​Cafeicultor de Pedregulho comemora classificação entre os melhores do Estado

Café produzido na Fazenda Olhos da D’água, do produtor Rafael Giolo ficou em 7º lugar no concurso

Postado em: em Agronegócios

O produtor de Pedregulho, Rafael Giolo, ao lado do Governador Alckmin e do Secretário de Agricultura, Arnaldo Jardim (Foto SAA)

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo quer, cada vez mais, agregar valor e competitividade ao café, um dos produtos agropecuários mais consumidos pelos brasileiros. Para isso, promoveu a 13ª Edição Especial dos Melhores Cafés de São Paulo.

Da região de Franca, o café produzido na Fazenda Olhos da D’água, do produtor Rafael Giolo obteve nota 8,76 e ficou em 7º lugar no concurso.

No mês de novembro, três empresas adquiriram os melhores lotes de café de produtores paulistas e foram certificadas pelo próprio governador. A indústria Café Baronesa, arrematou por R$ 1.350,00 a saca de café produzida por Rafael Giolo, na Fazenda Olhos D’Água, em Pedregulho, e levou o prêmio na categoria Especial.

A indústria Café Baronesa, arrematou por R$ 1.350,00 a saca de café produzida por Rafael Giolo, de Pedregulho (Foto SAA)

O evento contou com as presenças do governador Geraldo Alckmin e do secretário Arnaldo Jardim, no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, perfumado pelo aroma dos mais finos grãos da produção estadual.

A solenidade celebrou os eleitos no 14º Concurso Estadual de Qualidade do Café de São Paulo, que, por meio de 14 concursos estaduais, selecionou os melhores grãos produzidos em território paulista.

Para fomentar o setor e valorizar o trabalho dos cafeicultores, os lotes vencedores foram comercializados em leilão com preço mínimo de R$ 849, valor 50% acima da cotação da BM&FBOVESPA no dia 28 de outubro, data de referência para estipular o preço neste ano.

Os produtos vencedores foram apresentados ao governador e ao secretário Arnaldo Jardim em embalagens sofisticadas de 250 gramas e identificadas com selo numerado.

Esses cafés poderão ser adquiridos pelos consumidores em lojas gourmets ou nos sites das indústrias participantes que trabalham com e-commerce. Com nota de 8,99, o grande campeão foi o café de Paulo Rogério Marchi, do Sítio Santa Rosa, de Serra Negra.

O concurso é uma promoção da Câmara Setorial de Café de São Paulo e da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro) da Secretaria. Conta com a parceria do Sindicato das Indústrias de Café de São Paulo, da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), da Associação Comercial de Santos (ACS) e do Museu do Café.

O evento contou ainda com a doação feita pela Secretaria de 850 pacotes de café de 250 gramas ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. O café foi produzido pelo Instituto Biológico (IB) da Pasta em seu cafezal urbano, na Vila Mariana.

Ranking Final do 14º Concurso Estadual de Qualidade do Café de São Paulo - Prêmio Aldir Alves Teixeira

1º - Serra Negra- Natural - 8,99 -Paulo Rogério Marchi

2º - Divinolândia – Natural - 8,85 - Manasses Sampaio Dias

3º - Cássia dos Coqueiros – Cereja -  8,85 - Santa Jucy Agroindustrial

4º - Torrinha – Cereja - 8,84 - Mario Marchionno

5º - Serra Negra - Natural - 8,82 - Marcílio Marchi

6º - Espírito Santo do Pinhal   Cereja - 8,8 - Antonio Ragazzo

7º - Pedregulho - M Lote - 8,76 - Rafael Giolo

8º - Monte Alegre do Sul – Cereja - 8,7 - Tuffi Bichara

9º -Divinolândia Natural - 8,66 - Ana Paula Penna

10º - Caconde - M Lote - 8,62 - Moacir Donizette Rossetto. 


Artigos Relacionados