5 filmes que farão você quebrar a cabeça, mas que valem (muito) a pena

Cinco obras, de diferentes gêneros cinematográficos, que vão fazer você quebrar a cabeça. Confira!

Postado em: em Artes

​Desafiar a inteligência de vez em quando é bom – pelo menos nós gostamos. 

E nada melhor do que alguns filmes inteligentes para exercitar o seu cérebro, expandir o seu horizonte ou simplesmente fazer com que você pense: o que acabou de acontecer?

Com isso em mente, aqui estão cinco obras, de diferentes gêneros cinematográficos, que vão fazer você quebrar a cabeça. Confira!

A Chegada

A Chegada é um filme de ficção científica de 2016, dirigido por Denis Villeneuve. 

Em resumo, da noite para o dia, uma série de misteriosas espaçonaves alienígenas se fixam em locais ao redor do globo terrestre. 

O governo americano então convoca a linguista Louise Banks e o físico Ian Donnelly para tentarem se comunicar com esses seres e, assim, investigar se são uma ameaça à raça humana.

A grande sacada do filme é essa disrupção no conceito linguístico-temporal. 

Villeneuve pega o espectador pela mão e o coloca dentro do raciocínio da Dra. Banks enquanto ela tenta decifrar a língua extraterrestre. 

Em cima disso, há uma trama lírica e pessoal, que começa com um quê de clichê, mas depois se entrelaça com o filme de um jeito inesperado. Acredite: após o término, você não irá encarar a linguagem como antes.

Eraserhead

Erasehead é um filme de terror de 1977, dirigido por David Lynch. O roteiro conta a história de Henry Spencer que leva uma vida apática em uma zona industrial de uma cidade abandonada. 

De repente, tudo muda quando Mary, uma antiga namorada, aparece com um filho dos dois nos braços. Eles então passam a morar juntos, mas uma série de coisas bizarras começam a acontecer.

São essas bizarrices que fazem o filme ser um desafio. Por exemplo, a montagem das cenas, os simbolismos existentes e o surrealismo do enredo, marcas características do universo de David Lynch, por sinal. 

Uma coisa é certa. Você terminará de assistir a obra e pensará: o que foi que eu acabei ver? Mas fique tranquilo, pois há ordem em meio ao caos.

O Predestinado

O Predestinado é um drama de ficção científica de 2014, dirigido por Michael e Peter Spierig. A história basicamente é de um agente que trabalha viajando no tempo para evitar que crimes de grandes proporções aconteçam. 

Ele recebe uma nova missão: impedir que o Fizzle Bomber detone a bomba que irá matar milhares de nova-iorquinos.

O motivo dele estar nessa lista? Ele trata do paradoxo da predestinação: passado, presente e futuro não se sucedem, mas coexistem e se interagem. 

Ou seja, nós, seres humanos e meros mortais, somos uma espécie de prisioneiros dentro de armadilhas temporais. 

É aquele típico filme que você passa o tempo inteiro tentando entender o que está acontecendo, quando acha que finalmente vai conseguir pegar o fio da meada, ele vem e bagunça de novo. E não se engane: ao final, você sai questionando tudo.

O Sétimo Selo

O Sétimo Selo é um drama fantástico de 1957, dirigido por Ingmar Bergman. A história é de um cavaleiro que retorna das Cruzadas para uma Suécia devastada pela peste negra e dominada pela Inquisição. 

Com sua fé abalada, ele reflete sobre o significado da vida quando a Morte aparece para levá-lo. Para ganhar tempo, ele a convida para uma partida de xadrez que decidirá se ele vai com ela ou não.

Bergman aposta em um texto profundo com um roteiro repleto de simbolismos relacionados ao fim da vida. 

E é isso que faz o filme ser tão interessante: todas as reviravoltas de O Sétimo Selo de alguma maneira se remetem à morte, inclusive quando os personagens não estão, diretamente, falando sobre o assunto. Pode confiar, vale bem a pena.

O Homem Duplicado

O Homem Duplicado é um filme de suspense de 2013, dirigido também por Denis Villeneuve. 

O enredo é sobre o personagem Adam Bell, um professor de história entediado com sua rotina. 

A vida dele muda completamente quando ele assiste a um filme e descobre que tem um sósia. 

Em busca desse ator, Adam cria uma verdadeira obsessão e começa a perseguir o homem.

O porquê de ser um filme que faz você quebrar a cabeça?  Porque Villeneuve explora o tema psicanalítico da busca da identidade através do espelho. 

Uma jornada perigosa, pois nesse caminho podemos nos confrontar com os nossos desejos mais íntimos, criando uma nova ordem: caos é a ordem que ainda não foi decifrada. 

Além disso, a obra é repleta de simbolismos, como uma aranha para representar uma besta que alia uma forte inteligência com elegância. Este filme vai desafiar o seu cérebro.

Depois dessa lista, é só apertar o play e estourar a pipoca. 


Artigos Relacionados