​A família pede socorro: Pr. Cláudio Duarte ministra seminário em Franca

Muitos não sabem o que é lutar para perpetuar os valores da família conforme os ditames de Deus que a criou.

Postado em:

Pela primeira vez o Pastor Claudio Duarte estará em Franca. Sua presença está confirmada para o dia 14 de agosto (sexta), às 20h, no espaço Vila Ventura. Os ingressos podem ser comprados aqui.

O pastor Cláudio Duarte, que tem vídeos espalhados por toda a internet, e um jeito, digamos, diferente de ministrar sobre um assunto tão complexo (família e casamento) vem até a cidade para falar sobre: “A FAMÍLIA PEDE SOCORRO”.

Há os que torcem o nariz para o estilo dele, dizendo que não há a necessidade “apelativa” do humor na mensagem de Cristo, afinal, é a Palavra de Deus que liberta. Há, no entanto, os que focam em sua mensagem principal – eu sou um deles – e compreendem que a maneira da comunicação, nesse caso, não interfere no resultado dela, pelo contrário, ajuda.

E o conteúdo que o pastor ministra tem relação com as verdades bíblicas, o que pra mim é mais do que suficiente.

E, convenhamos, são poucos os detentores da Bíblia que adentram com tanta propriedade como o pr. Claudio Duarte numa seara que é grande, árdua e complexa, que é a da família e a do casamento.

O titulo de sua palestra, para alguns, pode parecer um tanto quanto apocalíptica, mas quem, de fato, está como os olhos voltados para o tema sabe que realmente a família, celula mater da sociedade e do coração de Deus, realmente está sendo devastada.

Eu mesmo, sexta passada, escrevi sobre o assunto, deixando duas dicas simples (mas de grande força) para um casamento feliz.

O mundo agitado tem forjado atitudes do descartável. Pior do que os descartados materiais é quando descartamos as emoções e sentimentos. E muitos já não sabem o que é lutar para perpetuar os valores éticos, morais e espirituais que alicerçam a família conforme os ditames de Deus que a criou.

Parabéns aos organizadores. Da minha parte, espero que o conteúdo da mensagem que será ministrada pelo Pr. Claudio Duarte possa alcançar (e ser multiplicada) o objetivo, ou seja, o de restaurar famílias e casamentos.



​Duas dicas para um casamento feliz

Permaneçam sempre juntos, enfrentem os problemas juntos e mudem, juntos, o quadro para melhor.

Postado em:

Santa economia, Marcos. Apenas duas dicas? Sim, apesar da complexidade de uma união a dois, as duas dicas que trago para você, querido leitor, são primordiais e desencadeiam uma série de consequências POSITIVAS para o matrimonio.

Mas há outras dicas, certo? Sim, várias. Depois que você refletir e colocar em pratica (testar), de verdade, essas duas, eu prometo que lhe trarei outras dicas bem legais.

Sem mais delongas, vamos as duas dicas para um casamento duradouro e feliz.

1) CONVIDE DEUS PARA O SEU RELACIONAMENTO

Eu sei... no altar da igreja onde você casou você fez isso, pediu as bênçãos de Deus sobre o seu matrimonio. Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade. Você + seu cônjuge + Deus.

Mas durante a cerimônia você prestou atenção nos seus deveres e, mais do que isso, os têm praticado? Vou colocar apenas um para o esposo e um para a esposa e você já vai perceber o quão complexo é:

A) MARIDOS: amar as vossas mulheres como Cristo amou a igreja [Efésios 5: 25]. Esta passagem é interessante porque a Palavra de Deus dá aos maridos uma meta alta. Cristo nos amou ao extremo! Nos amou tanto que foi capaz de sacrificar até a última gota de seu sangue pelo bem da sua Igreja. Esse é o amor que Cristo quer que exista entre os esposos.

B) MULHERES: A) “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor...”. [Efésios 5:22]

A feminista reclamaria: “isto é muita humilhação”. Mas a mulher deve se sujeitar conjugalmente ao marido da mesma forma como ela se sujeita espiritualmente ao Deus". O texto não é um menosprezo/humilhação à mulher é, ao contrário, a exaltação dela. Ela é comparada à Igreja do Senhor;

2) JOGO DE CINTURA

É isso aí, querido leitor, pra ser feliz no casamento precisa requebrar, ter molejo.

Não faça do seu casamento um cabo de guerra.

Para manter um casamento feliz é preciso, principalmente nos momentos ruins e difíceis, ter jogo de cintura e JUNTOS mudarem o rumo da situação. Ambos precisam conhecer seus limites e o limites do seu cônjuge e se ajudar mutuamente.

Portanto, permaneçam sempre juntos, enfrentem os problemas juntos e mudem, juntos, o quadro para melhor.

Bônus: Deixo aqui uma dica adicional para a sua reflexão: Para um casamento ser feliz você precisa entender que a felicidade da(o) sua/seu companheira(o) também é a sua felicidade. O tal “Eu quero alguém que me faça feliz” é egocêntrico. Entre num relacionamento para também fazer a outra pessoa feliz.

.

​Redes sociais vão influenciar o eleitorado em 2018

Pesquisa do Ibope revela que internet influenciará o eleitorado em 2018

Postado em: - Atualizado em:

Já ouvia a afirmativa do título deste artigo em 2010. Em 2014 também disseram que as redes sociais teriam grande influencia na decisão de voto. Trabalhei em ambas as oportunidades com afinco. Fiz parte da equipe digital da campanha presidencial da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva.

Em 2010, apesar do engajamento das campanhas nas redes sociais, confesso, a sensação que tive é que essa afirmativa não fez tanto sentido. Em 2014 já se fez notar que o tal ‘PODER DAS REDES SOCIAIS começou demonstrar a que veio, ou seja, as estratégias das campanhas digitais se aperfeiçoaram e a influencia na decisão do eleitorado para esse ou aquele candidato apareceu com mais intensidade.

Para 2018, a projeção de que as redes sociais vão decidir uma eleição aumenta. E aqui vai entrar a figura do militante. O partido ou o político que tiver ao seu lado INFLUENCIADORES DIGITAIS COM CREDIBILIDADE poderá fazer a diferença.

A CAIXA ALTA acima é proposital. A figura daquele MILITONTO já não faz mais sentido. Hoje há a necessidade de influenciadores (e muitos) que tenham uma FICHA LIMPA, já que sua vida pode ser devastada e a credibilidade virar meme. A internet deixa rastros que ficam registrados por toda a vida.

Pesquisa do Ibope revela quem influenciará o eleitorado em 2018

Clique com o botão direito na imagem e depois na opção "abrir em uma nova guia" pra ver a imagem acima ampliada.

O Ibope Inteligência divulgou pesquisa de opinião pública sobre o clima para as eleições gerais de 2018. O trabalho tem como objetivo medir o grau de influência (muita, pouca, nenhuma) de alguns canais de comunicação e informação na decisão de escolha do candidato de preferência à Presidência da República nas eleições.

A pesquisa foi realizada entre 18 e 22 de maio e ouviu 2.002 pessoas com mais de 16 anos em 142 municípios brasileiros. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Confira abaixo parte do resultado da pesquisa e veja como que, com o passar dos anos, a influencia da internet nos pleitos eleitorais vai ganhando corpo e já ulrapassa a TV e jornais (mídia Tradicional).

Internet e redes sociais (36%)

Mídia tradicional (35%),

Conversas com amigos (29%) e parentes (27%) – é necessário considerar que as redes sociais também promovem as conversas entre amigos e parentes.

Disputa para 2018 já começou

Como escrevi recentemente nesse artigo, a disputa para o pleito de 2018 na internet já começou. Como anda a sua equipe de Marketing Digital? Já está formada e atuante? A estratégia com influenciadores digitais já está definida?

​Mídia social exige orçamento real?

O digital representará a movimentação de U$202 bilhões ao redor do mundo.

Postado em:

A blogueira internacionalmente conhecida, B.L. Ochaman, consultora de estratégias de Marketing, tem incorporado novos meios de comunicação no mix de marketing de grandes empresas (Fortune 500). Ochaman é responsável pela equipe do http://www.whatsnextonline.com , e respondeu de maneira simples uma pergunta que alguns empresários fazem: Mídia social exige um orçamento real?

Ela disse que: "Muitas ferramentas de mídias sociais são gratuitas, mas saber usá-las requer experiência e perspectiva e devem estar atreladas ao planejamento estratégico da empresa".

O filho do vizinho que domina o Twitter, seu sobrinho ou aquele estudante universitário podem dar uma agitada nas redes sociais de um empresa? Sim, podem, afinal, eles dominam a ferramenta, estão ligados no #meme do momento e conhecem a linguagem internetês.

Mas só ser engraçadão/diferentão na internet não faz sentido. Aliás, há empresas que não tem em seu DNA o humor. Isso não quer dizer que ela não pode aproveitar um #Meme do momento e se manifestar. Isso não quer dizer que ela precisa ser sisuda a todo momento. Mas é necessário saber contextualizar o humor com a sua missão, a sua visão, os seus valores, caso contrário é apenas perfumaria. E sabemos que há perfumes que não duram duas horas.

Portanto, é bom frisar que o profissional da área terá que ser capaz de integrar as mídias sociais à estratégia de marketing da empresa. Isso exige experiência e perspectiva para desenvolver, por intermédio de conteúdos que agreguem valor ao cliente, uma grande rede de relacionamento social e bons serviços e produtos para uma boa reputação online.

Assim como existem carpinteiros que conseguem montar uma estante de livros e mestres carpinteiros que conseguem criar objetos de beleza genuína e duradoura, há milhares de gurus de mídia social (de todas as idades) que nunca trabalharam para um cliente real. Contrate-os sob seu próprio risco.

Cresce investimento em Marketing Digital

Segundo reportagem da Meio e Mensagem, de acordo com uma pesquisa do IPG Mediabrands Magna, a compra de mídia digital deve superar a de TV pela primeira vez em 2017. O digital deve se tornar a primeira categoria de publicidade, alcançando market share de 40%, o que representará a movimentação de U$202 bilhões ao redor do mundo. Em comparação, a venda de mídia para TV deve gerar cerca de U$186 bilhões e alcançar um market share de 36%.

A publicidade digital cresceu 17% este ano, movimentando US$ 178 bilhões. Até 2021, espera-se que a compra de mídia no digital ocupe um share de 50%, movimentando US$ 299 bilhões, enquanto a TV estagnará em US$ 195 bilhões e um share de 33%. Espera-se também que a maioria das vendas de mídia digital seja gerada por impressões mobile.

O fato é que estamos num cenário onde a verba para mídias sociais e mecanismos de busca estão impulsionando o mercado publicitário.

​Deus quer, o homem sonha, a obra nasce

O sonho seria nada mais do que a realização de um desejo reprimido

Postado em:

O tema desse artigo está nos versos do grande poeta Fernando Pessoa. O ser humano é dotado da incrível magia de sonhar. Quando crianças sonhamos com aquele brinquedo da vitrine, na adolescência com o amor proibido, na juventude com a faculdade e quando adultos, geralmente, sonhamos com um casamento feliz, com a casa própria, com o carrão na garagem e com uma família harmoniosa.

Sonhos! De onde eles vêm? Por que sonhamos?

São vários os estudos e diferentes respostas. A psicanálise explica o sonho como uma busca de solucionar conflitos e anseios que não foram plenamente satisfeitos no dia-a-dia. Freud acreditava que o sonho é uma forma particular de pensamento, que só se torna possível devido as condições favoráveis do sono. Resumindo, o sonho seria nada mais do que a realização de um desejo reprimido.

Mas espera um pouco. O que estou a escrever? Eu não quero ocupar um espaço com um artigo científico sobre sonhos, na verdade, eu quero é mostrar o lado bom do sonho.

Você sabia que tem gente que sonha alto? É isso mesmo, tem gente que sonha com a paz mundial, com a erradicação do analfabetismo, com empregos, moradias e comida para todo mundo. Tem gente que sonha em se tornar presidente para deslumbrar os sonhos descritos se tornarem reais, mas, neste caso, basta pouco tempo para isso tudo se tornar pesadelo...

Qual é o tamanho do seu sonho?

Qual é o seu? Ele é pequeno, médio, grande e parece impossível? Não importa o tamanho, mas que ele seja colorido. É isso aí, abuse, sonhe bastante, voe alto e sinta a alegria de como seria ver seu sonho realizado. Eu sempre digo um ditado: “Para sonhar, não se paga nada”, pelo menos por enquanto.

Certo poeta se perguntava: Vale a pena sonhar? Pensar que determinada coisa nos fará ser mais feliz, mas e se ela não se realizar? O sonho viraria frustração?

Só sei que deixar de sonhar é como deixar para trás a razão de viver, é não viver... só não deixemos esse sentimento morrer, pois é por ele que sonhamos, que vivemos!

Sonhos!

​O trânsito de Franca é o bicho!

Retrovisor! Seta! Acelerador! Embreagem! Freio! O francano não conhece bem essas funções.

Postado em:

Retrovisor! Seta! Acelerador! Embreagem! Freio! 

Tenho certeza que esses nomes remetem a um carro ou ao simples ato de dirigir, não é? Mas se tratando do trânsito de Franca, a coisa não é tão simples assim. Como diz um amigo meu, tem gente que usa o retrovisor só para passar batom.

Xiiiii!!! Lá vem um daqueles discursos em que as situações caóticas do trânsito são colocadas como responsabilidade das mulheres. Fique tranquilo(a), o buraco é mais embaixo.

A falta de atenção do motorista francano é incrível. Tucanaram a barbeiragem! Alto lá! Quem nunca deu uma “barberadinha” que atire a primeira pedra...

Alguns motoristas dirigem pelas ruas da mesma maneira quando a cidade possuía um número de carros muito inferior aos dias de hoje. Meu pai é um bom exemplo, ele acredita que a responsabilidade de estar atento é de quem está conduzindo o veículo de trás, ou seja, se o motorista da frente atrapalhar o trânsito, seja trafegando lentamente pelo lado esquerdo, formando fila indiana em ruas largas que permitem fila dupla ou simplesmente esquecendo de usar a seta, o problema é inteiramente de quem vier atrás. Sinistro não? Por isso que, penso eu, meu pai já não dirige mais. Ufa! Menos um!

Falando no uso da seta, tem condutor que acredita que o famoso pisca-pisca só deve ser usado no período natalino. Ninguém merece! A gente tem que andar com uma bola de cristal para tentar desvendar a trajetória do (in) feliz motorista que perambula com a família dentro do carro, achando que está fazendo a coisa mais certa do mundo. Isso é o pior, no trânsito, os valores de certo e errado estão invertidos.

Falando em família, me vem à mente as (in) felizes mamães levando seus pimpolhos para as escolas, principalmente as particulares, penso que muitas acreditam que o espaço da rua também consta na mensalidade escolar, é incrível o que a gente vê! O duro é pensar que tudo isso é feito em prol da segurança das crianças. Pobre pimpolhos, que já estão sendo mal educados, pelo menos no quesito educação no trânsito.

E o que dizer dos que falam no celular, esquecem do volante e ficam “ziguezagueando” na rua. Bom, tem também os que ficam parados no semáforo mesmo depois dele ficar verde. Claro, é o momento de dar um beijo na namorada, mudar a frequência do rádio.

Queria terminar sem falar deles, os motoqueiros, aqueles que te cortam pela direita, no período noturno andam com o farol desligado e com aquele escapamento destruidor de tímpanos. Esses mereceriam não um artigo, mas uma tese de doutorado.

Ah! E o que dizer dos ciclistas que andam em fila, mas para o meio da rua. Fora os carros que vão do início ao fim da Av. Brasil, no meio da pista, tipo Martinho da Vila, “devagarzinho”.

Oh! E nem tente ultrapassá-los, pois sua mãe será homenageada e você será considerado estressado. Falando nisso, Chega! Ufa! Fala sério! O trânsito de Franca é o bicho!

​Marqueteiro político: uma espécie em extinção?

Deixa o campo o marqueteiro e entra o estrategista digital

Postado em:

Pelo que tudo indica o marqueteiro político – o que possui perfil maquiador e manipulador) deve ficar de fora das eleições de 2018. Pelo menos na forma que a gente conhece. Será mesmo?

O título do post é polêmico, um tanto quanto forçado, ou não, se pensarmos no marqueteiro político no estilo João Santana, do PT, – o que senta na mentira e faz coisas que até o diabo dúvida. Ele e sua mulher Mônica Moura estão PRESOS pelos crimes de lavagem de dinheiro durante a 23ª fase da Lava Jato.

Evidentemente que por esse Brasil sem fronteiras ainda tem gente que contrata a peso de ouro marqueteiros que tendem a recorrer a recursos duvidosos para verem eleitos seus “bonecos de ouro”. Afinal, ainda há quem compre PIRITA (o ouro dos tolos) por aí.

O certo é que, a cada eleição, os eleitores seguem buscando informações sobre seus candidatos na internet. E é aqui que se abre um espaço para o ESTRATEGISTA DIGITAL.

Eleições 2018 serão as mais complexas da história?

O momento político do Brasil é dos mais complexos e complicados e certamente isso irá refletir nas Eleições de 2018.

Vivemos uma onda de rejeição à maioria dos políticos, desde os de carreira, passando pelos da bancada ruralista e religiosa. A previsão é de que haja uma renovação dos congressistas.

E aí entram os novos candidatos – com os bônus e ônus -, de empresários a artistas. Que vão pleitear as cadeiras do congresso.

Marketing Digital Político – uma estratégia para chegar lá

O marketing político nas redes digitais é possível ser realizado com antecedência - já tem alguns que começaram viu! - , já que não é preciso ser candidato para que suas ações populares sejam divulgadas, desde, claro, que ele não se coloque como candidato, o que é proibido antes dos 45 dias do pleito.

O futuro candidato, já nessa fase, precisa ter uma história de dedicação ao serviço público, em projetos sociais e de cidadania. Não dá mais pra construir uma história num banco de areia, caso contrário, mais na frente, qualquer embate e a construção do candidato vai ao chão.

É possível, desde já, usar o Twitter, o Youtube e o Facebook e Instagram e impulsionar (com grana, claro) essas histórias (reais) para um processo contínuo de construção da imagem do candidato.

Marketing Digital Político segundo o TSE

O candidato só poderá se apresentar como tal nos 45 dias que antecedem o pleito, definidos oficialmente pelo TSE nas últimas eleições.

As regras do pleito de 2016 certamente seguem valendo, ou seja, menos poluição sonora e visual, nada brindes ou showmícios e pouco investimento. Veremos se haverá novidades para 2018.

Resta ao candidato um forte investimento em estratégia digital, utilizando-se de infográficos, bom site, vídeos, textos que permitam bom ranqueamento no Google, uma boa base de e-mail marketing, entre outras estratégias.

Tudo isso, claro, pensando sob o ponto de vista do MÓBILE, afinal, 70% a 80% da assimilação de conteúdo se dá via celulares.

​Sua empresa não está nas redes sociais?

Investir em redes sociais não é um custo a mais; é uma obrigação para seguir bem com o negócio

Postado em:

Estar na rede é obrigatório. São 3,6 bilhões de internautas. 2 bilhões são usuários ativos de redes sociais via celular.

A publicidade digital continua crescendo, nos EUA, deve ficar maior do que a da televisão ainda este ano e o investimento no mobile já ultrapassou o no desktop. Mas é um mercado concentrado: 85% do faturamento, lá, está nas mãos de Google e Facebook.

Como disse Caio Túlio Costa, consultor nas áreas de Comunicação Estratégica e Comunicação Digital, “no caso das marcas, a regra de ouro é sair da simplória autocomunicação para uma comunicação muito mais expressiva, a chamada business-related conversation, conversação orientada para negócios”.

Há uma série de requisitos para que a empresa estejam bem presente nas redes sociais. Há um trabalho bem orquestrado por uma boa equipe a ser feito. Uma pergunta simples (com respostas complexas) que sua empresa precisa fazer é: “Quais as melhores práticas e o que podemos tirar de proveito na utilização de canais digitais, enquanto ferramenta de comunicação e marketing?”.

E, convenhamos, investir nas redes sociais não é um custo a mais pra a sua empresa; é uma obrigação para qualquer um que queira se mover com sucesso no mundo em que vivemos. Caso contrário, sinto em lhe dizer, sua marca/empresa tende a não resistir a um mundo cada vez mais digital.

​Boris Casoy, o prêmio personalidade e eu

Conheci um Boris “ser humano” recebendo, todo emocionado, a homenagem aos seus 60 anos de profissão.

Postado em:

Essa semana escrevo a coluna da capital Paulista. Estou em SAMPA participando, pela décima segunda vez, de um dos maiores congressos de Comunicação Corporativa do Brasil, o da Mega Brasil Comunicação. Pela quarta vez como integrante do time de profissionais que cobrem o evento. Minha responsabilidade é com postagens nas redes sociais da MEGA.

É sempre emocionante estar nos bastidores de um evento de comunicação. Usufruir da sala VIP de imprensa tem lá seus benefícios, como beber da fonte rica de conhecimento dos palestrantes que passam por ela – antes mesmo de seguirem para o palco da palestra. (na foto abaixo: Claudio Santos (Macho do século XX); Bia Granja (YouPix) e Pondé (Filósofo).

Todos os anos uma personalidade recebe o “Prêmio Personalidade da Comunicação”. Já vi feras da política, da educação, da cultura e da comunicação recebendo a homenagem. Umas delas foi a colunista do Jornal O Globo, Miriam Leitão, que se emocionou e emocionou a todos falando sobre a sua família e vida durante a cerimonia de homenagem em 2014.

Desta feita conheci e conversei com Boris Casoy. Ele não estava no seu personagem “sisudo” de jornalista. Era o Boris “ser humano” recebendo, todo emocionado, a homenagem aos seus 60 anos de profissão. S-E-S-S-E-N-T-A anos, capisce?

Nos altos dos seus 76 anos de idade, Boris recebeu a todos com singeleza e amabilidade, seja para as selfies, a tietagem ou uma rápida conversa sobre a política nacional, raro momento em que ele incorporava uma fisionomia mais séria.

Discurso de Boris Casoy durante o Prêmio Personalidade do ano

Tive o prazer de ser “presentado” pelo jornalista com o seu discurso feito durante a cerimônia de homenagem.

Iniciou agradecendo o prêmio e logo o discurso tomou rumo e ritmo político, que é a cara do jornalista. Abaixo disponibilizo algumas aspas de seu pronunciamento.

“O evento de hoje acontece num momento grave para o Brasil. O país – todos sabemos – está assolado por uma crise política e econômica sem precedentes... não vislumbramos soluções para os males...”

“... a impunidade está sendo combatida a partir da Operação Lava Jato, aliás, ultimamente fustigada e alvo de diversas tentativas de destruição por parte de corruptos de todos os matizes, tanto políticos, como representantes do crime organizado travestidos de empresários”.

“ O país, reconheçamos, discute muito, mas quase nada faz pela educação. A resultante tem sido verdadeiras fábricas de analfabetos funcionais. Não há país que evolua social e economicamente sem um processo educacional minimamente eficiente”.

“Com todos os defeitos que a imprensa brasileira possa ter, nossa atuação tem sido inequivocamente no sentido da busca de um país econômica e socialmente melhor e do aprimoramento da democracia. Exceções existem em todos os setores”.

Boris Casoy: É preciso passar o Brasil a limpo

Durante seu discurso, em nenhum momento Boris usou o seu bordão mais famoso “Isto é uma vergonha!” Mas finalizou com um outro: “É preciso passar o Brasil a limpo!”

​Liderança: caráter, poder e corporações

Estamos num momento em que líderes, corporações e políticos, numa só frase, é notícia policial.

Postado em:

"Se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder”. Nada melhor do que a frase de Abraham Lincol, o político estadunidense que liderou o país de forma bem-sucedida durante a Guerra de Secessão, preservando a União e abolindo a escravidão, para iniciar esse artigo.

O artigo, chega num momento em que líderes, corporações e políticos, numa só frase, faz parte de notícia de editoria policial. Aliás, convenhamos, esse caso de "atração perigosa" é bem antigo, mas isso é assunto para um outro texto.

Há um ditado que diz: “de um homem tudo se pode esperar, amor, compreensão e corrupção, inclusive de caráter". Mas é possível se manter íntegro em ambiente tão competitivo como o das empresas? Mais uma vez faço uso das palavras de Lincoln: “O caráter é como uma árvore e a reputação como sua sombra. A sombra é o que nós pensamos dela; a árvore é a coisa real. “As mais belas qualidades tornam-se inúteis, quando a força do caráter as não sustenta”, disse Théophile Gautier.

As corporações procuram - ou deveriam - por grandes lideranças com autoridade suficiente para comandar ou coordenar, mas de maneira ética e correta para inspirar, motivar e conseguir os melhores resultados da sua equipe. Mas é esse cenário que comumente nos deparamos na empresa? Não é raro encontrarmos lideres ou pessoas que almejam a função que intimidam e tentam controlar os outros. Mas bons gestores agem como pacificadores e neutralizadores. Ao invés de aguçar, acalmam e tranquilizam.

Algumas características dos grandes líderes levantadas no site Administradores: permitem que os outros sejam expressivos em suas opiniões e voltados para desafios e oportunidades; não estão ocupados demais para ouvir e sabem entender as necessidades, desejos e expectativas de cada um; não se sentem ameaçados sem ter o poder e o controle total de uma situação; não temem que seus lugares sejam ocupados, pois sabem que há espaço para mais gente excelente; acreditam em um ambiente de trabalho feliz, saudável e produtivo; dedicam tempo para conversar com cada colaborador sobre as funções, sobre quem eles são e como podem ajudar uns aos outros dentro da empresa; sabem o impacto e o valor da honestidade e da autenticidade; acreditam em parcerias e alianças, criam relações “ganha-ganha”.

Grandes líderes, de verdade, não têm grandes egos e se preocupam com os outros, passam despercebidos na equipe e sempre valorizam os resultados do grupo.

As sabias palavras de Carl Gustav Jung, psiquiatra suíço e fundador da psicologia analítica, encerram a reflexão: "Onde reina o amor, não há vontade de poder, e onde domina o poder, falta o amor. Um é a sombra do outro."