Joga fora no lixo

Postado em:

Segunda feira, pós descanso de feriado prolongado, a mente tranquila, mas o corpo demorando um pouco para acelerar, a gente levanta da cama 6h30, toma café, troca a as toalhas de banho, coloca para lavar dá uma geral na casa e resolve que é uma ótima ideia aproveitar o solzinho da manhã para secá-las na varanda de casa. Passado uma meia hora daquele cheirinho de roupa limpa adentrando a casa por conta do ventinho característico de fim de outono, um novo cheiro e um barulhinho de fogo queimando tomam a atenção. Saio na sacada e me deparo com o vizinho queimando uns restos de mato e papel e aproveitando que o vento não estava levando aquele cheiro e queimada para sua casa, e sim para meu prédio.

Eu realmente não consigo entender o porquê das queimadas, principalmente dessas que são propositalmente causadas por pessoas que não conseguem enxergar em sua volta, e que mesmo sendo um fogo que é apagado 20 minutos depois, ou até menos, causa um enorme desconforto e certos danos ao mundo. Poucos cheiros me causam tanta irritação, como o de queimada e o de lixo. Sim, se tem uma profissão a qual eu realmente valorizo é a dos lixeiros. Eles estão constantemente em contato com perigo, pois podem se cortar a qualquer momento e ainda por cima ficam horas e horas atrás daqueles caminhões inalando aquele aroma terrível! Eu realmente não tenho estômago nem para quando ele passa para recolher o aqui de casa, afinal ele vem arrastando todo o cheiro do lixo anterior, que os catadores ainda remexem e grande parte fica pelas ruas, uma profissão digna de reconhecimento e gratidão.

Mas e se o caminhão da coleta do lixo deixasse um aroma de frutas tropicais depois da coleta? Sim, isso já é realidade do outro lado do mundo. Na cidade de Takarazuka no Japão, a partir do mês que vem, além de ganhar estampas alegres e florais os caminhões também vão deixar aroma de frutas no ar. A empresa que desenvolveu essa tecnologia é bastante conhecida por lá, se chama ShinMaywa, ela é especializada em construir borading bridges (aquele túneis que levam as pessoas até os aviões no embarque) e também na fabricação de caminhões de coleta de lixo. Ela detém a patente do sistema que permite coletar e comprimir o lixo dentro do coletor, e o novo modelo tem um dispositivo que libera um spray sobre o lixo, neutralizando o odor fétido e ainda deixando um aroma de frutas por onde passar.


Esse caminhão chega ao mercado por 9 milhões de ienes. Eles esperam que outras prefeituras logo se interessem pela novidade, assim os funcionários poderão trabalhar com mais conforto, porque o odor fétido não impregna somente na roupa e no nariz, mas até mesmo na pele.  A população também agradece, afinal, é impossível não se incomodar com o cheiro a cada vez que o caminhão passa, o que piora muito no calor do verão. O aroma também será vendido em versão spray para o consumidor final, para que as pessoas possam usar em seus lixos domésticos.

Imagino que o cheiro do lixo seja resolvido daqui alguns anos pelas prefeituras de todo o mundo com essa brilhante ideia dos japoneses. Já o cheiro de queimada, precisamos estudar um pouco mais, talvez seja mais a parte da conscientização de não fazer do que evitar o cheiro em si!

*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.

A noite é um tesouro!

Postado em:

Antigamente o aroma era considerado apenas como uma ‘perfumaria’ da marca, um mero detalhe que não estava no topo de uma lista de prioridades. Hoje em dia, já é considerado quase indispensável e ainda por cima, muitas das vezes, é o ponta pé inicial para várias campanhas e ações de marketing. Como foi o caso do hotel Miramar, da rede mundialmente conhecida Windsor, em Copacabana no Rio de Janeiro.

Na semana do dia dos namorados, eles se inspiraram no clima romântico, e em parceria com a rede multimarca de beleza The Beauty Box trouxeram para as suítes a história de amor e sedução contada através das rosas em homenagem ao lançamento da fragrância La Nuit Trésor Eau de Toilette, da Lancôme. Durante o final de semana dos namorados, os quartos foram perfumados com a marcante e frutada fragrância e os welcome drinks tiveram a mesma inspiração e foram batizados de ‘Passion Nuit’. Até mesmo o jantar no restaurante Sá, do hotel,  ganhou toques especiais com um menu degustação completo e de sobremesa uma panna cota de chocolate branco, comporta de amora e coulis de tangerina.

Cada acomodação ganhou amostras especiais da fragrância, além de um voucher de desconto na compra de produtos Lancôme na loja online da The Beauty Box. O lobby e o rooftop do hotel, também ganharam ambientação especial e espaços onde os hóspedes puderam testar o lançamento e  curtir momentos de muito prazer e amor. As diárias saíram em torno de R$ 509,00 (fora taxas) incluindo café da manhã, o jantar foi cobrado à parte. Exclusivamente no dia 12 o café foi servido nas suítes.

Definitivamente os detalhes estão se tornando cada vez mais especiais quando se trata de criar experiências e favorecer o comércio em geral. As experiências sensoriais, possibilitam criar momentos únicos e inesquecíveis e ainda oferecer ao cliente algo personalizado e cheio de carinho. Vale a pena se inspirar nessas ações e se aprofundar criativamente nesse mundo das sensações!

*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.

A GENTE QUER É SER FELIZ!!

Postado em:

Cheiro de mato, de torta de maçã, domingo sem pressa, segunda com alegria, verão com praia, frio com vinho, pipoca com filme, vento no rosto, sorvete de limão azedinho, carro novo, grama recém cortada, peru assando, bebês pequenos, churrasco com os amigos, quentão em festa junina, frutas frescas, roupa de cama limpa, toalha fofinha pós banho, colo de mãe, abraço de filho, Paris na primavera, livro novo, livro antigo, carta manuscrita, prova impressa em mimeógrafo, pão quentinho no café da manhã, feijão feito na hora, rolha de vinho recém aberto, cloro de piscina em dia calorento, plástico de boneca, gasolina do posto, comida caseira, protetor solar, brigadeiro de panela, leite com açúcar queimado, estrada de eucaliptos, banheiro limpinho, café da casa do vizinho, prece verdadeira, mexerica direto do pé, banana com queijo e canela, camarão na beirada da praia...

O amor tem diversos cheiros, porque ele sempre te faz recordar coisas boas, o amor é a saudade permanente daquilo que está longe ou bem perto. É o cheiro que aparece quando o gás da paixão se dispersa nos trazendo para uma realidade tranquila. São os minutos sem pressa, os olhos brilhando, o coração disparado, as borboletas no estômago, a calmaria do silêncio, a sinceridade nos sorrisos, o batucar do coração. A música que tem cheiro e sabor. A companhia necessária, sonhos para o futuro, desejo do presente, visita inesperada, beijo de boa noite, mensagem de bom dia, lanche no meio da tarde, bilhete embaixo do travesseiro, dividir o guarda chuva, caminhar de mãos dadas, revelar segredos, multiplicar alegrias, fazer do comum extraordinário.

Porque o amor transforma qualquer momento em roteiro de filme, qualquer sorriso em propaganda de pasta de dente, qualquer cheiro em seu perfume predileto, qualquer música em primeiro hit da Billboard, qualquer dança em valsa parisiense, qualquer lanche em jantar pra dois na beira da praia, qualquer pequena lembrança demonstrada em ‘felizes para sempre’.

*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.

Sinta o Otimismo

Postado em:

Considerada a principal plataforma de negócios do setor de cosméticos da América Latina, nessa última semana aconteceu a FCE Cosmetique, a única feira que abrange todas as etapas no desenvolvimento e produção de cosméticos, apresentando desde matéria-prima, embalagens, maquinários até acessórios, fragrâncias e serviços. Outro diferencial, é que ela sempre acontece após os maiores lançamentos de produtos na Europa. Ou seja, é um espelho para expositores e visitantes com palestras e profissionais renomados. Paralelamente, ocorre desde sua primeira edição, o Congresso Brasileiro de Cosmetologia, promovido pela Associação Brasileira de Cosmetologia.

Esse ano a feira chegou a sua 22ª edição que não só mudou seu local de exposição em São Paulo, abrindo espaço para pequenas empresas, startups e palestras sobre inovações técnicas e empreendedorismo além de uma ação inédita, uma atração chamada de ‘Sinta o Otimismo’. O objetivo é que o visitante sinta diferentes sensações baseadas em alegria, aconchego, liberdade e amor, estimulando os sentidos naturais do corpo e trazendo boas lembranças.

O corpo possui cerca de 25 milhões de células olfativas à disposição do ser humano, mas raramente temos a noção de sua importância. Desconectados da natureza, perdemos muito do nosso instinto natural. As grandes metrópoles com seu excesso de poluição visual, sonora e olfativa afetaram de forma agressiva muitos dos nossos sentidos. A importância das experiências multisensoriais, principalmente as olfativas, resgatam um pouco desse instinto. O olfato desperta sentimentos em vários níveis, desde rejeição como de prazer e felicidade, através de lembranças. O resgate desses sentimentos nos completa trazendo harmonia e equilíbrio, um ponto importante nos dias atuais diante de tantas solicitações, excesso de informação, e resgates diários que precisamos fazer para não perder nossa humanidade. Isso não é algo a se desconsiderar nos dias de hoje, pois já é provado que muito das doenças desenvolvidas no último século estão lincadas à perda do convívio com nossos instintos básicos.

O objetivo desse stand é exatamente esse, te reconectar com os mais básicos dos sentimentos, coordenando essa atenção com seus sentidos trazendo o maior nível possível de bem estar, e mostrando como o olfato pode proporcionar essa sensação de forma profunda. ALEGRIA, ACONCHEGO, LIBERDADE E AMOR, esses são os quatro sentimentos que são ressaltados nessa experiência e juntas as fragrâncias compõem o perfume da FCE Cosmetique, que será entregue no final da experiência. 

*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.

A história por detrás da estrela

Postado em:

Quando criança, o estilista francês Thierry Mugler era apaixonado por dança. Aos 14 anos já fazia parte do corpo de balé da Opéra National Du Rhin, na França e ao mesmo tempo em que trabalhava sua disciplina e expressão física, Thierry tinha aulas de design de interiores na Escola de Artes Decorativas de Estrasburgo, sua cidade natal.

A mistura entre os ensinamentos do ballet e do design é a grande responsável pelo sucesso de Thierry como estilista, foi dançando e estudando que Thierry se apaixonou por projetos incomuns, característica presente em suas criações tanto na moda quanto em perfumes. Em 1969, aos 24 anos, ele decidiu se mudar para Paris e foi na capital francesa que começou a desenhar roupas para uma pequena boutique local. Alguns anos depois lançou sua primeira coleção denominada Café de Paris. Ele reinventou o conceito da sedução em suas criações e foi rotulado como um estilista provocador.

O próprio Thierry se reuniu ao dono do Grupo Clarins para que pudesse começar a fundação da Maison de perfumes Thierry Mugler. O primeiro, e possivelmente mais famoso, perfume da marca foi Angel, criado em 1992 por Olivier Cresp, inspirado em memórias de sua infância. A marcante fragrância é considerada a primeira 100% gourmand (que remonta o cheiro de doces e sobremesas) com notas de mel, chocolate, baunilha, caramelo, patchouli e sândalo.  Ele mesmo já explicou que ele queria que esse perfume tivesse uma ressonância comum a todos, algo próximo da suavidade e da infância. Criando um contato tão sensual com esse perfume que a pessoa quase quisesse devorar quem ela ama. A presidente da marca então chamou o perfumista Olivier Cresp, depois que outros consultados acharam a proposta irreal, e disse que gostaria de um perfume que não seria testado com consumidores e fosse extremamente marcante, como se transcrevesse algo que possa ser comido. Que o plano deles era vender para somente 2% dos consumidores.

E assim foi feito após 600 experimentos, um perfume totalmente inusitado que a frase clássica ‘Ame ou odeie’ se encaixa perfeitamente. Ele criou uma nova categoria em notas olfativas, a oriental gourmand. O frasco em formato de estrela, azul celeste, talhado como um diamante e polido a mão  foi desenhado pelo ateliê Verreries Brosse com cuidado e custa uma pequena fortuna para ser fabricado, porque usa um molde rotativo até então nunca utilizado. Os símbolos sempre fascinaram o estilista, e foi a capa do livro publicado por ele em 1986, um verdadeiro símbolo em sua vida. O astro que guia, um refúgio, um anjo da guarda. Já o azul a cor do imaginário, do impalpável, do imprevisível. Uma personificação do céu, do infinito da imensidão.

E o mais novo lançamento no mundo das fragrâncias é uma releitura deste clássico, o Angel Muse, possui a mesma base mas com notas de creme de avelã e vetiver. O resultado é um perfume mais delicado, mas não menos impactante, num frasco oval com acabamentos metalizados que imitam uma pedra do solo de Marte.

Elegante, carismática e super glamourosa, sexy e única a ‘Angel’ que vira o rosto deste perfume é Jerry Hall, ex mulher de Mick Jagger. Anos depois quem toma seu lugar é sua filha, Georgia May Jagger, e que também é o rosto que faz esse novo lançamento que com certeza já é um sucesso reinventando essa fragrância incrivelmente única e cheia de história e detalhes arrebatadores.

*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.

Da cabeça aos pés

Postado em:

Todos os dias conheço pessoas que ama ter uma marca assinada, quando se trata de perfumes, e quem já prefere usar uma fragrância cada dia, variar sempre. Não existe uma forma correta, mas aquela que te faça se sentir bem. Mas pensando naqueles que não abrem mão de sempre usar a mesma fragrância, a Guerlain, uma das mais antigas casas de perfumes, tem um lançamento super especial para o mês de junho.

O lançamento tem a ver com um dos grandes sucessos da marca, o perfume La Petite Robe Noire, o oriental baunilha lançado em 2012 assinado pelo perfumista Thierry Wasser. Depois da criação de uma linha de acessórios, que inclui uma bolsa projetada pela designer Delphine Delafon e um par de luvas de couro perfumado assinados por Agnelle, e do lançamento de uma linha de maquiagem, o perfume se associou à tradicional Mara francesa Le Coq Sportif para criar um par de tênis.


O lançamento será concomitante com a nova fragrância do La Petite Robe Noire, que será realizado em junho, vão lançar um par de tênis branco e preto, inspirado no modelo da marca esportiva que assina a criação, o Arthur Ashe, com o famoso vestidinho preto, símbolo do perfume, estampado em uma lingueta e o galo, símbolo da marca esportiva estampado na outra. A sola em borracha transparente terá lantejoulas prateadas. Junto com o par virá uma miniatura em cerâmica com a fragrância, que também poderá ser utilizada como pingente.


Digamos que oficialmente seria como usar uma fragrância da cabeça aos pés, o kit completo para os amantes da marca e desse perfume tão marcante e especial da Guerlain. Esse lançamento será uma edição limitada Le Coq Sportif x La Petite Robe Noire e estará disponível a partir de 29 de maio nas lojas da marca e em lojas selecionadas. O preço estimado será de 95 euros e estará disponível nos tamanhos 36 ao 41. Se você é um amante da marca e deste clássico da perfumaria, não pode perder esse lançamento!

*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.

A magia do mundo das fragrâncias

Postado em:

Parece não haver diferença entre cozinhar e perfumaria. Exceto, claro que existe, algumas diferenças bastante grandes, na verdade. Sabores em alimentos processados ​​podem ser escondidos de nós, da mesma forma como fragrâncias em produtos cosméticos ou domésticos. "Sabor natural" na lista de ingredientes pode significar uma fórmula complexa, e há boas razões comerciais para mantê-los secretos. O que aconteceria à empresa Coca-Cola se eles tivessem que listar seu sabor na garrafa? Nós todos sabemos que existem outras marcas de cola, e enquanto eles são todos reconhecidos como 'cola' (uma mistura de cítricos e especiarias), nenhum deles gosto de Coca-Cola.

Com alimentos, se você começar com ingredientes baratos, você pode ser capaz de transformá-los em algo comestível, mas se você comprou um pedaço de carne barata, você nunca iria transformá-la em um bom filé. Na gastronomia, quase sempre é possível se reconhecer o que está comendo facilmente. Já na perfumaria, todo o conceito é baseado em uma espécie de ilusão olfatória. Os bons perfumistas são ilusionistas. Exploram a natureza combinatória de nossa percepção olfativa e criam acordes, que são misturas de ingredientes que juntos possuem seu próprio cheiro, em vez de uma óbvia combinação dos materiais utilizados. Em outras palavras, um perfume é maior do que uma soma de suas partes.

Acordes formam a base de famílias de fragrâncias convencionais (chypre, oriental, fougere e assim por diante). Quando sentimos uma fragrância, nossos cérebros criam uma construção cognitiva do cheiro com base em muitos fatores, incluindo nossa composição genética, memórias de perfume, preferências culturais e assim por diante. A construção cognitiva de todos é ligeiramente diferente, e recordará cheiros familiares, imagens, emoções e eventos únicos para aquela pessoa. Pergunte a si mesmo - seria justo para nós insistir que antes de irmos assistir a um ilusionista ou um mágico, que nos deve ser mostrado exatamente as ferramentas e técnicas que eles usam para realizar suas mágicas? Ao sentir um aroma, seria a mesma coisa.

Os perfumes podem criar associações extraordinárias para nós. Perfumes instantaneamente podem nos lembrar de coisas. Isso, combinado com a sugestibilidade da mente humana (e sua preferência pela estrutura narrativa à informação) significa que o marketing do perfume sempre foi cheio de histórias e fantasias. Nós amamos histórias, e eles ajudam a vender produtos. Quando o cheiro de um produto de consumo corresponde às expectativas, seus usuários percebem que o produto é mais efetivo. Isto foi estudado ao dar às pessoas duas fórmulas de shampoo idênticas, e aquele com uma fragrância de sucesso será percebido como tendo deixado o cabelo mais limpo e mais brilhante do que o outro.

Os bons perfumistas também sabem que o óleo de rosa não cheira a rosas em flor, cheira a óleo de rosa, e para construir uma rosa em flor, é preciso construir um acorde de rosa, que pode ser reforçada pelo uso de óleo de rosa natural. Para construir um lírio-do-vale, deve-se usar muitos materiais sintéticos porque as flores não produzem um óleo essencial. Usando um pouco de bergamota ou ylang-ylang em um acorde de lírio-do-vale pode reforçá-lo. Se alguém listasse ylang-ylang na lista de ingredientes do produto acabado, poderia perder um consumidor que odeia o cheiro de ylang-ylang em si. Em um acorde bem construído de lírio do val, o ylang-ylang não se destaca, e em vez disso, faz parte do rico, floral aspecto do lírio do vale do perfume. Um bom perfumista pode fazer com que os materiais baratos cheguem a ser caros, e um mau perfumista pode fazer com que materiais caros cheguem baratos.

Cozinhar é uma habilidade básica de sobrevivência, e formas simples de cozinhar devem ser ensinadas a todos. Perfumar as coisas é mais uma trivialidade, e não essencial para a sobrevivência (embora eu mesma discorde), por isso as habilidades para fazer fragrâncias para produtos de consumo não foram conhecimentos gerais essenciais. Por outro lado, na época vitoriana, os cozinheiros estavam regularmente inventando cremes perfumados e outros produtos na cozinha, e os barbeiros também podiam ser perfumistas, e a perfumaria amadora está novamente em ascensão.

Mas acho incrível como há algo de mágico e secreto na perfumaria, e como ela intriga as pessoas, em como é possível criar uma alquimia que se transforma em aromas maravilhosos. E realmente acredito que assim deva continuar, exceto quando se tratam de produtos que tentam vender materiais sintéticos como sendo “totalmente naturais”, que a magia do mundo do perfume possa continuar encantando e estimulando cada vez mais pessoas.

*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.

Not a Perfum

Postado em:

Se você é fã da designer de moda Nina Ricci e de seus perfumes, talvez possa se interessar pela linha de fragrâncias de seu neto perfumista Romano Ricci: Juliette Has a Gun. O nome Juliette é em homenagem à Shakespeare e uma de suas personagens mais famosas, já a expressão “está armada”, tem um significado bem contemporâneo, como se ela estivesse mais empoderada só que romântica como antes. A marca possui várias fragrâncias, mas a mais curiosa se chama: Not a Perfume. Lançado em 2010, e que se auto denomina não ser um perfume.

Talvez por definição realmente não seja, porque teoricamente um perfume é uma mistura de aromas que quando juntas formam uma outra. Porém não é o caso desse produto, ele é composto por apenas uma curiosa nota. Já mencionei aqui sobre o âmbar, e naturalmente de onde ele vem, mas que nos dias de hoje ele é feito sinteticamente. E essa fragrância é feita exatamente de um âmbar, o Ambergris, âmbar cinzento, também chamado de cetalox ou ambroxan.

Na verdade esse tipo de nota é extremamente rara e elegante, e não se sabe ao certo exatamente de onde ela vem, mas acredita-se que quando as baleias cachalotes ficam com o estômago irritado com alguma coisa que comeram, elas cobrem isso com uma substância gordurosa e cospem. E essa substância é chamada de âmbar cinzento. Sua forma natural é muito difícil de ser obtida e custa dezenas de milhares de dólares, e claro, se tornou ilegal há muito tempo. Mas sua versão sintética já não é tão difícil de ser encontrada.

Para um perfume que diz não ser um perfume, ele realmente cheira como um perfume na minha opinião. E tem um cheiro delicioso! Amadeirado, quente, suave, sem ser condimentado e com um leve toque de talco. Não possui nenhum toque floral. Uma fragrância sofisticada e sutil com uma fixação maravilhosa. O frasco é neutro e chamativo. Se não é um perfume, também não é vômito de baleia, e realmente vale a pena experimentar!

*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.

Que cheiro é esse?

Postado em:

Nosso organismo às vezes nos prega peças complicadas, nos coloca em saias justas que por muitas vezes ficamos sem saber o que fazer. Dificilmente alguém nunca passou pela desagradável situação de estar em algum lugar, por menos cheio, e soltar um ingênuo (barulhento ou não), porém mal cheiroso pum! O que fazer? Ficar parado, ou sair caminhando e carregando aquele aroma com você, avisar que fez e pedir desculpas. Enfim, as possibilidades são imensas, mas a vergonha ainda maior.

Pois foi exatamente o que aconteceu na Suiça há um tempo atrás, um artista francês de 65 anos estava jantando com os amigos e após comerem muito o ‘pum amigo’ resolveu reinar no local, e eles perceberam que além de constrangedor tem horas que chega a ser até insuportável. Christian Poincheval então resolveu arrumar uma solução para esse problema, reuniu novamente os amigos e alguns cientistas que conhecia e resolveu criar pílulas que acabassem com esse pequeno problema que se torna ainda pior por ser difícil de segurar depois de uma certa idade.

A primeira pílula que foi criada é feita de ingredientes naturais como erva doce e mirtilo, que facilitam a digestão, diminuem a formação de gases e transformam aquele cheio super desagradável em aromas de rosas. Agora ela também já pode ser encontrada com cheiro de chocolate ou violeta caso o comprador preferir, e foi lançado uma edição especial de gengibre para o dia dos namorados. Até mesmo uma opção para acabar com o cheiro dos gases caninos. Elas podem ser encontradas no site Pilulepet, cada frasco com 60 pílulas custa 18,86 € (cerca de R$ 65,00).

Claro que a maioria das pessoas ainda duvida de sua eficácia, mas mesmo que não funcione, renderá ótimas gargalhadas. Mas se realmente funcionar vai dar muito mais tranquilidade e liberdade aos flatulentos, e até mesmo o inicio de uma nova época em que soltar pum será prazeroso. Seja para se livrar de um problema ou até mesmo presentear os amigos de uma forma cômica, acho que vale a pena experimentar!

Site para compra do produto: http://www.pilulepet.com/en/


*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.

Viva de você para o mundo!

Postado em:

Na semana passada tive o prazer de poder ir pra capital e curtir muitas das coisas que só São Paulo te oferece daquela forma, inclusive tomar chuva com alagamentos e muito trânsito. Entrei num estádio de futebol pela primeira vez, assisti ao show de um grande ídolo, andei na Av. Paulista de ponta a ponta descobrindo os novos comércios e revisitando os antigos pontos principais. Ir a um shopping que eu não entrava fazia anos, que tem meio que cara de infância, afinal, na minha cidade não tinha nem Mc Donald’s, ir para capital era até mesmo desfrutar de prazeres impossíveis aqui no interior.

O engraçado é pensar que quando nova, ia visitar os parentes e tinha horror daquela cidade, além de muito medo. Hoje talvez o medo tenha se transformado em cautela, e o horror se transformou em prazer, reviver antigos e novos prazeres, ver pessoas que eu consigo ver muito pouco (e nunca conseguir ver todas, porque o tempo é sempre curto), visitar lugares, sentir cheiros que me fazem bem porque São Paulo não cheira somente a poluição!

Uma outra experiência incrível foi poder ver uma exposição de um programa que eu amava, O Castelo Ra-Tim-Bum, programa que marcou a infância dos anos 90 e a história da TV Cultura. Há 3 anos, o MIS (Museu da Imagem e do Som) fez uma exposição sobre o programa que eu não consegui visitar, mas na época lembro-me de ler como valorizaram a parte sensorial, inclusive um dos ambientes principais era a cozinha em que eles aromatizaram com cheiro de café para realmente provocar os sentidos os visitantes. Essa nova exposição não é a mesma do MIS, ela se encontra no Memorial da América Latina, na Barra Funda, e apesar de recriar grande parte dos cenários e te fazer viajar no tempo, senti falta dessa parte sensorial no geral, não somente olfativa mas também sonora. Acho que são duas coisas que marcam, muito a nossa memória os cheiros e os sons. Como eu citei do shopping no começo do texto, é impossível um dia na vida não sentir ou ouvir algo e se lembrar de alguém ou algum momento.

Como por exemplo, uma pessoa que eu conheci a um tempo atrás, sempre perfumada, tinha uma coleção de mais ou menos 50 perfumes ou mais. Todos deliciosos, mas faltava uma marca olfativa sabe? Nem que fossem eleitas três fragrâncias, mas que quando alguém pudesse sentir aquele cheiro, lembrasse dela! É como o paladar, difícil encontrar alguém que não goste comer, e com certeza uma variedade de coisas, mas existem ao menos dois pratos que nos agradam mais. E quando você é convidado para jantar sempre segue a pergunta, e o que você mais gosta de comer?

Isso não é regra nem lei, mas tenho isso pra mim, assim como no mundo do marketing sensorial, em que lojas e marcas estão cada vez querendo criar um perfil para elas, creio que no nosso mundo pessoal também deveria ser assim. A gente não precisa ter medo de ser quem a gente é, mostrar do que gostamos, e se necessário mudar isso. Mas é gostoso poder pensar que alguém lembrou de nós porque ouviu uma música que sabe que gostamos, que comeu um sorvete do nosso sabor favorito, que sentiu um cheiro e se lembrou que é seu perfume. Uma frase do Papa Francisco marcou muito essa minha semana e representa todo esse texto muito bem: “A vida é boa quando você está feliz, mas a vida é muito melhor quando os outros estão felizes por sua causa.”

*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.