Campeão olímpico Joaquim Cruz incentiva paradesporto no Circuito CAIXA

Ele é medalha de ouro nos Jogos de Los Angeles-1984 e treinador do Comitê Paralímpico dos EUA

Postado em: em Esportes

O campeão olímpico Joaquim Cruz  (Luiz Doro /adorofoto/HT Sports)

O campeão olímpico Joaquim Cruz é treinador do Comitê Paralímpico dos Estados Unidos há 13 anos. Atualmente, trabalha com atletas com deficiência visual, com paralisia cerebral, amputados e cadeirantes em provas de velocidade, meio fundo e fundo. Ele esteve na etapa de Ribeirão Preto do Circuito de Corridas CAIXA no dia 16 de setembro e gostou do que viu. "O incentivo à participação das pessoas com deficiência é uma iniciativa fantástica e muito importante para o desenvolvimento do desporto paraolímpico no Brasil. Iniciativas como a do Circuito CAIXA unem as duas modalidades – para corredores convencionais e não convencionais – em uma festa só", avaliou o medalha de ouro na prova dos 800 metros na Olimpíada de Los Angeles, em 1984.

Em 15 anos de história, o Circuito CAIXA tem acolhido os portadores de diferentes tipos de deficiência. Em 2018, ampliou suas ações ao passar a integrar o calendário do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). A etapa de São Paulo, marcada para 21 de outubro, será a última da temporada a contar pontos para o ranking da entidade e a previsão dos organizadores é para grande volume de inscritos entre os atletas dessa categoria. Joaquim Cruz – que esteve em Ribeirão Preto como padrinho da prova e um dos integrantes do programa Heróis do Atletismo CAIXA - compartilha das expectativas positivas e sonha com voos maiores para o paradesporto nacional nos próximos anos.

Joaquim Cruz na largada em Ribeirão Preto  (Luiz Doro /adorofoto/HT Sports)

"Minha experiência no Circuito CAIXA em Ribeirão Preto foi muito positiva. Teve até uma história curiosa. Vi um atleta competindo com uma cadeira convencional, de uso diário, e me preocupei, porque o percurso tinha muitas subidas. Achei até que ele não conseguiria completar. Mas, felizmente, eu estava enganado e ele cruzou a linha de chegada e bem inclusive", contou o campeão olímpico. "Acredito que, para os próximos anos, o incentivo poderia ser maior, como, por exemplo, sorteio de cadeiras esportivas e até premiação em dinheiro. Tratar de forma igualitária também é uma forma de inclusão", sugeriu, citando provas como as maratonas de Nova York, Chicago e Londres, que já adotam essa prática.

União em prol do paradesporto - A parceria entre Circuito CAIXA e CPB agrega quatro provas chanceladas pela entidade em 2018: Belo Horizonte (na abertura, dia 13 de maio), Recife (29 de julho), Fortaleza (5 de agosto) e São Paulo (21 de outubro). Após três corridas, os números comprovam a assertividade da ação. Quarenta e seis corredores entre diversas categorias paralímpicas largaram para correr percursos de 10km, 5km em busca de pontos para o ranking nacional. Vale lembrar que a participação de atletas com necessidades especiais é maior, porque há aqueles que correm em busca de qualidade de vida ou sem participar do ranking do Comitê Paralímpico Brasileiro.



O coordenador técnico do CPB, Ricardo Silva Melo, explica os motivos para a parceria. "Por tratar-se de um circuito com ótima qualidade de percursos e excelente organização, em 2018 o Comitê Paralímpico Brasileiro passou a reconhecer e homologar, para seu ranking nacional de corridas de rua, as marcas dos atletas que tenham classificação física, visual ou intelectual oficiais do CPB nas competições do Circuito de Corridas CAIXA", informou o dirigente por meio de carta oficial enviada pela entidade.



Para Hélio Takai, diretor da HT Sports e responsável pela organização do Circuito CAIXA, a parceria com o CPB é uma motivação a mais para seguir investindo em inclusão. "Nosso objetivo é fomentar o esporte e oferecer tanto condições para o atleta de elite se desenvolver, como para o amador praticar o esporte em prol de saúde e qualidade de vida, sem esquecer dos portadores de necessidades especiais. A parceria com o Comitê Paralímpico Brasileiro reforça e amplia essa vocação inclusiva", avaliou Takai.



Inclusão em todas as etapas – Além da parceria com a CPB, o Circuito CAIXA acolhe todas as pessoas com necessidades especiais ao redor do Brasil. Um exemplo foi a etapa de Uberlândia. Além do desempenho de alto nível na elite e da festa dos mais de 1.200 atletas que correram 10km e 5km, uma equipe de atletas com necessidades especiais se destacou. O grupo, composto por mais de 30 pessoas, entre deficientes, amigos, familiares e treinadores, correu junto até a linha de chegada. Empurrado pela mãe, Karolina Cordeiro, e ao lado das duas irmãs, Pedro antecipou a comemoração do aniversário de 12 anos. Portador da Síndrome de Aicardi-Goutières (SAG) desde os 10 meses de vida, uma rara doença que lhe tira os movimentos, o garoto que não anda e nem fala participa do Circuito CAIXA desde 2012.



O maior grupo com deficientes em Uberlândia, veio de Campina Verde, pequena cidade da região do Triângulo Mineiro, com pouco mais de 20 mil habitantes. A equipe do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) levou atletas com necessidades especiais para uma prova pela primeira vez no Circuito CAIXA, experiência que deve ser a primeira de muitas. Na etapa de Campo Grande, em julho, outro exemplo de superação, entre tantos registrados em todas as corridas. O cearense Cristiano Soares de Souza completou os 5km amparado por um par de muletas. Ele perdeu o pé esquerdo após um acidente de moto.



Aniversário de 15 anos - Criado em 2004, o Circuito CAIXA já recebeu mais de 285 mil pessoas em 133 provas pelo Brasil até 2017, seguindo de forma ininterrupta no objetivo de apoiar os atletas brasileiros de elite e incentivar o esporte entre os amadores. Além da Elite 10km masculina e feminina, o evento oferece provas de percurso para 10km e 5km para atletas amadores em geral, com opções para revezamento e caminhada. 



O Circuito CAIXA é uma realização da HT Sports, com patrocínio da CAIXA Econômica Federal e co-patrocínio da Centauro, com apoio do Governo Federal, Indaiá e Nutry. 



Etapas do Circuito de Corridas CAIXA 2018
1ª etapa - 13/05 – Belo Horizonte
2ª etapa - 19/05 - Uberlândia
3ª etapa - 10/06 – Salvador
4ª etapa - 01/07 - Campo Grande
5ª etapa - 29/07 - Recife
6ª etapa - 05/08 - Fortaleza
7ª etapa - 26/08 - Porto Alegre
8ª etapa - 16/09 - Ribeirão Preto
9ª etapa - 14/10 - Curitiba
10ª etapa - 21/10 – São Paulo
11ª etapa - 25/11 – Brasília  
12ª etapa - 08/12 – Goiânia 


Artigos Relacionados