Cada Um No Seu Quadrado!

Postado em:

Ao longo dos meus textos, sempre afirmo que o bom relacionamento do líder com sua equipe, a transparência e a busca por mais horizontalidade nos processos são fundamentais para que o trabalho flua melhor e de maneira mais humana. Contudo, é preciso compreender que isso precisa estar equilibrado com a característica de autoridade que um líder possuí. Isso significa que se você é líder, não deve e não pode confundir essa posição com aquela de um amigo, por exemplo.

Situações surgirão e exigirão que você tome posições mais firmes e muitas vezes contrárias aquelas que algum membro da sua equipe deseja. Caso tal relação tenha sido construída na base da barganha de sentimentos, essa discordância fará com que um problema maior surja e afete negativamente a todos.

Esse comportamento é natural daqueles líderes que não desejam liderar, mas sim serem amados. Com isso, se confunde bom relacionamento com troca de elogios, tapinha nas costas e total concordância. O problema é que isso é impossível de manter por um longo tempo.

Por isso, preze pela sinceridade respeitosa e pelo bom senso. São essas características que possibilitarão que críticas surjam nos momentos certos, e que você possa dizer não sem causar indisposição entre a equipe.

Conciliar tudo isso é de grande importância, já que é tarefa do líder guiar o time e ditar o ritmo de trabalho. Se você passa mais tempo batendo papo com sua equipe sobre assuntos que não se relacionam em nada com o trabalho, você contribuirá para que todos entendam que é normal perder o foco. Mas, se o líder tem uma postura focada e dedicada, o sinal que as pessoas captarão será outro.

Preste atenção a sua postura e compreenda que ela será mimicada por quem está ao seu lado no cotidiano do trabalho. Além disso, um líder equilibrado tem muito mais moral e facilidade para chamar a atenção, dar aquele puxão de orelha ou mesmo recompensar quando merecido.

Em resumo, não tenha como objetivo ser amigo da sua equipe fora do trabalho. Mas se esforce para ter um relacionamento harmonioso, onde cada um exerce o seu próprio papel e tem seu espaço. Dessa forma, quando chegar a hora de analisar os resultados obtidos, todos terão muito claro qual era sua própria responsabilidade, e as indisposições por conta das cobranças serão muito menores.

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br

*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras.

Seu modelo de negócio é uma peça de museu?

Postado em:

Nos últimos anos, as transformações nas tecnologias informacionais e de comunicação vêm transformando todas as relações que temos com nossos empregos. A forma como interagimos com os funcionários, como medimos a eficácia dos processos e como mensuramos os resultados obtidos já podem ser feitas de maneira digital sem grandes esforços através de plataformas online e conectadas em rede.

O resultado dessas mudanças tem se mostrado através da transição para uma postura mais colaborativa e que preza pela confiança no trabalhador. Algo muito diferente da postura paternalista observada nos modelos de negócio mais antigos, que prezava pelo controle de todos os processos realizados pelos funcionários e que não possibilitava a inovação e o crescimento individual.

Os novos modelos de negócio têm optado, claramente, por investirem na otimização de processos. O que isso significa? Que o importante não é mais ter um trabalhador preso a uma cadeira por 8 horas seguidas, mas sim a qualidade das horas trabalhadas, ou seja, o foco passa a estar na eficiência desse trabalho. Seja se foram trabalhadas 8 horas, seja se foram 5. E a jornada de trabalho flexível é apenas o exemplo mais gritante dessa mudança de perspectiva nas relações trabalhistas do século XXI.

Isso já pode ser observado em grandes empresas, a maioria ligada aos rápidos avanços tecnológicos, mas já podemos ver essa transformação surgir em companhias consolidadas como a PwC. Sem dúvidas, empresas como Google, Facebook e Netflix estão liderando essas mudanças, o que demonstra o peso e a eficácia que elas possuem.

A lógica tanto no trabalho como no consumo de bens e serviços está se invertendo, agora vemos que quem decide é o indivíduo. No século XXI, é você quem decide onde, quando e por quanto tempo quer assistir determinado programa de TV, ouvir a sua música favorita, ou falar com quem gosta.

Em grandes capitais os espaços de co-working se multiplicam rapidamente, a adesão ao home-office cresce em nível exponencial, a maior flexibilidade nos horários já é uma realidade em muitas empresas. E engana-se quem pensa que isso só é possível em grandes empresas. Pequenos e médios empreendimentos também já têm atuado dentro dessa nova mentalidade.

A ideia aqui é otimizar e reorganizar o modo como se trabalha, para que cada pessoa seja capaz de colocar o seu melhor em todos os processos que ela está inserida. Flexibilizar é, também, dar mais responsabilidade aos indivíduos e permitir que eles trabalhem no próprio tempo, sem atropelos ou procrastinação.

Quais são os resultados? Funcionários menos cansados de uma rotina muitas vezes cheia de repetições, mais focados nas próprias tarefas e mais interessados naquilo que estão fazendo. Além de uma diminuição na rotatividade de funcionários, nas faltas por questões pessoais, e nos gastos com recrutamento e treinamento.

Tudo isso contribui para o alcance de resultados melhores, para a otimização de processos e para uma maior rentabilidade do próprio negócio. Esses são os negócios do presente e quem ainda não atua sim, precisa apertar o passo, senão, ficará para trás.

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br

*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras.

Você Conhece Seu Próprio Ritmo?

Postado em:

Você acredita que é possível melhorar a produtividade de qualquer pessoa aplicando regras universais de comportamento? Exemplo, alguém que começa o dia lendo e respondendo e-mails será mais produtivo, e isso vale para qualquer pessoa.

Se você acredita em afirmações como essa, sinto em dizer, mas você precisa se atualizar. É verdade que até alguns anos atrás, esse tipo de pensamento era corriqueiro em qualquer empresa. “Gurus da produtividade” e “especialistas em comportamento” ganhavam a vida dizendo que o desempenho de qualquer um poderia ser otimizado através de algumas fórmulas mágicas e universais.

Contudo, atualmente vemos estudos científicos sérios têm desmentido todas essas crenças. Ou seja, a ciência vem provando que recomendações generalizadas não funcionam. Por que? Pelo simples fato de que cada pessoa possuí um modo de se organizar diferente. Logicamente, algumas possuem modos parecidos, porém a diversidade impossibilita que uma regra de desempenho se aplique para todos os seus funcionários, por exemplo.

Mas, então, o que fazer? Primeiramente, é preciso evitar generalizar. Depois, é preciso entender que para cada estilo de comportamento existe um método de trabalho diferente que seja ideal.

Justamente por isso, não podemos afirmar que alguém que começa o dia lendo e-mails será mais produtivo. Isso, na verdade, pode até ser mais prejudicial para algumas pessoas. O mesmo vale para a ideia de que acordar cedo é o segredo para se ter um dia com produtividade elevada.

Certamente para um grande número de pessoas, acordar cedo funciona muito bem. Quem funciona biologicamente nesse ritmo, não se sente cansado, pesado ou “lerdo” ao despertar junto com o sol nascente. Essas pessoas se sentem bem-dispostas, animadas e cheias de fôlego para realizar suas atividades nesse horário.

Agora, existem pessoas que são notívagas, que possuem um relógio biológico diferente dessas pessoas diurnas. Ou seja, notívagos funcionam melhor quando trabalham de tarde ou de noite, e preferem usar a manhã para dormir e descansar. Pesquisas já demonstram que esse grupo de pessoas é maior do que imaginamos.

Por esses motivos, é importante prestar atenção aos seus hábitos e em como o seu organismo tem reagido a eles. Dessa forma, busque adaptar sua rotina ao seu relógio biológico e compreenda que cada pessoa possui um ritmo próprio que deve ser respeitado. Isso contribuirá (e muito) para ter um cotidiano mais produtivo e menos cansativo.

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br.

*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras.

Deixe Sua Empresa Mais Harmoniosa

Postado em:

Continuando a série de conselhos para que você alcance a harmonia em sua empresa, trago a segunda parte com 5 dicas finais para você. Caso não tenha visto, você pode conferir a primeira parte aqui.

Veja abaixo mais 5 conselhos cruciais:

6 – Saiba Delegar

Delegar tarefas é essencial para que sua equipe consiga progredir nas tarefas essenciais para o bom funcionamento do seu negócio. Infelizmente, lideranças perfeccionistas e centralizadoras acabam por não delegarem funções, pois não confiam na capacidade dos demais.

Esse comportamento prejudica a todos, mas quem mais sofre é a própria empresa.

7 – Seja mais horizontal

Sem dúvidas, a tomada de decisões de forma vertical é mais rápida e muito menos trabalhosa do que envolver toda a equipe em processos decisivos. Contudo, esse tipo de comportamento não é coerente com a realidade do século em que vivemos.

Antigamente, o normal era que a administração da empresa apenas comunicasse o resultado de todas as decisões para os funcionários. Não havia problema em que isso chegasse ao restante da empresa como uma ordem.

Mas atualmente, já se entende que um cérebro sempre vai pensar menos do que vários. E todos na empresa devem participar de alguma forma de processos decisivos. Já que cada um pode contribuir positivamente, além de que também serão afetados pela decisão final.

8 – Invista em comunicação interna

Empresas transparentes e que possuem uma boa comunicação interna têm mais facilidade para executarem tarefas complicadas e estressantes. Esses aspectos são chaves para que os funcionários se sintam motivados e compreendam o contexto de suas funções.

9 – Estabeleça e diferencie prioridades

Na maioria das empresas é possível perceber uma confusão muito grande entre prioridades importantes e prioridades urgentes.

Saber diferencia-las é importante para que sua empresa tenha objetividade e consiga estabelecer prazos com assertividade. Prioridades importantes são aquelas que possuem grande valor e impacto para a empresa, já prioridades urgentes são aquelas que precisam ser resolvidas o mais rápido possível, pois sem que elas sejam resolvidas outros processos ficam empacados.

Dessa forma você conseguirá eleger os processos que devem receber a maior quantidade de recursos e energia, otimizando tempo e alcançando melhores resultados.

10 – Tenha um plano de carreira para os funcionários

Ter um Plano de Carreira para os funcionários é uma ótima maneira de engajar e fazer a empresa crescer como um todo. Além disso, através de um planejamento a longo prazo muitas disputas nocivas ao ambiente de são evitadas. É preciso ter um ambiente onde os méritos de cada funcionário são percebidos, reconhecidos e recompensados.

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br.


*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras.





Dicas para deixar sua empresa mais harmoniosa

Postado em:

Hoje, trago uma nova série de conselhos para que você alcance a harmonia em sua empresa. Trago mais 10 dicas divididas em duas partes. Confira a primeira parte logo abaixo:

1 – A questão da pontualidade

Comumente no Brasil, festas e encontros informais costumam ser marcados para meia hora antes do início oficial, justamente para evitar atrasos. Contudo, isso não costuma ser levado para o ambiente corporativo. O resultado? Quando é marcada uma reunião para às 9h, as pessoas, e muitas vezes o próprio chefe, só chegam às 9h30.

Para deixar a situação mais complicada ainda, é comum que tais reuniões se percam em conversas que têm pouco a ver com o tema a ser discutido, gerando perda de tempo e falta de clareza.

Por isso, busque criar um ambiente de pontualidade na sua empresa. O primeiro passo é dar o exemplo, chegar antes do início da reunião também é uma boa tática. Além, é claro, de evitar marcar reuniões em horários que deixem todos desconfortáveis, por exemplo às 8h de uma segunda-feira.

Para completar, trace um cronograma para cada reunião com começo meio e fim. Isso ajudará a manter todos focados, economizando tempo e dando tempo para que cada ponto fique bem claro.

2 – Horários Personalizados

Uma tendência mundial é a flexibilização dos horários de trabalho. Inúmeras pesquisas já comprovaram que cada pessoa tem seu melhor horário de funcionamento. Uns de manhã, outros mais a tarde e alguns de noite. Por isso, pensar em cronograma de trabalho que não seja o mesmo para todos os funcionários é uma opção atraente se você deseja mais produtividade.

Lembre-se que disciplina é diferente de rigidez e que logicamente será preciso planejar tais pontos para que toda a equipe se encontre em algum momento e para que essa mudança de comportamento seja benéfica e não prejudique a empresa.

3 – Definição e assertividade

Dar poucos feedbacks e ser pouco claro quanto as metas da empresa e a responsabilidade específica de cada um também é um hábito extremamente prejudicial para toda a empresa. Essa atitude gera confusão, perda de produtividade e atrasos diversos em todas as esferas do negócio.

Busque definir claramente a responsabilidade de cada um dentro da empresa através de feedbacks e reuniões. Além disso, as metas de curto, médio e longo prazo também devem ser muito bem específicas e claras para todos. Afinal de contas, uma empresa que não sabe onde quer ir, não chegará a lugar algum.

4 – Entender a diferença entre erros e erros

É preciso que os líderes entendam que existem erros e erros. A diferença entre eles é simples, alguns surgem a partir da presunção das pessoas e outros surgem da tentativa de inovar e trazer melhores resultados para a empresa.

Quando se tenta fazer algo novo, que fuja dos padrões e que possui grande potencial, é natural que equívocos e erros ocorram. Por isso, punir tais erros ´pode ser prejudicial. É preciso entender porque eles aconteceram e incentivar os funcionários a errarem melhor. Se você deseja se destacar e ser exemplo em inovação, o caminho a ser traçado é esse.

5 – Novas estratégias

Mudanças estratégicas ocorrem de que forma na sua empresa? De maneira lenta e gradual? Sempre em médio e longo prazo?

Talvez seja a hora de repensar tudo isso. A inovação quase sempre surge de maneira rápida e ágil. Se sua empresa não possui estrutura para reagir nessa velocidade, você certamente ficará para trás. Busque ter pelo menos três frentes estratégicas: curto, médio e longo prazo. Faça prospecção de cenários futuros e crie caminhos ágeis para alcançar seus reais objetivos.

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br

*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras.

Melhore sua saúde financeira em 10 passos

Postado em:

Hoje, trago 10 conselhos para que você consiga economizar dinheiro, ter um controle maior sobre o seu caixa e ainda estabelecer metas financeiras para o futuro.

Veja abaixo quais são eles:

1 – Registro de Venda

Possuir um registro de vendas permite que você controle todos os produtos e serviços que são comercializados no seu empreendimento, as contas que você tem a receber e também as contas a pagar.

Através desse controle de caixa combinado com as contas futuras (parcelas negociadas com fornecedores e/ou clientes), você obtém o fluxo de caixa, ferramenta que lhe dirá como anda a saúde da sua empresa.

Obs: faça diferentes registros para diferentes meios de pagamento, já que as taxas, impostos e juros são diferentes para cada um.

2 – Demonstração de Resultados do Exercício (DRE)

Esse item é essencial para a gestão financeira da empresa, por meio dele é possível calcular indicadores como ponto de equilíbrio, margem e lucro – além do gasto total de cada custo ou despesa da sua empresa sobre o lucro.

O ideal é que a DRE seja feita mensalmente e, depois, um consolidado por trimestre ou ano. Com isso, você será capaz de elaborar adequadamente as metas financeiras para seu negócio.

3 – Reavalie desperdícios e reduza gastos

Muitos empreendedores se assustam com o preço alto que pagam por coisas simples. Isso ocorre porque o gasto desnecessário em materiais, como folhas de papel, ou com produtos sobrando no estoque é muito comum.

Por isso, reavalie a situação desses materiais na sua empresa, se estão sendo usados adequadamente, se há desperdício, se existe estoque... Apesar de parecerem pouco, quando colocados no todo, o peso desses gastos faz diferença.

4 – Como você recebe seus pagamentos?

Parcelar pagamentos em várias vezes ou aceitar formas de pagamento como cheques e fiado, são atitudes que podem comprometer a saúde financeira da sua empresa, já que elas envolvem alto índice de inadimplência.

Por isso, repense a forma como você recebe dos seus clientes e busque optar por formas de pagamento mais seguras, como pagamentos a vista e cartões de débito.

5 – Se o produto não vende, não compre

Você também pode economizar dinheiro através da otimização do seu estoque de vendas. Faça uma análise dos produtos que são vendidos e descubra quais são aqueles que você não precisa oferecer, pois não vendem.

Esses são os chamados vilões do capital de giro, já que são itens encalhados no estoque que só geram despesas para armazenamento. Evite compra-los novamente e busque se desfazer deles. Assim você abrirá espaço para novos produtos que melhor movimentem as suas vendas.

6 – Monte Mais de Uma Estratégia de Descontos

Consumidores amam descontos, disso todos nós sabemos. Contudo, não é possível manter uma empresa dessa forma. Por isso, você precisa ter mais de uma estratégia quando o assunto é pechincha.

Algumas das manobras que você pode utilizar são os famosos cupons de desconto, vale presentes ou mesmo um truque na hora compra: quando o cliente pedir um desconto de 10%, ofereça no lugar um produto de valor equivalente como brinde. Dessa forma você mantém sua margem de lucro, já que o brinde custou menos para você do que o valor de desconto pedido, e ainda consegue limpar o estoque de produtos parados.

7 – A Terceirização Pode Ser Uma Solução

A terceirização ainda gera polêmicas, porém ela continua sendo uma boa ideia quando o assunto são atividades-meio. Isso porque as oportunidades de economizar gastos são maiores nesse caso, já que no regime de terceirização, as despesas ocorrem apenas com uma empresa ou com um contrato específico, evitando custos trabalhistas posteriores.

8 – Planeje-se!

Saber se planejar é essencial para qualquer empreendedor, no entanto, isso demanda esforço, e muitas vezes o comodismo surge e leva todo o planejamento por água abaixo.

Então, evite fazer gastos de última hora, que se converterão em despesas maiores e comprometerão o planejamento financeiro da empresa.

No longo prazo, o imediatismo pode quebrar qualquer negócio. Planeje-se!

9 – Corte Gastos Com Serviços Não Utilizados

Evite pagar mais e levar menos, ou seja, evite, por exemplo, pagar planos de telefonia ou internet que oferecem mais do que você realmente consome. Fazer uma avaliação disso poderá te auxiliar na economia de uma grande quantia de dinheiro.

Outro ponto importante é reavaliar seu pacote de serviços bancários. Pode ser interessante trocar seu plano por um mais simples, caso você não use a totalidade dos recursos do plano atual. Isso também refletirá em gastos menores no fim do mês.

10 – Atualize Sua Empresa

Por fim, pare de perder tempo e incorpore a tecnologia no dia a dia da sua empresa. Faça uso da internet para otimizar processos e para entrar em contato com colaboradores, clientes e investidores. Existem vários programas gratuitos que possibilitam reuniões online (como o Skype).

Economize papel com memorandos digitais, e-mails e relatórios em pdf.

Atualizar o funcionamento da sua empresa também é uma forma de economizar gastos e aumentar lucros!

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br

*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras.

5 Dicas Para Alcançar o Sucesso

Postado em:

Seja você um pequeno, médio ou grande empreendedor, uma coisa é certa: ninguém entra nesse ramo para ser fracassado. Contudo, nem todos alcançam o sucesso e se consideram vitoriosos.

Então, como não ser engolido pelas dificuldades e pelos obstáculos que surgem pelo caminho?

Confira essas cinco dicas abaixo e descubra:

1 - Certas decisões podem fazer toda a diferença no rumo do seu negócio. Por isso não perder o foco do MVP (produto mínimo viável) é tão importante para o quesito de eficiência. Busque realizar testes do seu produto no mercado o quanto antes, analise os dados e fale com seus clientes. Mude rapidamente, caso algo não estiver dando certo.

2 - No começo de qualquer negócio, o networking é de grande importância. Conversar e conhecer a maior quantidade de pessoas que possam te ajudar é uma ótima maneira de começar com o pé direito. Busque se conectar a outros empreendedores, seus concorrentes, investidores, e outros stakeholders. Redes de relacionamento profissionais também ajudam muito a encontrar as pessoas que poderão te ajudar.

3 – Se você deseja que ter sucesso no seu empreendimento, saiba que será preciso ter foco. Busque priorizar as tarefas diárias que são mais importantes para a gestão do negócio, e encontre caminhos alternativos para otimizar o tempo.

4 – Não tenha medo de começar um negócio por não ter uma ideia inovadora. Faça da gestão do negócio e da transpiração diária os grandes transformadores e diferenciais da sua ideia e da sua empresa. Coloque o seu foco na execução da ideia

5 – Um ponto que quase sempre é esquecido pelos empreendedores é que o sucesso vem aos poucos. É como no ditado: o que vem fácil, vai fácil. Por isso, não tenha pressa e esteja sempre atento ao que acontece no seu negócio. Para facilitar esse processo, busque montar o melhor time possível e esteja rodeado por pessoas que agregaram conhecimento e valor a sua ideia.

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br

*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras.

Seja Líder Antes dos 30

Postado em:

Chegar aos 30 anos e ter a vida já encaminhada é para pouquíssimas pessoas. Na grande maioria dos casos, é nessa idade que tanto a carreira quanto a vida pessoal começam a deslanchar. Isso vale para pessoas famosas também, como o ator Harrison Ford e o empresário Amancio Ortega, fundador da Zara.

Contudo, isso não impede que jovens sonhem com ocupar cargos de liderança, uma vida estável e ter uma vida econômica garantida ao chegar na marca dos 30. Mas no fundo, será que isso é algo tão difícil de ser alcançado?

Como sempre, a dificuldade não está no objetivo, mas sim nas habilidades que cada um possui para alcança-lo. Um líder precisa ter equilíbrio e inteligência emocional, maturidade, um senso de responsabilidade mais aguçado, humildade e visão de longo prazo. Características que são desenvolvidas com as experiências de vida e com o amadurecimento, portanto são mais complicadas de estarem presentes em jovens, mas não impossível.

Outro ponto crucial é o próprio plano de carreira. Nossa sociedade tem mudado rapidamente e grande parte das profissões do futuro ainda não foram criadas. Como se planejar para algo desse tipo? Tendo uma visão flexível e buscando alinhar o desenvolvimento de habilidades técnicas com habilidades interpessoais.

Por isso, se você pretende assumir um cargo executivo antes dos 30 aproveite todas as oportunidades que vierem antes para aprender e amadurecer. Se coloque à disposição e assuma responsabilidades e riscos, pois assim você saberá como lidar com decisões difíceis, perdas, erros e retrocessos.

Já não é de hoje que todos sabem que a vida de um empreendedor é uma batalha diária, principalmente no Brasil. E, na maioria dos casos, é necessário que aprender enquanto estamos colocando a mão na obra. O que leva a equívocos naturais, mas servem de aprendizado.

Entender e colocar isso em prática ainda jovem, certamente, é um grande passo para o se alcançar o sucesso profissional já aos 30!

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br

*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras

Você Sabe Quando Será Substituído?

Postado em:

Você sabe quando será substituído?

Falando em termos de trabalho, eu imagino que não... Um dos motivos é que ninguém que está satisfeito e gosta do trabalho que executa pensa em ser substituído. Outro motivo é que muitos pensam que são insubstituíveis e, por isso, estão a “salvo”.

Infelizmente, para essas pessoas, trago uma notícia ruim: ninguém é insubstituível.

E nem deve ser! Ah, isso vale também (e principalmente) para aqueles que exercem cargos de liderança, gerência e/ou chefia. Isso por um motivo muito básico e importante: uma das funções de um bom líder é formar e capacitar novos líderes.

Além disso, um dos sinais de que o trabalho do líder está sendo bem feito aparece quando ele precisa se ausentar, seja por conta das férias, licença ou outro motivo. Caso sua equipe consiga responder adequadamente aos desafios que surgem sem perder o ritmo, pode-se dizer que essas pessoas estão sendo bem lideradas. Mas, caso ocorra o contrário e o time perca desempenho em razão da falta de seu líder, isso demonstrará possíveis falhas na performance de quem está no comando.

Vivemos novos tempos onde não é mais possível que gestores se deem ao luxo de acreditar que ninguém está à altura de os substituírem. Afinal, ter alguém que seja capaz de substituir o gestor é bom para todos. A empresa lucra, pois, a eficiência da equipe é otimizada; o gestor tem mais segurança em seu trabalho e pode almejar promoções; e o líder em potencial adquire conhecimentos que o fazem crescer e amadurecer, tanto como profissional quanto em sua vida pessoal.

Como Ser Um Líder Em Potencial

Para se destacar dos demais membros da sua equipe e demonstrar que você almeja um cargo de liderança, é preciso que você tenha algumas características essenciais e saiba demonstra-las!

O primeiro passo é se mostrar disponível e disposto. Assuma responsabilidades, entre resultados, sustente um relacionamento saudável com os demais colaboradores e busque conquistar seu próprio espaço. Ser íntegro e ter visão de futuro, certamente lhe garantirão pontos extras e farão que seja impossível para seus superiores não lhe enxergarem.

Como Escolher Um Substituto

Caso você precise escolher alguém para continuar seu trabalho como líder, alguns pontos devem ser observados. Procure selecionar candidatos que possuam características que se encaixem no perfil da empresa, que tenham força de vontade, sejam humildes e estejam dispostos a aprender e lidem bem com a responsabilidade e pressão que o cargo exige.

Depois de escolhido, coloque os candidatos em testes. Veja como eles respondem a situações complicadas e reais. Isso certamente tornará a decisão mais assertiva e eficaz!

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br

*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras

O Que É Ser Empreendedor No Brasil Hoje?

Postado em:

A corrupção brasileira é conhecida no mundo todo. Infelizmente, esse traço tão recorrente aos membros dos três poderes parece ser algo que tem sua raiz na própria cultura do país. Basta lembrar do famoso “jeitinho brasileiro”.

Com certeza, isso gera um incômodo muito grande em nós, já que essa visão pode mostrar que esse problema nunca acabará. Contudo, a única coisa que pode realmente dizer se a falta de ética terá fim ou não são nossas atitudes diárias.

É responsabilidade e dever de cada um lutar e fazer sua parte para que a corrupção não continue se alastrando. Mas como?

O primeiro passo é policiar a si mesmo, tomar atitudes éticas e arcar com as consequências. Ou seja, ser exemplo mesmo quando parece que ninguém está olhando. Quando você é líder, esse exemplo é ainda mais importante, já que os seus liderados ou seguirão seus passos ou deixarão o barco.

Quando a questão é a ética na sua própria empresa, é preciso ter em mente que possuir políticas éticas bem definidas é o começo e que esse movimento anti-corrupção não pode ocorrer verticalmente. Medidas institucionais devem ser tomadas para que todos colaborem e possam contribuir para essa cultura benigna.

Além desses exemplos, também é preciso cobrar um comportamento integro por parte de todos e saber como punir com equilibro as faltas cometidas. Ter uma política de recompensa certamente ajudará, mas é preciso saber administra-la muito bem, caso contrário o comportamento ético não será verdadeiro, mas sim motivado por um “bônus”. Ou seja, quando não haver bônus, não haverá integridade. Logicamente, isso deve valer para toda a hierarquia da empresa, não só para os colaboradores.

Precisamos nos lembrar diariamente que a tarefa de reconstruir esse país é de cada um de nós. Não podemos esperar que outras pessoas façam isso. Somente assim nossa mentalidade como nação será alterada.

Cotidianamente, precisamos negar as vantagens sobre os outros, sejam elas do tamanho que forem. Porque quando as aceitamos, adquirimos um demérito, prejudicamos nossos pares e manchamos nosso caráter. Algo que vai muito além do trabalho.

Sendo assim, ser empreendedor brasileiro, atualmente, também é aceitar o desafio de alterar o significado da expressão “jeitinho brasileiro”. É batalhar dia e noite para que ela passe a ser sinônimo de um comportamento ético, justo e íntegro.

Quer saber mais sobre empreendedorismo e sucesso?

Acesse >> www.fredabrahao.com.br

*Esta coluna é semanal e atualizada às sextas-feiras