Base do prefeito propõe fazer audiência pública no Natal para salvar Gilson

Vereador Corrêa Neves Júnior pede cancelamento de audiência marcada por presidente da Câmara

Postado em: em Política

Este final de ano demonstra um certo desespero do prefeito Gilson de Souza (DEM) e de alguns integrantes de sua base governista na Câmara dos Vereadores. Após a marcação de audiência pública, pelo presidente Marco Garcia (PPS), para a próxima sexta-feira, os vereadores governistas iniciaram uma verdadeira maratona para "salvar" o prefeito.​

Acontece que, se a sessão for mantida na sexta, dia 29, não haverá tempo hábil para a aprovação do projeto de lei que autoriza o repasse das emendas impositivas para as entidades assistenciais de Franca. O prefeito teve o ano todo para fazer os pagamentos, mas resolveu deixar tudo para a última hora.

Caso ele não pague as emendas, terá problemas com o Tribunal de Contas do Estado, pois as mesmas estavam previstas no orçamento deste ano. Se pagar no ano que vem, com recursos do próximo orçamento, também poderá ser enquadrado em infração, as chamadas pedaladas fiscais. Se for votado e a Câmara aprovar, os vereadores poderão ser responsabilizados junto com Gilson de Souza.

Para evitar pelo menos parte dos problemas, o vereador Corrêa Neves Júnior (PSD), mais próximo parlamentar de Gilson, incluindo-se até Nirley de Souza (DEM), disse que foi "surpreendido" com a convocação da audiência pública para o dia 29 de dezembro, por iniciativa do presidente Marco Garcia (PPS).

Por presidir a Comissão de Finanças e Orçamento, requereu que a audiência seja antecipada para o dia 27, quarta-feira, mesma data em que será realizada sessão extraordinária na Câmara. O desespero da base governista é tamanha que Corrêa propôs a realizar a audiência até no dia de Natal.

"Alternativamente, este presidente (de comissão) se coloca à inteira disposição para realizar a audiência na véspera de Natal, no dia de Natal, ou em qualquer outra data e horário, desde que antes da sessão extraordinária, para que não haja empecilhos de nenhuma espécie para votação de projetos que asseguram recursos fundamentais para a cidade", justificou o vereador.

A remarcação da audiência, no entanto, dependeria da concordância de Marco Garcia e não baseada somente de sua vontade, uma vez que a nova data, dia 27, teria de ser informada à população com antecedência, conforme a legislação. E a próxima edição do Diário Oficial do Município só será publicada, na melhor das hipóteses, no próprio dia 27.


Artigos Relacionados