e o ritmo da cidade, onde tinham crianças que ele buzinaria mais, onde tinham os fregueses certos que ele passaria e buzinaria até ouvirem, enfim... É um vendedor ambulante. E tendo que parar de vender, não ganharia seu salário mínimo mensal ou menos ou mais.

E o músico?

Não poderia sair tocando nas ruas porque é preciso alvará para fazer isso.

Não poderia cobrar para as pessoas ouvirem sua performance online.

Como ele faria? Então, viu-se uma chuva, eu diria tempestade de aulas online prometendo o céu para as pessoas aprenderem a tocar um instrumento. Inicialmente fiquei penalizada ao ver o desespero, depois achei bacana porque descobriram o valor do professor e muitas pessoas poderiam aprender um instrumento online das formas mais variadas possíveis. Mas depois veio a preocupação: o barato sai caro. Alguns sem formação, improvisando aulas, oferecendo preço baixíssimo, mas também qualidade baixíssima, didática nenhuma. Mas o povo sabe disso? Como saber se o que está oferecendo tem qualidade ou não?Isso NÃO TE CONTARAM.

Vi num post um comentário sobre o assunto, dizendo que isso vai ter uma repercussão muito negativa nas pessoas daqui 3 meses porque estarão detonadas, sem conhecimento, perceberão que foram enganadas e não saberão quase nada. Outra pessoa ainda disse: - o pior é pensarem que estão sabendo alguma coisa e começarem a ensinar outras da mesma forma. E ainda: - ah deixem eles estragarem bem as pessoas que foram atrás de preço, depois eles vem procurar a gente e consertamos os estragos, mas pra isso o preço justo.

Olha, o quanto é sério o desespero pelo dinheiro! De repente não existe ética, não existe compromisso educacional, nem moral. Existe o salve-se quem puder.

Ótimos músicos também foram para internet dar aulas. Verdadeiros ícones da música clássica dando aulas online porque seus concertos foram cancelados. Poxa... se eles terão paciência com pessoas que não estudam eu não sei, mas que é uma honra estudar com estes ícones, isso é.

Por falar em quem não estuda, o COVID escancarou o comportamento do brasileiro e talvez até de outros países também. A preguiça. Pelo amor de Deus, como o brasileiro inventa desculpas porque‘ não deu tempo ‘ de estudar. O que não falta agora é tempo. Mas o brasileiro tem sempre uma desculpa esfarrapada em geral, mentirinhas que não colam sobre porquê não deu tempo de estudar. Mas existem os que agarraram a oportunidade chamada TEMPO e lascaram de estudar, cada vídeo maravilhoso postado na internet de alunos iniciantes, intermediários e avançados tocando, lendo, começando uma música, tocando partes, dividindo com todos os seus momentos de estudo. Isso dá uma esperança no futuro sem tamanho!

Vi os pianos em vários locais numa casa, mas no geral estava no quarto, bem num cantinho, geralmente com uma pilha de livros ou métodos do lado e seu canto de estudos reservado como se fosse a escrivaninha. Parabéns brasileiros! Gostei de ver, como se fosse ao Japão onde o pessoal não tem espaço e encaixam um piano no quarto e fazem ali um local de estudos super aconchegante!

E nisso, passeando pela internet, vendo a CHAMADA DO COVID para aproveitar o tempo para ler, para estudar, para se enriquecerem em cultura, conhecimentos, desenvolvimento pessoal, ainda vemos pessoas exibindobebidas caras, ou mesmo baratas, mas se exibindo das mais variadas formas. Ei... O chaqualhão do COVID não funcionou?  Superficialidades já eram. Estamos no momento do que é ESSENCIAL! Se para uns é essencial exibir uma bebida, para outros falta o remédio, muitas vezes a água. Outro dia, um amigo de Fortaleza, músico, estava com receio de sair à rua pela situação caótica que estão vivendo lá, mas tinha que pagar a conta de água, porque não perdoam e cortam. Ainda bem que aqui no Estado de SP isso não está ocorrendo pelo menos nos 3 meses de quarentena.

Quem está indo à internet para VENDER sua imagem, ou VENDER produtos, está sendo deselegante, abusivo, inconveniente, num momento em que milhares de pessoas perderam seus empregos. Uma foto exposta também na internet de uma moça na calçada fazendo bijuterias e artesanatos e com uma placa: TROCO ARTESANATO POR COMIDA, ao lado do supermercado.

Onde estão as pessoas que ainda não acordaram para a solidariedade? Ou pelo menos pelo respeito á dor alheia?  Ainda bem que o COVID chegou e deu um basta no exibicionismo de corpos, de vaidades diversas, de superficialidades sem fim, porque a humanidade perdeu o sentido de EVOLUIR.  Era somente o agora pelo agora, o botox, os adereços e mais adereços, as futilidades e mais futilidades. A morte bateu à porta de todos.

Alguns ainda não acordaram. Continua em suas redomas exibindo o luxo, o conforto, a felicidade aparente. E pergunto: para quem? Por que ofendem os infelizes? O mundo mudou.

Voltando à MÚSICA E O COVID... As músicas das sacadas nos prédios, os músicos solitários tocando em suas varandas para os vizinhos, a banda militar de Curitiba que saiu às ruas com distanciamento de 2 metros entre os músicos e tocando para a população curitibana, foi lindo de ver, uns 8 policiais desfilando na rua com seus metais e tocando suavemente para o povo da cidade!

Observem que a música acalenta, acolhe, acaricia cura, ameniza dores, distrai do caos e se bem escolhida, emana as frequências divinas para todos. Harmoniza ambiente!

Tem lugares no Oriente onde uma vez ao ano todos vão às ruas cantar músicas previamente selecionadas para purificarem o ar! Acreditam?

Você já descobriu o que a música na época do COVID pode fazer por você?

https://www.facebook.com/watch/?v=3387035587996970


UM REPENTE PARA O IDOSO

Dedico a meus pais que já se foram

Postado em: - Atualizado em:

”Chegou a minha hora, a minha vez

De descansar na pandemia

Eu que sustento a família toda

Agora faço economia”

Idoso que dá lugar ao jovem

Pra vida dele salvar

Faz isso todos os dias

Quando sai pra trabalhar

O idoso merece cuidados

E o COVID vem alertar

Cuide de quem você ama

Antes que ele possa faltar

Essa doença intrigante

De malvada não tem nada

Mais parece alerta divino

Do que praga encomendada

Hoje falo do idoso

Porque enfim ele foi visto

Não como um encosto

Mas a quem deve ser ouvido

Idoso médico do Amazonas

Um do interior de São Paulo

Outro do Mato Grosso

Conselhos não param de dar

Brasil que encostava o idoso

Agora tem que reverenciar

Conselhos dos mais antigos

Vem agora nos salvar

Idoso apareceu de monte

Implorando pra trabalhar

O que precisava era jovem

Querendo lhe amparar

Idoso da loja de móveis

Na cidade do Guarujá

Abre as portas pra faxina

E encontra a multa já já

Já trabalhamos muito

Pra este país melhorar

Passemos a bola adiante

Pra juventude consertar

O Japão com seus idosos

Não teve desespero

Com disciplina e amor

Do idoso fizeram zelo

A história do idoso

Que muito já viveu

Passou por guerras e lutas

E ainda sobreviveu

Poucos deles tinham chance

De contarem sua história

Espero que de agora em diante

Isso fique na memória

Os que mais salvam este país

São os sexagenários

Que arregaçam as mangas

E enfrentam qualquer cenário

Respeito, amor, cuidados,

Isso já foi proclamado

Que a história nunca se esqueça

Do idoso tão dedicado

A MAGIA DA CURA SONORA – Ismael Bezerra

Postado em: - Atualizado em:

Olá amigos!

Venho trazer a vocês um material que comprei dia 19 de Abril 2020 online e está salvando meus dias de isolamento.

Trata-se de uma pesquisa que Ismael Bezerra fez sobre FREQUÊNCIAS SONORAS DE CURA.

Vale a pena acessar este material pela internet. Encontrei no Instagram, mas já vi em outros locais, como Facebook .

Nestes dias de isolamento tenho aproveitado para fazer cursos online, a maioria deles gratuitos, no intuito de trazer algum bem estar. Cursos rápidos de cromoterapia, FengShui, Radiestesia, Cristais, Marketing e tantas outras dicas para melhorar a vida.

Todos eles contribuíram de alguma forma para que os dias sejam mais produtivos e o equilíbrio emocional se mantenha. Não é fácil ficar isolado, mas é o que temos para o momento. Estudar traz evolução. O conhecimento liberta.

Mas também vejo pela internet tantas indicações erradas, como máscaras improvisadas que podem causar mais danos do que protegerem. Isso está preocupante, pois não selecionam tecidos adequados e nem a forma indicada pela Vigilância Sanitária.

Assim como as máscaras, vejo cursos variados, principalmente na minha área ( aulas de piano) com receitas rápidas de como ‘ aprender ‘  a tocar teclado ou piano.  Digamos que um remédio para dor tira a dor na hora, mas não cura a causa.

E este questionamento vem presente neste momento onde todo mundo oferece de tudo como forma de ganhar dinheiro online.

Tive algumas propostas para gravar vídeos ensinando a tocar piano, mas nunca me conquistou esta ideia porque não acredito na uniformização do ensino de música.

O ‘ aprendizado ‘ rápido pode trazer uma satisfação momentânea, mas está longe de ser um APRENDER.  Algumas didáticas causam mais frustração do que realização. De momento, a pessoa pensa que aprendeu a tocar, mas com o passar do tempo vai sentir que aquilo foi paliativo, foi um socorro momentâneo , como se fosse atendida num pronto socorro e medicada para a dor, mas a causa da sua doença não foi atendida ainda.

Vejo pessoas falando de tudo, sobre tudo, e os filtros agora precisam ser feitos porque senão vamos entrar numa ONDA DO ACHISMO, uma ONDA DE TODO MUNDO SABE ENSINAR.

Vi também um vídeo de Luana Piovani falando sobre as tarefas de casa para as crianças onde os pais tem que fazer o papel da escola. E aí mora o perigo. O papel da escola é da escola. O papel dos pais é dos pais. Há que se separar e DAR A CESAR O QUE É DE CESAR E A DEUS O QUE É DE DEUS.

Os pais neste momento precisam sim auxiliar seus filhos a estudar, mas não fazerem o papel da escola. Pedagogos se formaram para isso. E por mais que os pais tentem substituir o professor, isso não ocorrerá. Pelo que tenho visto há um desespero muito grande em não se perder o ano letivo. Pais desesperados, governo tentando acudir os dias letivos, alunos estressados e tomando raiva do estudo...

Penso que os pais neste momento poderiam aproveitar para se desafiarem em atividades diversas dentro de casa brincando com os filhos. As brincadeiras ensinam muito. Também existem vídeos mostrando os pais balançando uma criança com lençol, pegando sucatas e construindo várias brincadeiras diferenciadas, plantando e esperando crescer uma plantinha... Enfim, formas e formas e formas de se educar uma criança que não seja com conteúdo escolar. Escola é Escola.

Falando de sucata, vamos nos lembrar o que tem embutido neste conceito:  1. Lidar com o que se tem. 2. Sustentabilidade – ensinar a criança a reaproveitar descartáveis. 3. Abstração: na matemática é uma habilidade essencial – fazer uma caixinha se tornar um prédio, uma bandejinha de isopor se tornar uma ponte ou um telhado. 4. Criatividade: quanto é importante a criança ser treinada para criar! Todosnecessitamos da criatividade como sobrevivência. A ‘ geração celular’ não está conseguindo criar mais. E a hora é esta.

Pegar umas pedrinhas no quintal e jogar bugalho, um pedaço de tijolo e riscar uma amarelinha, ou uma fita crepe e fazer a amarelinha no piso da cozinha, criar novas amarelinhas desafiadoras e de diferentes modelos, enfim... Com o SIMPLES se faz muito maispela Educação, pelo desenvolvimento integral do ser, na modalidade ‘ EM CASA ‘.

Mas como estamos sendo deslocados da zona de conforto, chegou este material sobre a MAGIA DA CURA SONORA onde este pesquisador gravou várias frequências sonoras desde 396 Hz até 852 Hz. São 7 frequências , estudadas para reequilibrar todo o corpo humano e também os sentimentos. Faz 9 dias que estou ouvindo-as. Comecei com uma por dia e agora estou deixando tocar 3 delas todos os dias. Reorganiza as células, reorganiza o cérebro, reorganiza os pensamentos e sentimentos!

Este é o convite para que estudem, pesquisem, saiam da zona de conforto do achismo e da experimentação vazia e realmente busquem alternativas conscientes. O CONHECIMENTO LIBERTA!

Muitos estudos estão sendo feitos sobre a função da Música Clássica, por exemplo, que não é SÓ para relaxar... Imaginem relaxar como início da 5ª Sinfonia de Beethoven? Jamais. Ele vem curar, mexer nas suas células, reestruturar. Falando nesta Quinta Sinfonia, ela foi testada para cura do câncer de mama e os resultados foram impressionantes: algumas células diminuíram de tamanho e outras morreram. Olhe o poder que tem esta música! E não é pra relaxar, é para transformar! É para curar!

Está tudo no Google! Pesquisem!

Meu presente a vocês hoje é este: acessem o material de Ismael Bezerra. Vem um e-book maravilhoso sobre a História do Som com suas curas desde a antiguidade.

QUE TODOS TENHAM UM ISOLAMENTO SAUDÁVEL E PRODUTIVO, ESTUDANDO!

SEJAM FELIZES! Busquem o conhecimento, ele além de libertar, nos organiza!

Facilitando para vocês:

https://pay.hotmart.com/N20476762X?off=30euh5o9&checkoutMode=10&utm_source=Google&utm_medium=CPC&utm_campaign=Search&utm_term=MagiaDaCuraSonora&utm_content=PaginaDeCheckout&gclid=CjwKCAjwqJ_1BRBZEiwAv73uwGeOd_hG-j-FbBVKHOLm7L0Z5WXcd2LwlT7XcCUlWrAgP8Jm6K3ENxoCv8oQAvD_BwE&bid=1588078117164


Como está a música "EM CASA"

‘”Fica em Casa” – dá pra ouvir música?

Postado em: - Atualizado em:

Fico imaginando uma casa com várias pessoas de várias idades, disputando o espaço para ouvirem música...

A vovó está ali querendo ouvir seus boleros, mas isso não é mais possível para ela,pois cede o espaço para aqueles que têm o domínio da tecnologia.

Onde estaria o aparelho de som onde se toca um disco de vinil?

Não há mais.

Ah! Mas se pode ouvir pelo celular qualquer música hoje em dia.

Chega o jovem que gosta de rock, com seu fone de ouvido e se tranca em seu quarto com seu som predileto e fica ali ouvindo sua música predileta.

A mãe que está na cozinha, pedindo ajuda de todos para que cada um contribua com algo que ela necessite, e coloca seu celular em cima da mesa da cozinha ouvindo uma música relaxante para que ela consiga se acalmar neste isolamento.

O pai preocupado com os rendimentos e seu trabalho online, tenta conversar com pessoas e mais pessoas pelo Facebook, pelo Whatsapp, tentando entender como ficará a Economia do paíse se depara com vídeos, “lives”, de músicos. Neste instante ele vê, por exemplo,Andrea Bocelli sozinho cantando na igreja em Milão. Quer compartilhar com a família aquilo que lhe tocou profundamente, imagens lindas e um homem solitário cantando neste momento de Páscoa.

Chega na cozinha, ouve o barulho da panela de pressão, as outras panelas necessitando de vigia constante para não queimarem, ele então se dirige ao filho adolescente trancado no quarto ouvindo seu rock e vai mostrar a ele o vídeo emocionanteque acabara de ver e ouvir, mas o rapaz não está naquela sintonia.Chama seus filhos menores que estavam no quintal jogando bola e com um aparelho de som sintonizado numa rádio qualquer e ele então se afasta e não quer interromper o momento deles.

Vai até à sua mãe, a vovó que não ouvia muito bem, adorava boleros, e mostra para ela o vídeo que o impressionou tanto pelas imagens, pela solidão do cantor, como pela sua voz e beleza de repertório.

Neste instante ele consegue a atenção de alguém. Ela não ouve muito bem, a catarata não a deixa enxergar perfeitamente as imagens, mas se coloca de coração a coração com o filho para ouvir e ver aquele vídeo de Andrea Bocelli.

Então, vou contar como ouvíamos música em casa. Tinha dia e hora. Aos Domingos, meu pai abria as portinhas da rack onde ficava a TV e o aparelho de som, retirava os discos de vinil, especialmente de Earl Grant e deixava aquele som ecoar na casa toda para todos. Neste instante ele comentava as sensações queaquela música lhe trazia e nos perguntava: você sente isso também ? O que sente quando ouve este som? Parece o mar? Parece pássaros? Consegue ir para um lugar bonito quando escuta esta música?

E eu tentava entrar naquela brincadeira séria que ele propunha para nós. Muitas vezes sentia várias sensações maravilhosas, e acredito que a partir deste momento a música se instalou em meu coração para nunca mais sair.

Minha mãe então, contava que na casa do avô dela tinha um piano, onde as pessoas da cidade se reuniam para ouvir o som do piano tocado por um exímio pianista, com um ouvido extremamente aguçado e atendia aos pedidos das valsas, boleros e outras músicas. Os olhos dela brilhavam quando contava estas histórias, de prazer, de saudade, de encantamento pela música que era o motivo das reuniões com amigos na casa de seu avô.

Viemos perdendo esta capacidade de OUVIR, apesar de termos hoje toda a tecnologia ao nosso dispor.

Tenho CDs e DVDs que às vezes sugiro aos meus alunos para ouvirem e verem algum documentário, infelizmente ouço o seguinte: em casa só tem como ouvir se for num pendrive ou então pelo celular.

O progresso tecnológico trouxe inúmeras vantagens, mas também trouxe a escassez.Digo escassez porque antigamente, procurávamos ter um bom aparelho de som para reproduzir um vinil ou um CD de forma que valorizasse a música. Hoje em dia, só se encontra isso num estúdio de música ou em casas onde alguém priorize este ouvir.

Eu mesma, até ano passado não tinha em casa um aparelho de som adequado, onde eu pudesse ouvir fitas cassete, vinil, CD, pendrive, etc. Fiz um investimento alto para que eu pudesse oferecer em minhas aulas de piano esta escuta musical na alfabetização, com playbacks por exemplo.

Mas o que gostaria de deixar hoje como reflexão é:

- QUE TAL NOS SENTARMOS PARA OUVIR MÚSICA?

- QUE TAL APROVEITAR A QUARENTENA PARA TODOS JUNTOS OUVIREM A MESMA MÚSICA E DIZER ÀS PESSOAS QUERIDAS DA FAMÍLIA O QUE AQUELA MÚSICA PROVOCA EM SUAS EMOÇÕES?

- QUE TAL DEIXAR CADA UM FALAR?

- QUE TAL OUVIR O BOLERO DA VOVÓ, A MÚSICA CLÁSSICA DA TITIA, O ROCK DO ADOLESCENTE, O VÍDEO DO ANDREA BOCELLI, e todos juntos, mas todos juntos como se estivessem num jogo, participarem das sensações daquela música em especial?

Imagine a riqueza de trocas...

Ouçam músicas! EM FAMÍLIA!

Se estiver sozinho como eu, ouça música também. Vou aproveitar a quarentena e ouvir discos de vinil, se eu conseguir tirá-los do alto de uma estante nos fundos da casa. A falta de espaço nos faz eliminar muitas coisas interessantes dos nossos ângulos de visão.

Vou tentar mudar nisso!

Convido-os a participarem comigo desta maratona: ouvir música e descobrir o que ela provoca em minhas emoções...

Boa semana a todos!

Estou no 31º. Dia de isolamento e trabalhando triplicado. Mas arrumarei um tempo para minha alma.

Convido-te a fazer isso pela sua!

Música ajuda a frear Alzheimer:

https://exame.abril.com.br/ciencia/musica-ajuda-a-prevenir-e-frear-alzheimer-diz-estudo/

RENASCIMENTO : É PÁSCOA!

PAIS EDUCANDO FILHOS NO ISOLAMENTO

Postado em: - Atualizado em:

Lembro-me de quando eu era criança, estudava no Colégio de Lourdes de Franca, minha mãe era professora primária na Escola Barão da Franca, meu pai farmacêutico proprietário da Farmácia Labor no coração da cidade, a Praça Barão.

Para falar sobre a Educação, precisei situar de onde vim e quem me influenciou na vida, meus pais.

A preocupação de todos os pais, e também dos meus, era colocar em um bom colégio para que eu tivesse boas oportunidades. Passei por várias escolas, pois o Colégio das freiras fechou, então fui para o Colégio Champagnat, de padres, que também fechou, estudei no CEDE, depois no Instituto EstadualTorquato Caleiro ( IEETC).

Mas voltemos à infância para que possamos relacionar o que ocorre neste isolamento social da COVD 19 com a Educação de antigamente.

Chegando da escola, almoçávamos todos juntos e meu pai não abria mão disso. Era a hora que ele tinha para contar histórias e dar a ‘ moral da história’ em cada uma delas. Imagina quantos horários de almoço tivemos na vida para termos em cada um deles a ‘ moral de história’ que ele contava. Falava de sua infância onde começou a trabalhar com 9 anos de idade, contava casos diversos de sua vida, de seu trabalho, de pessoas, e sempre no final tinha  a frase que resumia tudo : a tão famosa moral da história.

Depois do almoço era a hora de fazer a tarefa de casa. Tirava-se a mesa do almoço e esparramavam-se os cadernos. Minha mãe colocava os cadernos de seus alunos para corrigir, suas cadernetas de professora, e eu colocava meu material escolar para fazer a lição. Juntas!  Ela sempre foi muito calada, concentrada, falava muito pouco e observava muito. De vez em quando tirava seus olhos de suas cadernetas e cadernos de alunos e olhava minha lição e dizia :-“apague e escreva de novo, a sua letra não está boa. Preste atenção no que está fazendo senão terá que fazer duas vezes.”

Lembro-me que eu tinha um caderno de caligrafia. Conhecem o caderno de caligrafia? Era um caderno brochura pequeno, fino, não tinha espiral e isso facilitava o apoio do braço, não era grosso e isso também facilitava a colocação dos braços, e eu tinha a tarefa de escrever naquelas linhas como se estivesse desenhando. Era muito gostoso ver que minha letra ficava bem organizada e bonita naquelas pautas que me ajudavam a ‘ desenhar ‘ as palavras!

Minha mãe passava o jeito antigo de ensinar, a forma como ela aprendeu no Colégio e eu aceitava suas orientações, afinal ela era uma professora e sabia muito bem o que estava fazendo.

Fui crescendo e a escola começou a passar pesquisas. Meus pais compraram as enciclopédias :Barsa, Conhecer, e tudo o que aparecia de boa informação em revistas. Tínhamos onde pesquisar.

Para ‘ copiar’ os desenhos que tinham nas enciclopédias usávamos o papel de seda, colocado por cima do livro e sem ‘ calcar ‘ muito o lápis para não estragar o livro, copiávamos alguma ilustração para o papel de seda. Depois passávamos o lápis preto atrás do papel de seda e transferíamos para o caderno. Dava trabalho. Mas era feito por nós, crianças daquela época. E ser feito por nós era algo que nos dava muito orgulho, realização pessoal e elevação da autoestima.

As tardes eram somente de tarefas. Lá no final da tarde quando as obrigações terminavam, tinha uma palavra cruzada na sala, algumas frutas no pomar onde podíamos colher e à noite meu pai chegava da Farmácia com uma sacolinha de picolés de chocolate e de limão. Misturávamos os dois num copo e comíamos com colher os pedacinhos misturados dos dois sabores. As cadeiras de alpendre eram colocadas no jardim e ali, saboreávamos os picolés olhando quantas estrelas haviam no céu, se a lua estava presente, e muitas vezes meu pai pegava a mangueira e ia jogar água nas plantas do jardim.

No inverno, nos sentávamos pra jogar baralho. Como era bom tudo aquilo!

As aulas sobre a vida, as histórias com ‘ moral da história’ , a fiscalização e companheirismo da minha mãe nas tarefas de casa...

Naquela época a cola era goma arábica. Meu pai fazia na farmácia em seu laboratório , fechava o vidrinho com uma gaze e eu tinha aquela cola feita por meu pai. Sim, levava o vidro para a escola e me orgulhava de ter uma cola feita por meu pai que dizia assim: - esta cola tem uma força especial – fui eu quem fiz pra você , ela cola mais que todas as outras!

Minha lancheira era simples, o lanche era básico, a preocupação deles era sempre que tivéssemos o essencial e sem ostentação, particularmente que meu lanche não fizesse nenhuma outra criança passar vontade.

Bom, ainda tem muitas histórias mas quero fazer um AGRADECIMENTO AO COVID 19 por trazer as crianças para dentro de casa e serem ‘ fiscalizadas ‘ e educadas por seus pais. Elas nasceram ali para serem educadas por eles, para que participem de sua formação, para que acompanhem suas tarefas de casa, para que possam conhecer esta criatura que está ali se desenvolvendo como seu filho, saber de suas dificuldades, suas facilidades e poder ajuda-las em suas tarefas, nunca fazendo por elas, mas estando ali perto para orientá-las. E acima de tudo PARTICIPAREM dos conteúdos que são dados aos filhos. Vocês sabem quais os conteúdos que estão formando a personalidade de seus filhos? Participam disso? Se participam, não terão o afastamento intelectual no futuro, porque saberão compreendê-los e eles a vocês.

Conseguem fazer do lar um lugar de diversão?

Tem uma goiabeira ou um pé de limão em sua casa? Ah se mora em apartamento pode ter um vaso de alecrim, salsinha ou qualquer outro tempero para alegrar o almoço com as histórias e moral da história.

Já contaram as estrelas do céu numa noite juntamente com eles?

Já ouviram suas histórias ? O que contam sobre a escola, sobre os amigos, sobre suas dificuldades e facilidades?

OBRIGADA COVID 19: Você colocou novamente os pais junto com os filhos para que possam de fato recebe-los como filhos e educa-los. Educação é tarefa familiar.

Quando eu lecionava em escolas regulares, a reclamação geral de professores, diretores e todos que estavam na escola era : - “os pais jogam os filhos aqui dentro e nem querem saber o que está acontecendo com eles, querem ficar livres”.

Como era triste observar tudo aquilo.

Como mãe eu tentava ser diferente, acompanhei o máximo que pude em tudo, levava e buscava de todas as atividades e queria saber o que fizeram, como fizeram, se foi bom, o que aprenderam. Quando foram crescendo começaram a achar que eu estava ‘ controlando’.

E criou-se na sociedade um estigma de que pais que participam em demasia, querem controlar seus filhos.  Meus pais de certa forma me controlavam sim, eles me receberam como filha e tinham a missão de me educar.  Onde está o erro?

Hoje em dia, com o COVID 19, tenho recebido áudios ditos como engraçados de pais desesperados com os filhos dentro de casa e não sabem como acompanhar as tarefas, não sabem o que fazer para que se distraiam, não sabem mais conversar, não sabem mais tomar um picolé e contar as estrelas, falar de suas vidas e dar uma moral da história, não sabem sentar junto lendo um livro enquanto a criança faz sua tarefa  e ajuda-la a se concentrar dando o exemplo : lendo !

Muito para se dizer, mas apenas uma frase : OBRIGADA COVID 19 POR APROXIMAR NOVAMENTE OS PAIS DOS FILHOS E OS FILHOS DOS PAIS, PARA QUE POSSAM VER O LAR COMO NINHO DE ACONCHEGO E AMOR, DE APRENDIZADO E COMPANHEIRISMO, DE TROCA DE EXPERIÊNCIAS.

OBRIGADA COVID 19 POR ESTA OPORTUNIDADE!

A SOCIDADE SERÁ MELHOR!

Que os olhares se cruzem dentro de casa como seres que procuram se ajudar!

Obrigada ISOLAMENTO! Quarentena ...ou que nome queiram dar.

FIQUE EM CASA! E CONHEÇA SUA FAMÍLIA AGORA!


VAI UMA SERENATA AÍ ?

A vida dos músicos informais na quarentena

Postado em: - Atualizado em:

Peça de teatro “ Namoro 500 anos em 50 minutos” – Alunos da Escola Mário D´Elia 1997.

Nos tempos de quarentena, os músicos que tocam informalmente em bares, do dia pra noite ficaram sem o seu ganho.

Então me lembrei das serenatas, Franca principalmente era a terra dos seresteiros no início do século XX e foi até a metade do século ou um pouco mais.

Sugeri hoje a amigos músicos e também àqueles que tem contatos com a Câmara Municipal,  para que liberem o seresteiro, sem aglomerações, aquele seresteiro solitário ou acompanhado de um amigo cantor que vai às ruas alegrar as pessoas.

Lembro-me que quando eu era solteira ficava esperando chegar o dia do Aniversário de Franca porque saíamos à rua num grupo fazendo serenatas para algumas pessoas da cidade, especialmente os historiadores, para cantar o Hino da Franca, e algumas Valsas Francanas. Era uma festa!

Hoje, vendo a situação de guerra em que estamos vivendo, fico pensando nestes músicos, excelentes músicos que temos na cidade e em todo nosso país, que do dia pra noite ficaram sem o seu trabalho. Maravilhosos vídeos, lives no Facebook mostram seus talentos e penso que precisamos nos reinventar ou ainda quem sabe, resgatarmos o que era bom antigamente.

Estamos resgatando valores nesta quarentena, convívio familiar, cozinhando em casa, no meu caso, me reinventando na internet e também na cozinha e outras atividades do lar, resgatando os bons e antigos costumes simples.

Por que não resgatarmos as serenatas?

Penso que poderia ser liberado para estes músicos.

Hoje mesmo, um amigo que faz aniversário, eu queria lhe dar de presente uma serenata. Liguei para um músico, mas depois fui me informar como funciona e há necessidade de um alvará para se utilizar as calçadas da cidade.

Se não houver aglomeração, penso que poderiam ser liberadas as serenatas solitárias dos excelentes músicos, para homenagear alguém, como um presente de aniversário ou qualquer outro motivo.

Imagine um violino à sua janela ou no portão de sua casa soando lindamente. Um sax solitário fazendo soar lindas melodias, um violeiro, um violonista fazendo alguns solos.

Seria no mínimo acolhedor, um alento para este momento COVID19.

Vamos pensar nisso ?

Que tal os vereadores de todas as cidades liberarem o músico solitário que quiser e puder sair às ruas de manhã ou à tarde ou mesmo à noite para no máximo em duas pessoas fazerem seu trabalho, sim seu trabalho, porque vivem disso e precisam desse dinheiro para sobreviverem !

Fica o apelo de hoje ! Vamos resgatar as serenatas?

CONVITE À VALSA

Postado em: - Atualizado em:


“Dancei... Minha empresa dançou nesta crise”...

Peço que ouça esta valsa enquanto lê este artigo, por favor!

E assim vamos lendo e ouvindo estes comentários das mais variadas formas, mas de vez em quando alguém levanta a voz e diz:

Ei... O mundo mudou!!!  O ritmo mudou...

Estamos já na tão falada NOVA ERA!

Alguns esperavam pelo meteoro que destruiria a Terra e faria tudo começar de novo.

Outros esperavam a guerra entre os grandes países disputando o poder, o petróleo, o dinheiro.

Outros acreditavam em armas poderosíssimas que com um simples toque no botão explodiria a Terra.

Mas o que temos? Temos um CONVITE À VALSAR ... BAILAR num novo ritmo, numa nova consciência, num novo paradigma de humanidade!

Temos um convite a largar o ranço. Temos um convite a olhar o horizonte e ver que o sol nasce todos os dias e a Terra não escureceu como diziam as previsões e deixaria todos num escuro total.

Não... A Terra ficou mais clara, os rios mais limpos, só porque ficamos na ‘ escuridão de nossas casas ‘ , ou na escuridão de nós mesmos! Mas o que não percebemos ainda de fato é que dentro de nós há luz! Uma luz intensa que estava sendo ofuscada pelo ritmo alucinante da busca pelo externo, pelas compras, pela vaidade, pelo poder, pelo dinheiro. ‘ Fica em casa ‘ no mundo inteiro! ‘ Fica em casa ‘ em todos os países. Nunca tínhamos presenciado isso antes... ‘ Fica em casa!’ Me diga uma coisa: quando que poderíamos imaginar que algum dia a solução para algo fosse apenas e tão somente ficar em casa? Quando?

Mas é ficar na nossa casa interior! Temos a oportunidade de pensar, pensar, pensar e pensar. Tentarmos entender o que está acontecendo. Por que tantas correntes de pensamento se cruzando, algumas agressivas, outras meditativas. Mas todos, invariavelmente TODOS pararam para pensar.

Particularmente acredito que nada é por acaso e tudo tem um porquê. Todos estão onde devem estar para cumprir determinada tarefa. Basta que percebam. E a oportunidade chegou: olhe pra dentro e descubra!

Acompanhe os climas da valsa, ora imponente e brava, ora tão delicada e singela, ora rápida e vigorosa, ora, com poucas notinhas anunciando o que está por vir. O que será que Carl Maria von Weber estaria pensando neste momento? Talvez nos dissesse que a vida é feita de movimento! E o movimento ora vigoroso, ora tranquilo, mas ela tem movimento e tem ritmo. E nós até podemos dançar se quisermos. Mas não é o ‘ dançar ‘ que alguns estão fazendo ecoar como tragédia. É o dançar conforme a música!

Carl Maria von Weber era filho de um diretor de companhia de Teatro Ambulante! Sua vida era movimento! Como as pessoas se reinventam!

O mundo mudou! Ufa.. Graças a Deus o mundo está mudando, o mundo todo... Pelo amor de Deus: o mundo parou pra gente pensar. E o pior e mais incrível: ninguém consegue VER o que nos parou – é algo INVISÍVEL, não pode ser visto nem ao microscópio! Invisível!!! Gente... É invisível... E então me lembro do pequenino príncipe que nos dizia que ‘ o essencial é invisível aos olhos’.

Você pode ouvir a música que lhe sugeri? O Convite à Valsa? Ah por favor se entregue a ela e sinta cada momento, cada clima, valse, solte o seu ser e baile no novo mundo que chegou!

Se vamos viver ou morrer, contrair o vírus ou não, isso já é lá com o nosso Criador. O que nos cabe é enxergar o momento e BAILAR.

O MUNDO MUDOU GENTE!

Estamos ainda no início, mas está claro e evidente que uma Providência foi tomada para que tudo mudasse radicalmente. E precisamos enxergar, ajoelhar e agradecer! Não foi bomba atômica, não foi meteoro, não foi tsunami, o mar não subiu sei lá quantos metros prenunciados... Nada disso aconteceu. Um simples vírus invisível se espalhou contaminando o mundo de algo chamado REFLEXÃO!

O MUNDO MUDOU GENTE!

Como seremos felizes e livres daqui pra frente!

Espero que nos reinventemos. A empresa faliu? Qual é minha habilidade para transformar? O que posso fazer para sobreviver? As aves do céu não ceifam e nem colhem mas não lhes falta nada. “Ocupem-se das coisas de Deus e TUDO O MAIS VOS SERÁ ACRESCENTADO!”Amém!

O mundo mudou queridos! DEUS SEJA LOUVADO POR ISSO.

Desapeguem-se! Reinventem-se! Há espaço para todos, ouça o seu interior e faça aquilo que sua alma implora que faça há anos e você ainda não fez porque estava muito ocupado trabalhando para ganhar dinheiro.

GRATIDÃO A DEUS E A TODOS QUE ESTÃO ENXERGANDO ESTA OPORTUNIDADE ÍMPAR DE RESGATAR O SER HUMANO!

O meu mais afetuoso abraço a todos que aqui compartilham comigo estes momentos!

Deixo este CONVITE À VALSA! VAMOS BAILAR NO NOVO MUNDO!!! Deixe suas células se exultarem de alegria! Dance! A música tem um PODER que não podemos imaginar.

Mais um pouco de valsas:

Obrigada SURIVANOROC!

Postado em: - Atualizado em:

Agradeço pelos inúmeros benefícios que esta fase de quarentena vem trazendo.

Pelo sim, pelo não, tendo vírus, não tendo, vivendo ou morrendo... Não importa. O que importa é ver esta transformação gigantesca que está ocorrendo nas mentes e corações.

Uma consciência global.

Tem hora que acho um exagero a tal prevenção, tem hora que acho de extrema necessidade, isso varia conforme as notícias. Meu coração diz que o isolamento é necessário para o crescimento espiritual, amadurecimento emocional e mudança de paradigmas.

Como o povo se uniu! Meu Deus... Isso é inacreditável! Quem ainda não se uniu, que o faça porque a mensagem é esta: uni-vos!

Uni-vos em orações!

Uni-vos em atitudes de prevenção!

Uni-vos em solidariedade a quem é mais vulnerável!

Uni-vos a si mesmos particularmente... Quantas pessoas fugiam de si mesmas o tempo todo e agora com a grande oportunidade de se encontrarem de novo consigo, gritam desesperadas nas redes sociais: - socorro, estou enlouquecendo ficando dentro de casa... Mas por que? O lar é um lugar tão desejado... é o ninho. É tão insuportável assim conviver consigo mesmo?

Este tal vírus que anda amedrontando todo mundo, proibiu abraços, apertos de mão, beijos e até aproximação, deve ser mantido 1,2,ou 3 metros de distância, cada um fala uma coisa...

Fico pensando... Sabe aquelas pessoas que ficam dependuradas nas outras sugando as energias? Agora vão precisa sobreviver das suas próprias energias e para isso terão que estoca-las tirando de atitudes e mudança de atitudes.

Sabe aquele barulho infernal que as pessoas fazem vendendo coisas, telefonando sem parar pra sua casa pra oferecer itens x,y,z ? Silenciaram! Ufa... que alívio!

Mas ainda assim vejo alguns desesperados nas redes sociais implorando para que comprem deles, que aceitem seus workshops com descontos, e mais e mais e mais, sem parar e pensar: trégua. É trégua agora. Érigoroso. É ficar dentro de casa.

Deixem em paz as pessoas consigo mesmas. Elas buscarão alternativas, elas se encontrarão consigo mesmas e vão te procurar depressa quando a quarentena passar e te dizer: eu preciso muito disso, descobri me conhecendo melhor e ficando sozinha(o) comigo mesma(o).

Quantas mudanças!!!

O trânsito silenciou e as noites estão mais tranquilas. Que sono tranquilo! Há muito tempo eu não tinha noites tão silenciosas... Que bênção! As baladas deram trégua!

As pessoas vão passar a pensar diferente: - eu preciso disso? Certa vez , um amigo alemão veio passar uns dias em Franca e eu e meu filho dissemos a ele: - vamos tomar um sorvete? Tem uma sorveteria muito legal aqui... E ele então respondeu: - “deixe-me pensar se preciso de sorvete agora... não, eu não preciso, obrigado!”. Fiquei inconformada, comecei a rir e disse a ele: - como assim? Não preciso ?é apenas um sorvete, vamos lá para você conhecer... E ele respondeu educadamente: - posso ir com vocês para conhecer se desejarem me mostrar uma sorveteria, mas eu não preciso tomar sorvete agora.” Ui ... isso reverbera até hoje em nossas mentes... e muitas vezes me pego pensando: - eu preciso mesmo disso?

Solidariedade, reflexão, questionamentos, vejo gente esperneando na internet, gritando que está sozinho, que não aguenta mais, passa um tempo coloca uma foto do que resolveu fazer em casa e encontrou novas alternativas para o tempo. Sair do automático não é fácil. Mudar não é fácil e adquirir novos hábitos então. Ufa... Isso é tarefa para ninja!

Este vírus virou tudo ao contrário... O que era de extrema importância para uns, teve que deixar de ser, na marra. O que era imperceptível para outros, passou a ser de suma importância como serviços de entrega, serviços essenciais, profissionais essenciais como faxineiros de hospitais, que desinfetam tudo... os acolhedores enfermeiros que nunca são reconhecidos e são verdadeiros anjos dentro de um hospital, em contato com o paciente sempre de forma atenciosa e prestativa!

Virou ao contrário o que era inútil, supérfluo, descartável, questionável, e fez uma pergunta para as pessoas: - isso é importante para você? Você precisa disso? Por que?

Perguntas, perguntas e perguntas que não param de chegar às mentes e aos corações. Virou tudo ao contrário porque o ‘ modo automático’ não deixava as pessoas sentirem e pensarem. Era modo automático. E aqueles que não suportam se olharem no espelho estão apavorados porque estão em casa, tendo que conviver consigo mesmo.

Então meu muito obrigada ao SURIV ANOROC que nada mais é do que Corona Vírus ao contrário, ou de trás pra frente, ou como queiram definir.

Deus foi tão misericordioso com a humanidade, que não enviou meteoros para acabar com a Terra e termos que começar tudo de novo. Mandou algo tão sutil, invisível, que nem é tão agressivo, mas se torna se não estivermos preparados e se o sistema tenha priorizado supérfluos e agora não tenha o necessário... Olha que coisa mais divina!

Não afeta as crianças de forma fatal! Os futuros terráqueos que vão cuidar do planeta! Não afeta os animais. E faz o alerta de que animal silvestre não é para ser alimento e que porcos apresentam riscos também. Afeta os velhos, que já estão com sua imunidade baixa, problemas de saúde e de fato se despedindo do planeta , como aconteceu na Itália com os idosos de mais de 80 anos... Deus foi misericordioso com todos nós. Aqueles de nós que porventura estiverem fora da faixa de risco e forem acometidos gravemente, é porque chegou sua hora de despedir-se daqui... Está tudo perfeito. Deus não erra!

Eu tenho ouvido a Nona Sinfonia de Beethoven evocando a alegria... a união dos povos, a fraternidade! E quando a coloco, minhas células todas se modificam e agradecem. Eu me renovo!

Obrigada SURIV ANOROC... Você é invisível e ao mesmo tempo tão real e visível... Como que se mostrasse a todos nós que a alma também é invisível, mas ela existe! E age, e atua e interfere na vida de todos. A alma é nossa essência invisível e transparece em nossos atos, como este vírus que transparece atuando.

Olha, amigos!  Ficaria aqui comentando mil e um pensamentos que tive esta semana sobre esta fantástica oportunidade de mudança e este momento generoso que nos foi proporcionado para nos encontrarmos conosco, bem lá dentro, bem no fundo. Teremos tempo!

Arrume as letras R I S U V R O A N O C ... EMBARALHE TUDO E REESCREVA ... Poderia ser RISURONACOV ...  COVA... RISU ...   RUA... NAO... Percebe o que diz ? Vamos sorrir um pouco você vai pra COVA se ficar nos RISUse RUA NÃO deve ir.

FICA EM CASA! OUÇA BEETHOVEN ! A NONA SINFONIA ! ODE À ALEGRIA ! Deixo um vídeo interessante de uma senhora vigorosa de 93 anos!

https://www.facebook.com/BejaNoMundo/videos/659368478227940/?t=5