3º Sesi Chef prorroga inscrições e premiará este ano em mais de R$ 40 mil

Competição gastronômica é aberta para cozinheiros amadores, sem o curso superior em Gastronomia

Postado em: em Cotidiano

​Estão prorrogadas até o dia 23 de junho, as inscrições para a 3ª edição do Sesi Chef 2019, do Serviço Social da Indústria de São Paulo (SESI-SP). 

 A competição gastronômica é voltada à promoção da alimentação saudável, econômica e baseada nos princípios do programa Alimente-se Bem. A ideia é que os chefs criem receitas inéditas, nutricionalmente equilibradas, que aproveitem integralmente os alimentos, e que levem até 50 minutos para ficarem prontas.

As inscrições para o Sesi Chef são gratuitas e podem ser realizadas pelo site www.sesisp.org.br/sesichef. Para se candidatar, é necessário ter mais de 18 anos e ser cozinheiro amador, ou seja, não ter concluído o curso superior em Gastronomia (mas pode estar cursando ainda).

Além de incentivar os participantes a reverem suas escolhas diárias e desenvolverem a criatividade na culinária, o Sesi Chef propõe a utilização de partes pouco usadas dos alimentos, considerada nessa competição o superaproveitamento. Como as melhores receitas da primeira etapa virarão um livro, o concurso também estimula a sociedade a ter bons hábitos alimentares.

Sesi Chef é composto por seis fases. Ao longo de toda a competição, mais de R$ 40 mil em prêmios serão ofertados aos participantes que vencerem as etapas. Os primeiros colocados no Combate Culinário Local de cada uma das 28 unidades receberão 1 fogão como prêmio e seguirão na disputa. O campeão do concurso será premiado com R$ 5.000,00 e, o vice receberá o prêmio de R$ 3.000,00. Os dois melhores ganharão ainda um fogão top de linha cada um. A final estadual acontecerá no dia 19 de outubro, em Campinas.

Ao todo, 28 unidades do SESI-SP espalhadas pelo estado de São Paulo receberão a etapa local do concurso Sesi Chef. As unidades ficam nas seguintes cidades: Araçatuba, Araraquara, Campinas, Franca, Indaiatuba Itu, Jaú, Jacareí, Jundiaí, Limeira, Mogi das Cruzes, Mogi Guaçu, Osasco, Ourinhos, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Rio Claro, Santa Bárbara D'Oeste, Santos, São Carlos, São José do Rio Preto, Sorocaba, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, São José dos Campos, São Paulo (Ipiranga, Vila Leopoldina) e Tatuí.

Os critérios de avaliação em todas as etapas do concurso são: sabor, escolha dos ingredientes, apresentação do prato, aproveitamento total do alimento, criatividade com que o participante propõe a redução do desperdício e um menor custo de preparação. Para conhecer todos os critérios e fases do concurso, o competidor pode acessar o regulamento, que está disponível no site www.sesisp.org.br/sesichef.

Uma comissão técnica constituída por profissionais da área técnica do SESI-SP fará a seleção das melhores receitas na fase preliminar, que serão reproduzidas nas cozinhas das 28 unidades da entidade. Serão classificadas 336 receitas para essa etapa local, sendo divulgadas no dia 3 de julho. As primeiras disputas acontecem de 15 a 18 de julho; e a segunda etapa será de 22 a 25 de julho, envolvendo inclusive os candidatos de Franca.

Nas duas primeiras edições do concurso, realizadas em 2016 e 2017, mais de 1.400 candidatos se inscreveram para concorrer ao posto de Sesi Chef da vez. Ao final das duas competições, 124 receitas premiadas integraram os livros de cada edição.

Alimente-se Bem

Criado pelo SESI-SP em 1999, o programa utiliza os alimentos integralmente e tem como proposta realizar refeições saborosas e nutritivas sem gastar muito. Seus princípios foram determinados a partir de pesquisas realizadas por nutricionistas da entidade, que observaram hábitos alimentares de trabalhadores de indústrias do estado de São Paulo.

O programa se desenvolve por meio de cursos gratuitos em cozinhas didáticas ou unidades móveis instaladas no estado. Continuamente, proporciona por meio do acesso ao conhecimento uma forma de consumo mais consciente e sustentável.

Levando informação às pessoas, o projeto ganhou projeção em outros estados do país e, em 2008, foi reconhecido internacionalmente, com demanda de Moçambique para disseminação desses conceitos no continente africano.



Artigos Relacionados